Aula 19 - Os doze Apóstolos

Ciclo 1 - História: A escolha dos discípulos  -  Atividade: PH - Os doze Apóstolos - 2 - Boa Nova

Ciclo 2 - História: A escritura do Evangelho -  Atividade: LE - L2 - Cap. 10 - Ocupações e missões dos Espíritos.   

Ciclo 3 - História: O argumento justo  -  Atividade: PH - Os doze Apóstolos - 1 - Missão dos doze apóstolos.  

 

Dinâmica: Os doze apóstolos

Mensagens Espíritas: Apóstolos.

Vídeos: - Jesus escolhe os doze apóstolos (Dica: pesquise no Youtube).

- Música Espírita : Encontro marcado (Dica: pesquise no Youtube).

- Música Espírita: Pedro - Tim e Vanessa (Dica: Pesquise no Youtube).

Sugestão de livro infantil: Coleção Histórias Bíblicas -  Discípulos de Jesus. Editora Ciranda Cultural.

 

Leitura da Bíblia: Mateus - Capítulo 4


4.18   Caminhando junto ao mar da Galiléia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, que lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores.


4.19   E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.


4.20   Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram.


4.21   Passando adiante, viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco em companhia de seu pai, consertando as redes; e chamou-os.


4.22   Então, eles, no mesmo instante, deixando o barco e seu pai, o seguiram.


9.9   Partindo Jesus dali, viu um homem chamado Mateus sentado na coletoria e disse-lhe: Segue-me! Ele se levantou e o seguiu.


 

Lucas - Capítulo 6


6.12   Naqueles dias, retirou-se para o monte, a fim de orar, e passou a noite orando a Deus.


6.13   E, quando amanheceu, chamou a si os seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos:


6.14   Simão, a quem acrescentou o nome de Pedro, e André, seu irmão; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu;


6.15   Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelote;


6.16   Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, que se tornou traidor.


6.17   E, descendo com eles, parou numa planura onde se encontravam muitos discípulos seus e grande multidão do povo, de toda a Judéia, de Jerusalém e do litoral de Tiro e de Sidom,


6.18   que vieram para o ouvirem e serem curados de suas enfermidades; também os atormentados por espíritos imundos eram curados.


 

Mateus - Capítulo 10


10.1   Tendo chamado os seus doze discípulos, deu-lhes Jesus autoridade sobre espíritos imundos para os expelir e para curar toda sorte de doenças e enfermidades.


 

Lucas - Capítulo 10


10.1   Depois disto, o Senhor designou outros setenta; e os enviou de dois em dois, para que o precedessem em cada cidade e lugar aonde ele estava para ir.


10.2   E lhes fez a seguinte advertência: A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.


 

Tópicos a serem abordados:

-  A palavra ''Apóstolo'' é derivada do grego que significa enviado. Jesus escolheu doze apóstolos e os enviou para diversos lugares para pregarem a chegada da "Boa Nova" (o evangelho).

- A palavra ''Discípulo'', derivada do latim, significa aluno ou  aprendiz. Mas também era utilizada para se referir aos seguidores de Jesus. Numa determinada época de sua vida, Jesus tinha cerca de 70 discípulos, além dos doze apóstolos para ajudá-lo.

-  Jesus, depois de elevar o seu pensamento ao Pai Celestial, para receber suas intuições (através da oração), desce do monte e escolhe os Apóstolos que o deveriam auxiliar na divina missão.

- São eles: Simão, a quem acrescentou o nome de Pedro, e André, seu irmão; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu;  Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelote;  Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, que se tornou traidor.

- A maioria dos Apóstolos nasceu na região da Galiléia (antiga província da Palestina).  Eram eles os homens mais humildes e simples desta região, grande parte deles eram pescadores, com exceção de Mateus que era cobrador de impostos e Judas Iscariotes, que nasceu em Kerioth (localidade da Judéia) e se dedicava ao pequeno comércio em Cafarnaum, onde vendia peixes e quinquilharias.

- Quando Jesus chama a si Pedro, André, Tiago, João e Mateus, é que lhes conhecia os seus pensamentos e sabia que eles o acompanhariam e que eram capazes de desempenhar a missão que lhes confiaria.

- Deus só confia missões importantes aos que ele sabe capazes de as cumprir.  Entretanto, se eles eram elevados Espíritos em missão, precisamos considerar que eles estavam muito longe da situação de espiritualidade do Mestre, sofrendo as influências do meio a que foram conduzidos.

- Por serem eles mais adiantados, moral e intelectualmente, Jesus pôde iniciá-los no conhecimento de verdades mais abstratas, que o povo ignorante não compreenderia. No entanto, não lhes disse tudo e conservou-se impreciso acerca de muitos pontos, que só seriam mais tarde esclarecidos por meio do Espiritismo.

-  Jesus lhes recomendou a seguinte missão: '' Vão e anunciem o Reino do Céu está próximo. Curem os doentes, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios''.

- O divino mestre era um amigo fiel dos seus companheiros, mas sofreu o abandono daqueles que o amava, no momento do seu suplício (crucificação). Com exceção de João (conhecido por ser o discípulo que Jesus amava), pois se conservara junto de sua mãe. Os leprosos e cegos, curados por suas mãos, haviam desaparecido. Judas Iscariotes entregou-o com um beijo, em troca de trinta moedas de prata. Simão Pedro, após sua prisão, negou-o três vezes, antes do galo cantar. João e Tiago dormiram no Horto de Getsêmani (jardim), enquanto havia pedido para que vigiassem e orassem. Os demais preferiram estacionar em acordos apressados com as acusações injustas. Mesmo após a sua Ressurreição, Tomé exigiu-lhe sinais. Não acreditou que Jesus havia aparecido, precisou tocá-lo para crer. Mas apesar de tudo isto, o mestre não deixou de amá-los (1).  

- Depois do seu sofrimento, Jesus apresentou-se a eles e deu-lhes muitas provas indiscutíveis de que estava vivo. Apareceu-lhes por um período de quarenta dias falando-lhes acerca do Reino de Deus. E lhes recomendou: '' Vão pelo mundo inteiro e anunciem a Boa Notícia  para toda a humanidade.'' Seriam suas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até os extremos da terra.

- Os Apóstolos e seus discípulos viviam para a Religião, chegando a sacrificar seus bens em benefício da Comunidade. Ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns.
- O apóstolo Pedro é considerado o fundador da Igreja primitiva cristã. Despontou como líder dos demais apóstolos. Num certo dia, em que todos estavam reunidos, decidiram entre dois homens, que Matias seria o substituto de Judas Iscariotes.

- A igreja, em Jerusalém, era chamada de ''caminho'' (termo utilizado para designar o cristianismo primitivo) , atendia  velhos, crianças , loucos e muitos doentes, pois nem todos eram curados e ali eram acolhidos.  

- Os apóstolos pregaram o Evangelho por muitos lugares, sofreram perseguições e estudiosos dizem que todos morreram de uma maneira muito sofrida, exceto o apóstolo João que faleceu de morte natural .  

 

Comentário (1): Caminho, verdade e vida. Jesus e os amigos. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

 

Perguntas para fixação:

1. Qual é o significado da palavra Apóstolo?

2. Quantos apóstolos Jesus escolheu?

3. Numa determinada época, quantos discípulos Jesus tinha?

4. Qual era a missão dos Apóstolos?

5. Qual apóstolo era o irmão de Pedro e  também pescador?

6. Quem negou Jesus três vezes antes que o galo cantasse?

7. Qual apóstolo traiu Jesus por trinta moedas de prata?

8. Qual apóstolo era cobrador de impostos e escreveu um dos Evangelhos?

9. Qual apóstolo permaneceu com Maria, durante a crucificação de Jesus?

10. Qual apóstolo precisou tocar em Jesus, para que acreditasse na sua aparição após a morte?

11. Qual apóstolo foi escolhido para substituir Judas Iscariotes?

12. Qual apóstolo é considerado o fundador da Igreja cristã ?

 

Subsídio para o Evangelizador:

            Segundo o  novo dicionário da Bíblia o vocábulo  ''apóstolo'' deriva-se do verbo comuníssimo apostello (termo grego), que significa ''enviar''. (...)No novo testamento é aplicado a Jesus como aquele que é  o enviado de Deus (Hebreus 3:1), àqueles que foram enviados por Deus a pregarem a Israel (Lucas 11:49),  e aqueles enviados as igrejas (2 Coríntios 8:23; Filipenses 2:25).  (O novo dicionário da Bíblia. J. D. Douglas. Pág. 67 ).

            A palavra apóstolo significa aquele que Jesus envia para continuar a sua obra (Bíblia Sagrada. Edição Pastoral. Comentário de Lucas 6:12-16).  

            O vocábulo ''discípulo'' (em hebraico limud, em grego mathetes, em latim discipulus) significa pupilo, aprendiz. A relação entre mestre e discípulo era uma característica comum do mundo antigo, onde os filósofos gregos e os rabinos judeus reuniam em torno do seus grupos de aprendizes e discípulos. (...) Seu uso mais comum era para denotar os aderentes de Jesus: quer no sentido geral (como em Mateus 10:42, Lucas 6:17, João 6:66), quer referindo-se especialmente aos doze (Mateus 10:1, 11:1), que tudo abandonaram a fim de segui-lo. (O novo dicionário da Bíblia. J. D. Douglas. Pág. 353).

            A missão religiosa está sempre adstrita a duas naturezas de obreiros: profetas e apóstolos; é assim que ela se manifesta, se difunde, se completa.

            Pelo texto acima exarado, compreendemos muito bem a missão apostólica, Jesus, depois de elevar o seu pensamento ao Pai Celestial, para receber suas intuições, desce do monte, escolhe os Apóstolos que o deveriam auxiliar na divina missão, e, dirigindo-se a um lugar onde se achavam vários prosélitos e uma multidão de povo que, saídos de diversas cidades, tinham ido ouvi-lo e ser curados por ele, dá-lhes a substanciosa lição de como deveriam exercer a nobre missão, para cuja tarefa os constituíra obreiros: prega o Evangelho, cura muitos doentes e expulsa os espíritos imundos que obsidiavam diversos dentre a multidão. (Parábolas e ensinos de Jesus. 2ª Parte. Ensinos de Jesus - Os apóstolos. Cairbar Schutel). 

            Quando Jesus chama a si Pedro, André, Tiago, João e Mateus, é que lhes conhecia as disposições íntimas e sabia que eles o acompanhariam e que eram capazes de desempenhar a missão que tencionava confiar-lhes. E mister se fazia que eles próprios tivessem intuição da missão que iriam desempenhar para, sem hesitação, atenderem ao chamamento de Jesus.( A Gênese. Cap. 15. Item 9. Allan Kardec).

            Para eles, Jesus era um  homem profeta (1), escolhido e abençoado por Deus.  (Obras Póstumas. Item 6 - Opinião dos Apóstolos. Allan Kardec). 

         Por serem eles mais adiantados, moral e intelectualmente, Jesus pôde iniciá-los no conhecimento de verdades mais abstratas.

            Entretanto, mesmo com os apóstolos, conservou-se impreciso acerca de muitos pontos, cuja completa inteligência ficava reservada a ulteriores tempos. (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 24. Item 6. Allan Kardec).

            Só os Espíritos elevados desempenham missões?

            A importância das missões corresponde às capacidades e à elevação do Espírito. O estafeta que leva um telegrama ao seu destinatário também desempenha uma perfeita missão, se bem que diversa da de um general. ( O Livro dos Espíritos. Questão 571. Allan Kardec).

            Ficai certos de que Deus só confia missões importantes aos que ele sabe capazes de as cumprir, porquanto as grandes missões são fardos pesados que esmagariam o homem carente de forças para carregá-los. Em todas as coisas, o mestre há de sempre saber mais do que o discípulo; para fazer que a Humanidade avance moralmente e intelectualmente, são precisos homens superiores em inteligência e em moralidade. Por isso, para essas missões são sempre escolhidos (2) Espíritos já adiantados, que fizeram suas provas noutras existências, visto que, se não fossem superiores ao meio em que têm da atuar, nula lhes resultaria a ação. ( O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 21. Item 9. Allan Kardec).

            Todos os Apóstolos do Mestre haviam saído do teatro humilde de seus gloriosos ensinamentos; mas, se esses pescadores valorosos eram elevados Espíritos em missão, precisamos considerar que eles estavam muito longe da situação de espiritualidade do Mestre, sofrendo as influências do meio a que foram conduzidos (3) (A caminho da Luz. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).

            É interessante que todos os discípulos, ou quase todos, eram galileus. A Galiléia, antiga província da Palestina tem, por confronto, o Mediterrâneo e a Fenícia;(...) as suas cidades principais são: Aco, Seforis, Nazaré, Caná, Betúlia, Cafarnaum. (Vida e ato dos Apóstolos. Simão, Judas e Matias. Cairbar  Schutel).

            Frequentemente, era nas proximidades de Cafarnaum que o Mestre reunia a grande comunidade dos seus seguidores. Numerosas pessoas o aguardavam ao longo do caminho, ansiosas por lhe ouvirem a palavra instrutiva. Não tardou, porém, que ele compusesse o seu reduzido colégio de discípulos.

            Depois de uma das suas pregações do novo reino, chamou os doze companheiros que, desde então, seriam os intérpretes de suas ações e de ensinos. Eram eles os homens mais humildes e simples do lago de Genesaré. Pedro, André e Felipe eram filhos de Betsaida, de onde vinham igualmente Tiago e João, descendentes de Zebedeu. Levi, Tadeu e Tiago, filhos de Alfeu e sua esposa Cléofas, parenta de Maria, eram nazarenos e amavam a Jesus desde a infância, sendo muitas vezes chamados “os irmãos do Senhor”, à vista de suas profundas afinidades afetivas. Tomé descendia de um antigo pescador de Dalmanuta e Bartolomeu nascera de uma família laboriosa de Caná da Galiléia. Simão, mais tarde denominado “o Zelota”, deixara a sua terra de Canaan para dedicar-se à pescaria e somente um deles, Judas, destoava um pouco desse concerto, pois nascera em Iscariote e se consagrara ao pequeno comércio em Cafarnaum, onde vendia peixes e quinquilharias.

            O reduzido grupo de companheiros do Messias experimentou a princípio certas dificuldades para harmonizar-se. Pequeninas contendas geravam a separatividade entre eles. De vez em quando, o Mestre os surpreendia em discussões inúteis sobre qual deles seria o maior no reino de Deus: de outras vezes, desejavam saber qual, dentre todos, revelava sabedoria maior, no campo do Evangelho.

            Levi continuava nos seus trabalhos da coletoria local, enquanto Judas prosseguia nos seus pequenos negócios, embora se reunissem diàriamente aos demais companheiros. Os dez outros viviam quase que constantemente com Jesus, junto às águas transparentes do Tiberíades, como se participassem de uma festa incessante de luz.

            Iniciando-se, entretanto, o período de trabalhos ativos pela difusão da nova doutrina, o Mestre reuniu os doze em casa de Simão Pedro e lhes ministrou as primeiras instruções referentes ao grande apostolado. (Boa Nova. Os discípulos. Espírito Humberto de Campos. Psicografado por Chico Xavier). 

            Jesus enviou estes doze, e lhes ordenou, dizendo: Não ireis pelo caminho dos gentios, nem entrareis em cidade de samaritanos; Mas ide antes às ovelhas perdidas da casa de Israel; E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. Não possuais ouro, nem prata, nem cobre, em vossos cintos, Nem sacola para o caminho, nem duas túnicas, nem calçados, nem bastão; porque digno é o operário do seu alimento. E, em qualquer cidade ou aldeia em que entrardes, procurai saber quem nela seja digno, e hospedai-vos aí, até que vos retireis. E, quando entrardes nalguma casa, saudai-a; E, se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; mas, se não for digna, torne para vós a vossa paz.   Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas. Acautelai-vos, porém, dos homens; porque eles vos entregarão aos sinédrios, e vos açoitarão nas suas sinagogas; E sereis até conduzidos à presença dos governadores, e dos reis, por causa de mim, para lhes servir de testemunho a eles, e aos gentios. (Mateus 10:5-13, 16-18).

            Dentro em pouco, porém, a onda das perseguições vinha desfazer a suave e divina ventura. O Mestre fora preso. Com exceção de João, que se conservara junto de sua mãe, todos os discípulos se afastaram espavoridos. (Boa Nova. O testemunho a Tomé. Humberto de Campos. Psicografado por Chico Xavier - Vide: João 19:25-26).

             Depois do seu sofrimento, Jesus apresentou-se a eles e deu-lhes muitas provas indiscutíveis de que estava vivo. Apareceu-lhes por um período de quarenta dias falando-lhes acerca do Reino de Deus. Certa ocasião, enquanto comia com eles, deu-lhes esta ordem: "Não saiam de Jerusalém, mas esperem pela promessa de meu Pai, da qual falei a vocês.  Pois João batizou com água, mas dentro de poucos dias vocês serão batizados com o Espírito Santo". Mas receberão poder quando o Espírito Santo (4) descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da terra". (Atos 1:3-5, 8).

            Então Jesus disse: '' Vão pelo mundo inteiro e anunciem a Boa Notícia (Evangelho) para toda a humanidade.'' (Marcos 16:15).  

            Os Apóstolos e seus discípulos viviam para a Religião, chegando a sacrificar seus bens em benefício da Comunidade (Vida e ato dos apóstolos. Comunidade Cristã. Caibar Schutel). 

            E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça. Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha. (Atos 4:32-35).

            As primeiras organizações de assistência ergueram-se com o esforço dos apóstolos, ao influxo amoroso das lições do Mestre.

            Era por esse motivo que a residência de Pedro, doação de vários amigos do "Caminho", regurgitava de enfermos e desvalidos sem esperança. Eram velhos a exibirem úlceras asquerosas, procedentes de Cesaréia; loucos que chegavam das regiões mais longínquas, conduzidos por parentes ansiosos de alívio; crianças paralíticas, da Iduméia, nos braços maternais, todos atraidos pela fama do profeta nazareno, que ressuscitava os próprios mortos e sabia restituir tranqüilidade aos corações mais infortunados do mundo.

            Natural era que nem todos se curassem, o que obrigava o velho pescador a agasalhar consigo todos os necessitados, com carinho de um pai.

             (Paulo e Estevão. Cap. 3. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).

            Eles davam e não recebiam, eram perseguidos e não perseguiam, todas as suas palavras, todos os seus atos eram outros tantos louvores ao Deus vivo, que fez a Terra, o Céu, o Mar e tudo o que neles há. Repeliam as glórias, repudiavam os louvores, execravam o maldito ouro que tanto escraviza os sacerdotes do nosso tempo, e sofriam injustas perseguições, louvando sempre ao Senhor e dando bom testemunho que, de fato, eram cristãos (Vida e ato dos Apóstolos. Poder e humildade dos apóstolos - a cura do coxo. Cairbar  Schutel).

 

Observação (1): Jesus era um messias divino pelo duplo motivo que tinha a sua missão de Deus, e que as suas perfeições o colocavam em relação direta com Deus (Obras Póstumas. 8. O verbo se fez carne. Allan Kardec).

 

Observação (2): Há sempre muitos "chamados" em todos os setores de construção e aprimoramento do mundo! Os "escolhidos", contudo, são sempre poucos.

E precisamos reajustar nossas definições sobre os "escolhidos". Os companheiros assim classificados não são especialmente favorecidos pela graça divina, que é sempre a mesma fonte de bênçãos para todos. Sabemos que a "escolha", em qualquer trabalho construtivo, não exclui a "qualidade", e se o homem não oferece qualidade superior para o serviço divino, em hipótese alguma deve esperar a distinção da escolha. Infere-se, pois, que Deus chama todos os filhos à cooperação em sua obra augusta, mas somente os devotados, persistentes, operosos e fiéis constroem qualidades eternas que os tornam dignos de grandes tarefas. E, reconhecendo-se que as qualidades são frutos de construções nossas, nunca poderemos esquecer que a escolha divina começará pelo esforço de cada um. (Missionários da Luz. Cap. 8. André Luiz. Psicografado por Chico Xavier).

 

Observação (3): Tão logo se verificou o regresso do Cordeiro às regiões da Luz, a comunidade cristã, de modo geral, começou a sofrer a influência do judaísmo, e quase todos os núcleos organizados, da doutrina, pretenderam guardar feição aristocrática, em face das novas igrejas e associações que se fundavam nos mais diversos pontos do mundo.

            É então que Jesus resolve chamar o espírito luminoso e enérgico de Paulo de Tarso ao exercício do seu ministério. Essa deliberação foi um acontecimento dos mais significativos na história do Cristianismo. As ações e as epístolas de Paulo tornam-se poderoso elemento de universalização da nova doutrina. (Vide: Gálatas 2:1-21; 28) (A caminho da Luz. Cap. 14. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier).

             

Observação (4): As antigas Escrituras não continham o qualificativo santo quando se falava do Espírito. Todos os Apóstolos reconheciam a existência de Espíritos, mas entre estes, bons e maus. (...)Foi só com a tradução das antigas Escrituras e constituição da Vulgata que esse qualificativo foi acrescentado, com certeza para fortificar o “Mistério da Santíssima Trindade”, tirado de uma lenda hindu, aventado por comentadores das Escrituras, que desde logo após a morte de Jesus, viviam em querelas, em discussões sobre modos de se interpretar as Escrituras. (...) O qualificativo Santo que se encontra na Bíblia para designar espírito bom, não deve absolutamente, ser interpretado como um ente misterioso, sibilino, que constitui a 3ª pessoa da S. S. Trindade. Mas sim, como sendo um Espírito adiantado, de bondade, de amor e sabedoria (Vida e atos dos Apóstolos. O Espírito santo e a ascensão de Jesus. Caibar Schutel).

 

Tabela - Os doze Apóstolos

Nome

Descrição *

Morte **

 Simão Pedro

 Era pescador, nascido em Betsaida (João 1:44). Filho de Jonas e irmão do apóstolo André (Mateus 4:18; 16:17). Pedro vivia com sua mulher e sua sogra em Cafarnaum (Lucas 4:38-39). Jesus o chamou de Cefas, que significa pedra (João 1:42).  É tido como o fundador da Igreja Cristã. (Mateus 16:18). Despontou como líder dos apóstolos. Foi o primeiro a reconhecer Jesus como o messias, filho de Deus (Mateus 16: 13-17). Usou a espada para defender Jesus das autoridades, mas depois o negou três vezes (João 18: 10-11; Mateus 26: 34-35, 69-75 ). Após o desencarne do mestre, curou um coxo de nascença (Atos 3: 1-10). Foi preso, juntamente com João e liberto, por causa do povo (Atos 4:1-22). Curou um paralítico chamado Enéias e ressuscitou Tabita (Atos 9:32-43).  Depois foi preso pelo rei Herodes Agripa, mas foi solto por um Anjo (Atos 12: 1-19).   

 Teria sido crucificado de cabeça para baixo a seu próprio pedido, por se sentir indigno de morrer da mesma forma que o seu Senhor havia morrido.

André

Era pescador, nascido em Betsaida (João 1:44). Filho de Jonas e irmão do apóstolo Pedro (Mateus 4:18; 16:17).  Era discípulo de João Batista, quando apresentou seu irmão Pedro para Jesus (João 1:40-42). Estava pescando no mar da Galiléia, com seu irmão, quando Jesus lhes disse para o seguir, que faria deles ''pescadores de homens'' (4:18-22).

Há uma tradição que André, após a difusão do Espírito, pregou em Patras, cidade da Grécia, e em Achaia .

Teria sido crucificado em uma cruz em forma de x, na Grécia.

Tomé

 Era filho de pescador, nasceu na Galiléia. Foi ele que perguntou a Jesus, durante a Última Ceia, sobre o caminho que conduz ao Pai: Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho? Diz-lhe Jesus: Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim (João 14:5-6). Ficou conhecido por ser um apóstolo incrédulo, pois quando os apóstolos contaram-lhe que Jesus havia aparecido, ele não acreditou. Precisou tocá-lo para crer (João 20:24-29).

Julga-se que Tomé foi pregar, após a dispersão, o Evangelho aos persas, hindus e árabes, ignorando-se as particularidades que salientariam o ministério desse

Apóstolo.

Teria sido morto pelo rei Milapura, na cidade indiana de Madras, por lanças de soldados.

Filipe

Era pescador, nascido em Betsaida  (João 1:44). Foi ele quem apresentou Jesus a Natanael, chamado também de Bartolomeu (João 1:43-51). Esteve presente na multiplicação dos pães (João 6:5-7). Depois do desencarne do Mestre ficou em Jerusalém até a dispersão dos Apóstolos. No caminho de Jerusalém para Gaza Filipe converteu um Eunuco (Atos 8:26-40). Indo, segundo a tradição, pregar o Evangelho na Frígia, recanto da Ásia Menor ao sul da Bitinia.

Conta uma tradição que ele morreu crucificado de cabeça para baixo, em Gerápolis, no tempo do imperador Domiciano.

Mateus

Era filho de Alfeu. Nasceu na Galiléia, era publicano, ou seja, cobrador de impostos, foi chamado por Jesus enquanto estava sentado numa mesa de impostos (Mateus 9:9). Pregava na Judéia e nos países vizinhos, até a dispersão dos Apóstolos, aproveitando os momentos de folga para escrever o seu Evangelho. Depois, dizem haver partido para o Oriente, pregando a nova Doutrina na Pérsia e na Etiópia.

Teria sido apedrejado, queimado e decapitado na Etiópia.

Bartolomeu

 Nasceu em Caná, na Galiléia. Era chamado também por Natanael (Obs.**). Estava embaixo de uma figueira, quando conheceu Jesus (João 1:43-51). 

Teria pregado o Evangelho na Arábia, na Pérsia, na Etiópias e depois na Índia, donde regressou para a

Liacônia passando depois a outros países.

Teria sido esfolado vivo e, depois, decapitado, por ordem do irmão do rei Polímio.

Tiago, o maior

Era pescador, filho de Zebedeu e Salomé, irmão do apóstolo João (Marcos 3:17). Estava com o irmão nas margens do mar da Galiléia, consertando as redes , quando Jesus os chamou (Mateus 4:18-22). Testemunhou a ressurreição da filha de Jairo (Marcos 5:37), a transfiguração de Jesus (Marcos 9:2-13).

Depois da ressurreição do Senhor, Tiago voltou para Jerusalém donde saíra, por ocasião da morte do Mestre, e pregou o Evangelho com tanto zelo que os

membros do Sinédrio exigiram de Herodes Agripa a morte do Apóstolo.

Foi decapitado por ordem do rei Herodes de Agripa (Atos 12:2).

Tiago, o menor.

 Era filho de Alfeu e de Maria Cleofas, que era prima-irmã de Maria, mãe de Jesus. Alguns estudiosos consideram que ele e Tiago o Justo, irmão do Senhor , ( citado em Marcos 6: 3; Gálatas 1:19) sejam a mesma pessoa (Obs.***). Portanto, consideram-no o autor da epístola do novo testamento,  que traz o seu nome (Tiago).

Teria sido condenado por se recusar a denunciar os cristãos, sendo apedrejado até a morte, por ordem do corpo religioso do Templo, dirigido pelo sumo sacerdote Ananias.

Simão, o Zelota

 Era nascido na Galiléia e chamado de Zelota ou cananeu.(Lucas 6:15).  Dizem que era integrante de grupo radical - os zelotes - que pregavam a libertação de Israel do domínio romano (obs.**).

O historiador grego Nicéforo diz que ele percorreu o Egito, a Cirenaica e a África; que anunciou a Boa Nova na Mauritânia e em toda a Líbia e depois nas ilhas Britânicas que fez muitos milagres, isto é, que era dotado de faculdades psíquicas, com o auxílio das quais produzia curas e outros fenômenos, que apoiavam suas prédicas.

O  apóstolo teria sofrido o  martírio durante o império de Trajano.

Judas Tadeu

Nascido em Caná de Galiléia, filho de Tiago (Lucas 6:16) . Judas Tadeu, diz Necéforo e Isidoro, após a difusão do Espírito, anunciou o Cristianismo aos povos da Líbia, aos da Pérsia e Armênia. Deixou uma epístola exortativa, que faz parte do Novo Testamento, em que convida seus discípulos a pelejarem pela fé e se armarem de obras boas que dêem sinal de purificação.

Devido à forma como foi martirizado, sempre é representado em suas imagens segurando um livro, simbolizando a palavra que anunciou, e uma machadinha, o instrumento de seu martírio.

João

Dizem que era o mais novo dos apóstolos. Filho do pescador Zebedeu e de Salomé (Mateus 27:56; Marcos 15:40). Nascido em Batsaida, na Galiléia. Conhecido como o discípulo que Jesus amava ,o único apóstolo que acompanhou Cristo até a morte na cruz, ao lado de Maria, mãe de Jesus, ocasião em que lhe foi confiada a tarefa de cuidar dela (João 19:26). Autor do quarto evangelho (que enfoca mais o aspecto espiritual de Jesus) e das epístolas (três cartas). Foi preso, juntamente com Pedro e liberto, por causa do povo (Atos 4:1-22).  Foi exilado na ilha de Patmos, onde escreveu o livro Apocalipse ( Apocalipse 1:9-20).

Morreu de morte natural, em Éfeso.  

Judas Iscariotes

Nascido em Kerioth, localidade da Judéia. Filho de Simão Iscariotes (João 6:71, 13:26). Traiu Jesus ao entregá-lo para as autoridades judaicas e romanas em troca de 30 moedas de prata. Sob o peso do remorso, devolveu o dinheiro e enforcou-se.(Lucas 22:21-23; 47-48; Mateus 27:3-10).

Suicidou-se por enforcamento.

Outro Apóstolo

Matias

Matias foi o substituto de Judas Iscariote no apostolado. Numa reunião em Jerusalém, propuseram dois nomes: José, chamado Barsabás, também conhecido como Justo, e Matias. Então tiraram a sorte e caiu sobre Matias (Atos 1:15-26).

Nada sabemos nos primeiros tempos sobre Matias, senão que ele foi um dos setenta e dois discípulos que o Senhor designou e enviou, dois a dois, adiante de si a todas as cidades e lugares que pretendia visitar. (Lucas 10:1-20).

Uma tradição, confirmada entre os gregos, refere que, após o Pentecostes, ele pregou o Evangelho na Capadocia e para o lado do Ponto Euxino.

Teria morrido martirizado e decapitado em Colchis, perto do Mar Negro.

Evangelistas

Marcos

Nos Evangelhos nada poderemos recolher de Marcos, a não ser o Evangelho de sua autoria. Não pertenceu ao grupo dos doze apóstolos. Estudiosos consideram que ele é aquele que aparece nos Atos como sendo um judeu de Jerusalém, chamado João, que tinha adotado o sobrenome romano, Marcos. Na primeira menção que dele se faz, vem o seu nome em relação com o de Pedro (Atos 12:12, 25; 15:37). Na carta dirigida a Timóteo, Paulo diz que Marcos é seu leal companheiro ( 2 Timóteo 4:10, Filemon 1:24). Marcos trabalhou muito, após a difusão do Espírito no Cenáculo.

Teria sido martirizado em Alexandria, e teve seu corpo arrastado por uma parelha de cavalos.

Lucas

O Evangelista Lucas, foi um dos grandes discípulos de Paulo. Nascido na Antióquia, exercia a medicina e afirmam ter sido um bom artista .Paulo o chamava de colaborador e de médico amado (Colossenses 4:14; Filemon 1:24). Dizem que não conviveu com Jesus, a sua narrativa é baseada em depoimentos de pessoas que testemunharam a vida do mestre. (Obs.**)

Existem várias versões sobre o local e como morreu. Uma versão registra que foi martirizado em Patras e, segundo outras, em Roma, ou ainda em Tebas.

 

Tabela - Referências bibliográficas:

Obs.*: - Evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas , João ; Atos dos Apóstolos , Apocalipse, 2Timóteo, Filemon e Colossenses.

- Vida e atos dos Apóstolos. Cairbar Schutel.

 Obs. **:  - http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/RolApost.html. Data da consulta: 20/08/14.

 Obs.***: - http://pt.wikipedia.org/wiki/Santiago_Menor#cite_note-2.

 

Bibliografia:

- O novo dicionário da Bíblia. J. D. Douglas. Pág. 67 e 353.

- Bíblia Sagrada. Edição Pastoral. Comentário de Lucas 6:12-16.

- A Gênese. Cap. 15. Item 9. Allan Kardec.

- Obras Póstumas. Item 6 - Opinião dos Apóstolos. 8. O verbo se fez carne. Allan Kardec.

- O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 21, item 9. Cap. 24, item 6. Allan Kardec.

- O Livro dos Espíritos. Questão 571. Allan Kardec.

- Vida e ato dos apóstolos. Comunidade Cristã. Poder e humildade dos apóstolos - a cura do coxo. O Espírito santo e a ascensão de Jesus. Caibar Schutel.

- Parábolas e ensinos de Jesus. 2ª Parte. Ensinos de Jesus - Os apóstolos. Cairbar Schutel.

- Paulo e Estevão. Cap. 3. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

- Missionários da Luz. Cap. 8. André Luiz. Psicografado por Chico Xavier.

- A caminho da Luz. Cap. 14. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier.

- Boa Nova. Os discípulos. O testemunho a Tomé. Espírito Humberto de Campos. Psicografado por Chico Xavier.

- Bíblia: Lucas 6:17; 11:49; Hebreus 3:1; Mateus 10:1,5,13,16-18,42, 11:1; 2 Coríntios 8:23; Filipenses 2:25, João 6:66, 19:25-26, Atos 1:3-5, 8, 4:32-35, Gálatas 2:1-21, 28; Marcos 16:15.