O Monstro das cores

Este é o monstro das cores.
Hoje ele acordou se sentindo estranho, confuso, aturdido...
Não sabe muito bem o que lhe passa.
Enrolado de novo? (disse a dona do Monstro*)
Você não aprende nunca...
Quanta bagunça você fez com suas emoções!
Assim, todas emboladas, não funcionam.
Você tem que separá-las e colocá-las cada uma em seu pote.
Se quiser, te ajudo a organizar.
A alegria é contagiante.
Brilha como o sol, pisca como as estrelas.
Quando está alegre, você ri, pula, dança, brinca...
E tem vontade de compartilhar sua alegria com todo mundo.
A tristeza está sempre sentindo falta de algo.
É suave como o mar, doce como os dias de chuva.
Quando está triste (demais*), você se esconde e quer ficar só...
E não tem vontade de fazer nada.
A raiva arde como vermelho vivo e é feroz como o fogo, que queima forte e é difícil de apagar.
Quando está com raiva, você sente que cometeram uma injustiça e quer descarregar a fúria nos outros.
O medo é covarde.
Se esconde e foge como um ladrão na escuridão.
Quando tem medo, você se sente pequeno, insignificante...
E pensa que não conseguirá conseguir fazer o que te pedem.
A calma é tranquila como as árvores, leve como uma folha ao vento.
Quando você está calmo, respira pouco a pouco e profundamente.
Você se sente em paz.
Estas são suas emoções, cada uma tem uma cor diferente...
...e organizadas funcionam melhor.
Veja que bom! Já estão todas em seus lugares.
Mas... e agora?
Sabe dizer o que você está sentindo?
O monstro das cores não sabe o que se passa com ele. Fez uma bagunça com as suas emoções e agora precisa desembolar tudo.
Será capaz de por em ordem a alegria, a tristeza, a raiva, o medo e a calma?
(Autora: Anna LLenas. * observação acrescentada ao texto original)

Passatempo Espírita © 2013 - 2021. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode