Entre irmãos

O Senhor nos disse com recomendação especial para rogarmos ao Pai, em oração “não nos deixeis cair em tentação, e livrai-nos do mal.”
Ele, porém, o Senhor, nos sabia livres, através de decreto dos Céus, concedendo-nos o livre arbítrio para agir, pensar, providenciar, fazer e determinar, entretanto nos recomenda rogar aos Poderes do Alto proteção, de certo, porque nos tinha em conta, por criaturas suscetíveis de queda e fraqueza, não transmissíveis, mas influenciáveis.
No entanto, quais sejam as tentações em que viermos a cair possivelmente. Quais seriam essas tentações? Ou são todas do íntimo de nós mesmos.
Sem pretensões de superioridade, porque o tempo e a experiência não nos conferem infalibilidade, peço-vos permissão para enumerar algumas dessas tentações por dentro de nós.
Senão vejamos:
Maldade.
Crueldade.
Violência.
Sensualismo.
Teimosia.
Revolta.
Libidinagem.
Estrupo.
Pedofilia.
Orgulho.
Ambições.
Inconformação.
Maledicência.
Imposição.
Embriaguez.
Uso e abuso de drogas medicinais.
Despotismo.
Traição.
Infidelidade.
Deslealdade.
Indisciplina.
Exploração dos assuntos sagrados.
Gula
A Teologia Cristã afirma que são sete os pecados mortais, mas as quedas por dentro são faltas que conduzem à morte prematura, são mais e muito mais.
Em vista disso o Senhor nos induz na ORAÇÃO DOMINICA a rogar proteção em nós mesmos a fim de não cair em tentação.
Irmãos, pensemos nisso pra nos valermos do tempo de que dispomos na benção do corpo físico, de modo a nos melhorarmos por dentro de nós mesmos.
Este é o depoimento de vosso amigo, igualmente falível, entretanto sempre vosso irmão que vos visita hoje e tantas vezes, o vosso pequenino servidor.
(Missão cumprida. Espírito Bezerra de Menezes.  Psicografado por Chico Xavier)

Passatempo Espírita © 2013 - 2021. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode