Progresso e caridade

O Progresso expandiu-se, enaltecendo o mundo.

Com integral desembaraço,

Máquinas cortam vastidões do Espaço,

Vencendo imensidões, de segundo a segundo.

 

 Não importa o engenho em que te escondas,

Para a realização de teus próprios misteres,

O radar marcará o sítio em que estiveres,

A palavra caminha sob as ondas.

 

 Impulsos eletrônicos, motores

E usinas de energias nucleares,

Tudo facilidade onde te achares,

Conforto e evolução, por onde fores.

 

 Por outro lado, em tudo se condensa,

O acesso à liberdade soberana,

Exalta-se o valor da inteligência humana,

Aclama-se o poder da grande imprensa.

 

 Mas no clima ideal nascido de altos gênios,

Ocultam-se os tacões e as lâminas da guerra,

Tentando obstruir os avanços da Terra,

Usando a mesma fúria de há milênios…

 

 Agitam-se no mundo os embates e as crises

De ódio, rebeldia, angústia e solidão…

Raciocínio se estranho ao coração

Não reconhece a dor dos infelizes.

 

 Há crianças vivendo nas calçadas,

Enfermos sem apoio, entre mães esquecidas,

A máquina porém, não vê milhões de vidas,

Aguardando socorro em todas as estradas.

 

 Eis porque na ascensão da Humanidade inteira,

Ao passo do Progresso em jornadas de luz,

A Caridade à frente é sempre fúlgida bandeira,

          Por presença do amor e amparo de Jesus.

(Uma vida de amor e caridade. Maria Dolores. Chico Xavier. Izabel Bueno)