Menino Jesus

        Tereza tinha nove anos. Muito estudiosa, adorava a leitura e fazia longas viagens imaginárias com os personagens dos livros que amava.        
        Dona Luiza era uma professora aposentada, vizinha da menina. Gostava muito dela, pois a conhecia desde que nascera. Teresa a visitava constantemente. Sabem por quê? Porque Dona Luiza era excelente contadora de histórias, e a menina ficava um tempo imenso ouvindo-a, sem sentir as horas passarem.        
        Um belo dia, quando Teresa chegou, ouviu da amiga o seguinte:      
        - Querida, hoje vou contar uma história diferente. De alguém que mudou o destino da Humanidade marcando o tempo antes e depois dele.      
        A menina logo se sentou na poltrona favorita, esperando, D. Luiza começou:        
        - Faz dois mil anos, mas parece que foi hoje, tão vivas são ainda para os homens as lições que Ele deixou. Era uma bela noite, o céu estava cheinho de estrelas. Uma criança acabara de nascer... Bela entre as mais belas... Onde estava ela? Por certo, num berço de rendas... Não! Repousava numa manjedoura, em uma cama forrada de palhas, na cidadezinha de Belém da Judéia. Junto ao berço, apenas animais e humildes pastores de ovelhas. Era Jesus que chegava à Terra, dando exemplo, desde esse momento, de uma humildade sem igual.      
        Os pais de Jesus, Maria e José, estavam felizes. Vieram de longe, para adorá-los, os três Reis Magos, porque eles que eram sábios, tinham certeza de que ali estava o salvador, o Messias Divino.         
        O rei da Judéia, Herodes, também ouviu falar em Jesus. Consultou os adivinhos da Corte e eles confirmaram que era o Messias esperado que havia chegado. Herodes, com medo de perder o trono, fez uma coisa que demonstrava uma crueldade sem limites: Mandou matar todas as criancinhas com até dois anos de idade. E Jesus? Para Ele não havia mais perigo. Na véspera das mortes, José, seu pai, teve um sonho, em que um espírito lhe aparecia, dizendo:        
        - Toma da mãe e da criança e leva-as para o Egito.        
        José não pensou duas vezes. Colocou Maria num burrinho, com o menino no colo e partiram, antes que acontecesse aquele horror.       
        A família ficou alguns anos no Egito, até que José sonhou novamente com o espírito, que lhe ordenava que voltasse à terra de Israel, pois Herodes já havia morrido. José então, voltou, estabelecendo-se em Nazaré.         
        O que mais sabemos de Jesus – menino? Que aprendera os segredos da carpintaria com seu pai; que era uma criança muito bonita  por dentro, pois tinha todas as virtudes que se possam enumerar. Embora de temperamento alegre, às vezes se punha a meditar, afastando-se do convívio de todos, o que causava certa preocupação a seus pais.        
        Uma vez, quando Ele tinha doze anos, por ocasião da festa da Páscoa, só foi encontrado pelos pais, após três dias, entre os doutores da lei, que estavam surpreendidos com a sua sabedoria, ao falar das Sagradas Escrituras.         
        Na ocasião, Jesus disse a seus pais:       
        - Estou a serviço de meu Pai que está nos céus.       
        Este era Jesus – menino.
(Fonte: https://evangelizacaoanafaf.blogspot.com/2011/09/vida-de-jesus-nascimento-e-infancia-0.html. Título original: Jesus - menino)

Voltar

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode