SERÁ QUE QUALQUER INTEGRANTE DO GRUPO ESPÍRITA ESTÁ APTO PARA ENSINAR AOS NOVOS APRENDIZES OS CONCEITOS ESPÍRITAS ?

Há muitas pessoas de boa vontade em grupos espíritas virtuais querendo ajudar o próximo com seus conselhos e ensinamentos que aprenderam no Espiritismo. No entanto, o ideal seria que os espíritas respondessem as perguntas com base nas obras espíritas,  utilizando as referências bibliográficas,  ou seja, indicando os livros espíritas, onde obteve a informação. A Doutrina Espírita deve ser divulgada com seriedade e não com  "achismos", para evitar distorções dos ensinamentos. Se estudarmos com profundidade, ou seja, fizermos pesquisas em sites confiáveis (Ex.: Kardecpedia, Bibliadocaminho, Passatempoespirita), que possuem o conteúdo das obras básicas e complementares, encontraremos as respostas para determinado assunto. No entanto, se não tivermos conhecimento aprofundado ou domínio sobre o tema, é melhor não fazermos comentários, pois as palavras usadas de forma equivocada podem causar confusões de entendimento...Geralmente, quando alguém faz uma pergunta ao grupo espírita está em busca de orientação e esclarecimento. No entanto, aqueles que respondem com opiniões pessoais ou misturam conceitos de outras religiões, divulgando informações erradas, podem deixar os aprendizes da Doutrina Espírita  confusos e desorientados. Além disso, a desinformação causa um grande prejuízo para o Espiritismo, pois  pode ocasionar desunião, conflitos de ideias e descrédito.

Segundo Allan Kardec, "Os adversários do Espiritismo não deixam de objetar que seus adeptos não se acham entre si de acordo; que nem todos partilham das mesmas crenças; numa palavra: que  se contradizem. Ponderam eles: se o ensino vos é dado pelos espíritos, como não se apresenta idêntico? Só um estudo sério e aprofundado da ciência pode reduzir estes argumentos ao seu justo valor." (O Livro dos Médiuns. Cap. 27. Item 297. Allan Kardec)

Por isso,  o espírita deve: "LER,  COMENTAR E  DESENVOLVER CADA ARTIGO  DE O  LIVRO DOS  ESPÍRITOS E  DE  O  LIVRO  DOS  MÉDIUNS,  ASSIM COM O  DE  TODAS  AS  OUTRAS OBRAS  SOBRE O  ESPIRITISMO. "   (Revista Espírita. Fevereiro de 1861. Escassez de Médiuns. Allan Kardec )

"ESTUDAI,  COMPARAI,  APROFUNDAI. Incessantemente vos dizemos que o conhecimento da verdade só a esse preço se obtém." (O  Livro dos Médiuns.  Cap.27.  Item  301.  Allan Kardec)

O Espírito de Verdade adverte: "Espíritas! Amai-vos, este é o primeiro ensinamento, instruí-vos este o segundo''. (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 6. Item 5. Espírito de Verdade/Allan Kardec)

De acordo com a Evangelizadora Cecília Rocha, " A ÚNICA EXIGÊNCIA EM TERMOS DE CONHECIMENTO, que se deve fazer em relação ao preparo daquele que se propõe a evangelizar, É DO DOMÍNIO PRÉVIO DO ESPIRITISMO.  Quem não tiver esse domínio não está em condições de atender aos objetivos da tarefa, ainda que possuidor de grande boa vontade. "(Pelos Caminhos da Evangelização. Cap. 12. Técnica e Sentimento.  Cecília Rocha)

Na sua época, Allan Kardec sugeriu regulamentos e normas da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas (primeira instituição espírita do mundo) para que haja disciplina e unidade dos princípios espíritas . Uma dessas normas recomenda:

"Art. 27 - Querendo manter no seu seio a unidade de princípios e o espírito de recíproca tolerância, a Sociedade poderá resolver a exclusão de qualquer de seus sócios que se constitua causa de perturbação, ou se lhe torne abertamente hostil, mediante escritos comprometedores para a Doutrina, opiniões subversivas, ou por um modo de proceder que ela não possa aprovar."(O Livro dos Médiuns. Cap. 30. Allan Kardec)

"A Doutrina Espírita não é secreta... Não tem mistérios para ninguém e se mostra à luz da publicidade. Não é mística nem abstrata nem ambígua, mas clara e ao alcance de todos; nada tendo de alegórico, não pode dar lugar a equívocos nem a falsas  interpretações; diz claramente o que admite e o que não admite. Os fenômenos cuja possibilidade reconhece, não são sobrenaturais nem maravilhosos, mas fundados nas leis da Natureza, de sorte que ela não faz milagres nem prodígios. Aquele, pois, que não a conhece, ou que se engana quanto às suas tendências, é porque não se quer dar ao trabalho de conhecê-la."  (Revista Espírita. Dezembro de 1865. Os romances espíritas. Allan Kardec)

"Cumpre não esqueçamos que, entre os Espíritos, há, como entre os homens, falsos sábios e semi-sábios, orgulhosos, presunçosos e sistemáticos. Como só aos Espíritos perfeitos é dado conhecerem tudo, para os outros há, do mesmo modo que para nós, mistérios que eles explicam à sua maneira, segundo suas idéias, e a cujo respeito podem formar opiniões mais ou menos exatas, que se empenham, levados pelo amor-próprio, por que prevaleçam e que gostam de reproduzir em suas comunicações. O erro está em terem alguns de seus intérpretes esposado muito levianamente opiniões contrárias ao bom-senso e se haverem feito os editores responsáveis delas. Assim, as contradições de origem espírita não derivam de outra causa, senão da diversidade, quanto à inteligência, aos conhecimentos, ao juízo e à moralidade, de alguns Espíritos que ainda não estão aptos a tudo conhecerem e a tudo compreenderem." (O Livro dos Médiuns. Cap. 27. Item 299. Allan Kardec)

Allan Kardec afirma: "Para remediar o inconveniente que acabo de assinalar, isto é, para prevenir as consequências da ignorância e das falsas  interpretações , é preciso cuidar da divulgação das ideias justas, de formar adeptos esclarecidos cujo número crescente neutralizará a influência das ideias erradas." (Revista Espírita. Novembro de 1864. O Espiritismo é uma ciência positiva. Allan Kardec)

De acordo com Léon Denis, " O Espiritismo será o que o fizerem os homens. (...) Ao contacto da Humanidade as mais altas verdades às vezes se desnaturam e obscurecem. Pode constituir-se uma fonte de abusos. A gota de chuva, conforme o lugar onde cai, continua sendo pérola ou se transforma em lodo. "(No invisível. Introdução. Léon Denis)

"Estamos sendo alertados do plano Mais Alto sobre esse aspecto do nosso Movimento, pois, dizem nossos superiores, SE NÃO NOS FIZERMOS VIGILANTES NESSE SENTIDO, EM POUCO TEMPO O MOVIMENTO ESPÍRITA, EMBORA CONSERVANDO O NOME, NADA TERÁ DE ESPIRITISMO. Reiterando despretensiosa sugestão, recomendaríamos uma grande campanha, para usar nomenclatura moderna, em torno da importância do estudo das obras básicas da Doutrina Espírita." (Angel Aguarod - mensagem recebida, pela médium Cecília Rocha, na FERGS, em 1978)

Passatempo Espírita © 2013 - 2024. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode