Aula 5 - Jesus

Ciclo 1 - História: O meu melhor amigo - Atividade: PH - 1 - Jesus.

Ciclo 2 - História: Deixe Cristo entrar em seu coração -  Atividade: ESE - Cap.1-2-O Cristo.

Ciclo 3 - História: O bom pastor -  Atividade: LE - L2 - Cap.1 - 9. Primeira ordem. Espíritos Puros  .

 

Biografia: Jesus.

Dinâmicas: Jesus; Siga o mestre.

Mensagens Espíritas: Jesus.

Sugestão de vídeos: - Música Espírita : Caridade com Jesus (Dica: pesquise no Youtube).

- Música Espírita: É tão bom viver assim - Elizabete Lacerda (Dica: pesquise no Youtube).

- Música Espírita: Consciência - Mario Borges (Dica: pesquisa no Youtube)

Sugestão de livro infantil:

- Jesus. Sociedade de Divulgação Espírita Auta de Souza. Editora Auta de Souza, 2013.

 

Leitura da Bíblia: João – Capítulo 12 e 14


12.49   Porque eu não tenho falado por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, esse me tem prescrito o que dizer e o que anunciar.


14.6   Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.


14.12   Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai.


 

Tópicos a serem abordados:

- Jesus já existia antes da formação do planeta Terra. Ele é o governador deste mundo.

- Antes de Jesus encarnar no planeta, a sua vinda para cá, já havia sido prevista por alguns profetas.

-  Jesus nasceu em uma condição humilde (na manjedoura, onde os animais comem), na cidade de Belém, que fica na Palestina, há mais de 2000 anos atrás. O seu nascimento é comemorado todos os anos na noite de Natal.

- Filho de pais pobres (José e Maria), ajudava a sua família, trabalhando com o seu pai que era carpinteiro.  Era um filho obediente.

- Desde cedo demonstrou possuir uma brilhante inteligência e ainda menino discutia com os mais velhos a lei religiosa de seu tempo.

- Jesus tinha cerca 30 anos quando começou a sua atividade pública, no qual ensinava a palavra de Deus.

-  Jesus é o nosso mestre querido, Ele não é Deus, mas recebeu as palavras diretamente do nosso Pai, pois afirma : '' Não falei, de nenhum modo, de mim mesmo; mas meu Pai, que me enviou, foi quem me prescreveu, por seu poder, o que devo dizer, e como devo falar( João 12:49). ''

- Ele combateu os preconceitos da época, as rivalidades de raça, desmascarou a hipocrisia dos fariseus, dos orgulhosos e dos egoístas.

- Ele animava os fracos,  consolava os aflitos, expulsava os espíritos maus e ensinava os pecadores a se regenerarem. A pureza do seu fluido, juntamente com a sua vontade de fazer o bem, produzia curas maravilhosas. 

- Ele é o maior médico que conhecemos, veio nos trazer o remédio para a nossa cura espiritual.

- Jesus nos mostrou que Deus é soberanamente justo e bom, cheio de mansuetude e de misericórdia, que perdoa ao pecador arrependido, e dá a cada um segundo as suas obras.

- Jesus veio ensinar aos homens que a verdadeira vida não está sobre a Terra, mas no reino dos céus; ensinar-lhes o caminho que para lá conduz.

- Jesus disse: Devemos amar a Deus acima de todas as coisas; amar o próximo como a si mesmo; fazer pelos outros o que quereríamos que os outros fizessem por nós. Através destas palavras, resume todos os deveres do homem para com o próximo, sendo a expressão mais completa da caridade.

- Escolheu 12 apóstolos, dentre pescadores pobres e humildes e lhes recomendou anunciar a Boa Nova (palavra de Deus) para toda a humanidade. 

- Aos 33 anos, aceitou o crucifixo entre ladrões e perdoou a todos aqueles que foram seus algozes.

-  Jesus foi o Espírito mais puro e luminoso que se encarnou na Terra. Ele é o modelo de perfeição que devemos seguir.

- Os ensinamentos de Jesus estão contidos nos Evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas, João) escritos pelos seus discípulos.

 

Perguntas para fixação:

1. Jesus já existia antes da formação do planeta Terra?

2. Qual é o título que Jesus possui perante a Terra?

3. Qual é o nome dado aqueles que anunciaram a vinda de Jesus, o messias?

4. Os ensinamentos trazidos por Jesus eram de quem?

5. Qual é o modelo de perfeição que devemos seguir?

6. Jesus realizava milagres, ou seja, prodígios fora das leis da natureza?

7. Durante quantos anos Jesus pregou a sua doutrina?

8. Quais são os mandamentos que resumem a doutrina de Jesus?  

9. Qual foi a missão de Jesus na Terra?

10. O que devemos fazer para sermos considerados Cristãos ?

 

Subsídio para o Evangelizador:

            Jesus já existia antes da formação deste mundo, conforme é relatado na 1ª Carta de Pedro: '' Ele era conhecido antes da fundação do mundo, mas foi manifestado no fim dos tempos por causa de vocês'' (1Pedro 1:20) O próprio Jesus disse: '' Eu garanto a vocês: antes que Abraão existisse, Eu sou'' (João 8:58). Ele é a Luz do Principio e nas suas mãos misericordiosas repousam os destinos do mundo (A caminho da Luz. Introdução. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).

            Antes de tudo, precisamos compreender que Jesus não foi um filósofo e nem poderá ser classificado entre os valores propriamente humanos, tendo-se em conta os valores divinos de sua hierarquia espiritual, na direção das coletividades terrícolas.  Enviado de Deus, Ele foi a representação do Pai junto do rebanho de filhos transviados do seu amor e da sua sabedoria, cuja tutela lhe foi confiada nas ordenações sagradas da vida no Infinito. Diretor angélico do orbe, seu coração não desdenhou a permanência direta entre os tutelados míseros e ignorantes (...) (O Consolador. Questão 283. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).           

            A vinda de Jesus foi anunciada pelos profetas em várias passagens da Bíblia (Vide: Obras Póstumas . 7. Predições dos Profetas concernentes a Jesus. Allan Kardec):

            ''É porque o próprio Senhor vos dará um sinal. Eis: uma virgem ficará grávida, e ela parirá um filho, e será chamado seu nome Emmanuel (1).'' (Isaías, 7:4). '' Exulta de alegria, filha de Sião, solta gritos de júbilo, filha de Jerusalém; eis que vem a ti o teu rei, justo e vitorioso; ele é simples e vem montado num jumento, no potro de uma jumenta (Zacarias: 9:9). '' E ele se manterá, e governará pela força do Eterno, e com a magnificência do nome do Eterno, seu Deus. E eles farão as pazes, e agora será glorificado até os confins da Terra, e será ele que fará a paz. (Miquéias 5:4).

            A verdade, porém, é que Jesus, chegando ao mundo, não foi absolutamente entendido pelo povo judeu. Os sacerdotes não esperavam que o Redentor procurasse a hora mais escura da noite para surgir na paisagem terrestre. Segundo a sua concepção, o Senhor deveria chegar no carro magnificente de suas glórias divinas, trazido do Céu à Terra pela legião dos seus Tronos e Anjos; deveria humilhar todos os reis do mundo, conferindo a Israel o cetro supremo na direção de todos os povos do planeta; deveria operar todos os prodígios, ofuscando a glória dos Césares. E, no entanto, o Cristo surgira entre os animais humildes da manjedoura; apresentava-se como filho de um carpinteiro e, no cumprimento de sua gloriosa missão de amor e de humildade, protegia as prostitutas, confundia-se com os pobres e com os humilhados, visitava as casas suspeitas para de lá arrancar os seus auxiliares e seguidores; seus companheiros prediletos eram os pescadores ignorantes e humildes, dos quais fazia apóstolos bem-amados.

            Abandonando os templos da Lei, era frequentemente encontrado ao longo do Tiberíades, em cujas margens pregava aos simples a fraternidade e o amor, a sabedoria e a humildade. O judaísmo, saturado de orgulho, não conseguiu compreender a ação do celeste emissário. Apesar da crença fervorosa e sincera, Israel não sabia que toda a salvação tem de começar no íntimo de cada um e, cumprindo as profecias de seus próprios filhos, conduziu aos martírios da cruz o divino Cordeiro. (A caminho da luz. Cap. 7. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).

            A divindade de Jesus está provada pelas suas palavras?

              Jesus disse: '' Não falei, de nenhum modo, de mim mesmo; mas meu Pai, que me enviou, foi quem me prescreveu, por seu poder, o que devo dizer, e como devo falar; - e eu sei que o seu poder é a vida eterna; o que eu digo, pois, o digo segundo o que meu Pai mo ordenou.''(João 12:49 e 50). Minha doutrina não é minha doutrina, mas a doutrina daquele que me enviou (João 7:16). ''Desci do céu não para fazer a minha vontade, mas para fazer a vontade daquele que me enviou'' (João 6:38).

            Não só Jesus não se deu, em nenhuma circunstância, por igual a Deus, como, neste passo, afirma positivamente o contrário: considera-se inferior a Deus em bondade. Ora, declarar que Deus lhe está acima, pelo poder e pelas qualidades morais, é dizer que ele não é Deus (Obras Póstumas. 3. A divindade de Jesus está provada pelas suas palavras?  Allan Kardec).

            Tendo Jesus recebido a palavra diretamente de Deus, com a missão de revelá-la aos homens, assimilou-a; a palavra divina, da qual estava penetrado, se encarnou nele; trouxe-a ao nascer, e foi com razão que João pôde dizer: '' E o Verbo foi feito carne e habitou entre nós e vimos a sua glória, qual a que o Filho único havia de receber do Pai; e ele, digo, habitou entre nós, cheio de graça e de verdade.” (João, 1: 14.). Com efeito, o Verbo é Deus, porque é a palavra de Deus.

             Jesus era um messias divino pelo duplo motivo que tinha a sua missão de Deus, e que as suas perfeições o colocavam em relação direta com Deus (Obras Póstumas. 8. O verbo se fez carne. Allan Kardec).

            Para o homem, Jesus constitui o tipo da perfeição moral a que a Humanidade pode aspirar na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ensinou é a expressão mais pura da lei do Senhor, porque, sendo ele o mais puro de quantos têm aparecido na Terra, o Espírito Divino o animava (O Livro dos Espíritos. Questão 625. Allan Kardec).

            Como homem, Jesus tinha a organização dos seres carnais; porém, como Espírito puro, desprendido da matéria, havia de viver mais da vida espiritual, do que da vida corporal, de cujas fraquezas não era passível. A sua superioridade com relação aos homens não derivava das qualidades particulares do seu corpo, mas das do seu Espírito, que dominava de modo absoluto a matéria e da do seu perispírito (Vide:  A Gênese .Cap. 14. Item 9. Allan Kardec) , tirado da parte mais quintessenciada dos fluidos terrestres. Sua alma, provavelmente, não se achava presa ao corpo, senão pelos laços estritamente indispensáveis. Constantemente desprendida, ela decerto lhe dava dupla vista (2), não só permanente, como de excepcional penetração e superior de muito à que de ordinário possuem os homens comuns. O mesmo havia de dar-se, nele, com relação a todos os fenômenos que dependem dos fluidos perispirituais ou psíquicos. A qualidade desses fluidos lhe conferia imensa força magnética, secundada pelo incessante desejo de fazer o bem.

            Nas curas que ele operava, agia como médium? Pode-se considerá-lo  com um poderoso médium curador? Não, porquanto o médium é um intermediário, um instrumento de que se servem os Espíritos desencarnados e o Cristo não precisava de assistência, pois que era ele quem assistia os outros. Agia por si mesmo, em virtude do seu poder pessoal, como o podem fazer, em certos casos, os encarnados, na medida de suas forças. Que Espírito, ao demais, ousaria insuflar-lhe seus próprios pensamentos e encarregá-lo de os transmitir? Se algum influxo estranho recebia, esse só de Deus lhe poderia vir. Segundo definição dada por um Espírito, ele era médium de Deus (A Gênese. Cap. 15. Item 2. Allan Kardec).

            Jesus recomendou para os seus discípulos: ''Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios'' (Mateus 10:8).

            De todas faculdades que Jesus revelou, nenhuma se pode apontar estranha às condições da humanidade e que se não encontre comumente nos homens, porque estão todas na ordem da Natureza. Pela superioridade, porém, da sua essência moral e de suas qualidades fluídicas, aquelas faculdades atingiam nele proporções muito acima das que são vulgares. (A Gênese. Cap. 15. Item 44. Allan Kardec.)

            O maior ''milagre'' que Jesus operou, o que verdadeiramente atesta a sua superioridade, foi a revolução que seus ensinos produziram no mundo, apesar da  exigüidade dos seus meios de ação. Com efeito, Jesus, obscuro, pobre, nascido na mais humilde condição (manjedoura), no seio de um povo pequenino, quase ignorado e sem preponderância política, artística ou literária, apenas durante três anos prega a sua doutrina (Vide: Lucas 3:23) ; em todo esse curto espaço de tempo é desatendido e perseguido pelos seus concidadãos; vê-se obrigado a fugir para não ser lapidado; é traído por um de seus apóstolos (Judas), renegado por outro (Pedro), abandonado por todos no momento com que cai nas mãos de seus inimigos. Não fazia senão o bem e isso não o punha ao abrigo da malevolência, que dos próprios serviços que ele prestava tirava motivos para o acusar (A Gênese. Cap. 15. Item 63. Allan Kardec ).  

            Jesus, que prezava, sobretudo, a simplicidade e as qualidades da alma, que, na lei, preferia o espírito, que vivifica, a' letra, que mata, se aplicou, durante toda a sua missão, a desmascarar a hipocrisia dos Fariseus, pelo que tinha neles encarniçados inimigos (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Introdução. Fariseus. Allan Kardec).    

            Qual foi a missão de Jesus? Jesus não veio destruir a lei, isto é, a lei de Deus; veio cumpri-la, isto é, desenvolvê-la, dar-lhe o verdadeiro sentido e adaptá-la ao grau de adiantamento dos homens. Veio ensinar aos homens que a verdadeira vida não está sobre a Terra, mas no reino dos céus; ensinar-lhes o caminho que para lá conduz, os meios de se reconciliar com Deus, e os prevenir sobre a marcha das coisas futuras para o cumprimento dos destinos humanos. Entretanto, não disse tudo, e sobre muitos pontos se limitou a depositar o germe de verdades que ele próprio declara não poderem ser ainda compreendidas (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 1. Item 3 e 4. Allan Kardec).

            A parte mais importante da revelação do Cristo, no sentido de que ela é a fonte primeira, a pedra angular de toda a sua doutrina, é o ponto de vista, todo novo, sob o qual fez considerar a Divindade. Não é mais o Deus terrível, ciumento, vingativo, de Moisés (...); mas um Deus clemente, soberanamente justo e bom, cheio de mansuetude e de misericórdia, que perdoa ao pecador arrependido, e dá a cada um segundo as suas obras.

            Jesus disse: "Amar o próximo como a si mesmo: fazer pelos outros o que quereríamos que os outros fizessem por nós", é a expressão mais completa da caridade, porque resume todos os deveres do homem para com o próximo. (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 11. Item 4. Allan Kardec). Com Jesus, o homem do mundo recebeu o código perfeito do amor (O Consolador. Questão 272. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier) .

            O Evangelho é o roteiro para a ascensão de todos os Espíritos em luta, o aprendizado na Terra para os planos superiores do Ilimitado. De sua aplicação decorre a luz do espírito (O Consolador. Questão 225. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier) . Jesus disse: '' Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim'' (João 14:6).

            Todas as entidades espirituais encarnadas no orbe terrestre são Espíritos que se resgatam ou aprendem nas experiências humanas, após as quedas do passado, com exceção de Jesus Cristo, fundamento de toda a verdade neste mundo, cuja evolução se verificou em linha reta para Deus, e em cujas mãos angélicas repousa o governo espiritual do planeta, desde os seus primórdios (O Consolador. Questão 243. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier ).

            O Calvário representou o coroamento da obra do Senhor, mas o sacrifício na  sua exemplificação se verificou em todos os dias da sua passagem pelo planeta. E o  cristão deve buscar, antes de tudo, o modelo nos exemplos do Mestre, porque o Cristo ensinou com amor e humildade o segredo da felicidade espiritual, sendo imprescindível que todos os discípulos edifiquem no íntimo essas virtudes, com as quais saberão demonstrar ao calvário de suas dores, no momento oportuno (O Consolador. Questão 286. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).

            Se o Cristo, não viesse à Terra, ela ainda estaria envolvida nos primórdios da civilização. (Maria de Nazaré. Espírito Miramez. João Nunes Maia).

 

Observação (1): A palavra Emmanuel, em hebraico, significa ''Deus conosco''. É um nome profético que se referia à vinda do messias à Terra ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Emanuel).  

 

Observação (2): Dupla vista ou vista espiritual: Jesus conhecia os pensamentos dos seus interlocutores, senão pelas irradiações fluídicas desses pensamentos e, ao mesmo tempo, pela vista espiritual que lhe permitia ler-lhes no foro íntimo (Vide: A Gênese. Cap. 15. Item 9. Allan Kardec - João 2:25).

 

Bibliografia:

-  O Evangelho Segundo o Espiritismo. Introdução, Fariseus.  Cap. 1, Item 3 e 4. Cap. 11, item 4. Allan Kardec.

- O Livro dos Espíritos. Questão 625. Allan Kardec.

- A Gênese. Cap. 14, Item 9. Cap. 15, Itens: 2, 44 e 63.

- Obras Póstumas. 3. A divindade de Jesus está provado pelas suas palavras? 7.Predições dos Profetas concernentes a Jesus. 8.O verbo se fez carne. Allan Kardec.

- A caminho da luz. Introdução. Cap. 7. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

-  Maria de Nazaré. Espírito Miramez. João Nunes Maia. 

- O Consolador. Questões: 225, 243, 272, 283 e 286. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

- Bíblia: 1Pedro 1:20, Isaias 7:4, Zacarias 9:9, Miquéias 5:4, Mateus 10:8, Lucas 3:23, João 1:14, 2:25, 6:38, 7:16, 8:58, 12:49 e 50, 14:6.

- Site:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Emanuel. Data da consulta: 03/03/14.