Dinâmica - A face de Jesus

Objetivo: Lembrar-se da imagem do Querido Mestre de uma maneira diferente, pois não sabemos com exatidão como era a sua face, mas representado através da arte, podemos admirar a sua beleza, que é espiritual. 
Participantes: Indefinido.
Tempo Estimado:  Indeterminado.
Material: imagem de Jesus (ampliada em papel A3 no xerox), Papel color set colorido, tesoura e cola.  
Descrição:  O Evangelizador deverá recortar, previamente, pequenos quadrados de papel color set colorido e distribuir para cada aluno uma pequena quantia dos papéis recortados. Então, eles deverão fazer um mosaico coletivo, colando sobre a face de Jesus papéis da cor de pele; sobre o cabelo, sobrancelha, olhos, bigode e barba dele papéis da cor marrom; sobre o restante (roupa e fundo) papéis coloridos: verde, azul, laranja,  vermelho e amarelo.
Obs.: Os olhos devem ser recortados no formato redondo e as sobrancelhas precisam ser recortadas em pedaços bem pequenos.

Comentário: Não sabemos dizer, com exatidão, como era a face do nosso Querido Mestre quando estava encarnado na Terra. Segundo pesquisadores, Jesus teria pele, olhos e cabelos escuros, assim como os judeus que viviam naquela época. (Fonte:https://veja.abril.com.br/coluna/noblat/jesus-era-branco-ou-negro-por-juan-arias/)
Certa vez, Chico Xavier fez o seguinte comentário sobre a aparência do Cristo: “A face de Jesus!... Desde a escola primária perguntava a mim mesmo como seria o semblante d´Ele, o Benfeitor Incomparável! Muito cedo, caminhei para a mediunidade e indagava dos Espíritos Amigos como seriam os traços fisionômicos do Senhor. Os Benfeitores Espirituais me determinavam procurá-los nas crianças doentes e desamparadas e nas pessoas abatidas, sofredoras, andrajosas ou feridas. Certa vez, meu pai impressionado com a minha persistência em recortar retratos do senhor de jornais e revistas, me perguntou:
— Chico, que nome terá Jesus no Céu?
Eu, que estava sempre induzido pelos Amigos Espirituais, a procurar a Divina Face nos sofredores e nos infelizes, imaginei que o Senhor, sendo o conforto e a providência dos tristes e dos desventurados, deveria ter no Alto um nome de luz e respondi:
— Meu pai, eu penso que no Céu Jesus se chama Alegria, pois todos os que sofrem na Terra estão esperando por Ele”! (Na oficina da fé. Chico Xavier/ Carlos A. Baccelli)
No Antigo Testamento, na profecia do profeta Isaías diz que Jesus Cristo " não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos." (Isaías 53:2)
No Novo Testamento, Mateus relata sobre a beleza espiritual de Jesus Cristo, quando ocorreu o fenômeno de transfiguração, ou seja, quando ele apareceu com seu corpo espiritual  sobre o próprio corpo físico, mudando a sua aparência, dizendo assim: "Jesus tomou consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte, E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. "(Mateus 17:1,2)
Segundo Allan Kardec, " A sua superioridade com relação aos homens não derivava das qualidades particulares do seu corpo, mas das do seu Espírito, que dominava de modo absoluto a matéria e da do seu perispírito,  tirado da parte mais quintessenciada dos fluidos terrestres." (A Gênese. Cap. 15. Item 2. Allan Kardec)
(A ideia do mosaico coletivo e as imagens são da Evangelizadora Isabella Nascimento  do GEFÉ - Grupo Espírita da Fé, em Niterói RJ. Fonte: Telegram - Evangelize com amor e arte)

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode