Obsessores e tentações

Ao contato das ideias renovadoras que te bafejam, afirmas-te na disposição de estudar e servir, com vistas à sublimação que demandas.
 Muita vez, porém, te lamentas contra obsessores e tentações, imputando a eles fracassos e desencantos que te assoberbam. Uns e outros, contudo, são frutos de tua sementeira ou circunstâncias forjadas por teu próprio comportamento.
 Partindo do princípio de que somos mais ou menos indiferentes a todos aqueles que não conhecemos, apenas experimentamos atração ou aversão por aqueles Espíritos com os quais já convivemos nas existências passadas.
 Diante, pois, de nossos desafetos, convém profundo autoexame, para verificarmos até que ponto seremos nós e eles os perseguidores e os perseguidos.
 Por outro lado, ser-nos-á lícito classificar por seduções das trevas os impulsos inferiores que não cogitamos de arrancar ao âmago de nós mesmos?
 Achamo-nos entre obsessores e tentações à maneira de alunos entre colegas e percalços da escola. A ordem — confraternização e aprendizado.
 A palavra é agente de auxílio no entendimento com os irmãos que ainda não se afinam conosco, mas, o exemplo é a força que nos arrasta à desejada harmonização.
 A prece ser-nos-á socorro contra o império das sugestões deprimentes, todavia, ninguém extirpará tendências infelizes sem esforço máximo de auto-corrigenda.
 Não alegues a carga de influências destrutivas como sendo motivo a desânimo e frustração.
 Nunca olvidar que somente a luz vence a sombra, tanto quanto só o bem vence o mal.
(No portal da Luz . Espírito Emmanuel.  Psicografado por Chico Xavier)

Passatempo Espírita © 2013 - 2021. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode