Em torno do livro espírita

O progresso de um povo surge no progresso da escola.

 Cresce a Civilização e racionaliza-se o imperativo da instrução.

 Há entretanto, práticas e diretrizes endereçadas à vida do corpo e da alma tanto quanto existem recursos específicos de orientação destinados ao aproveitamento do carro e ao senso do motorista.

 Daí, a necessidade da difusão e da sustentação do livro espírita na obra construtiva que lhe compete.

 

  O livro de arquitetura inspira o plano da residência.

  O livro espírita ilumina a pessoa, para que a pessoa integre a equipe familiar sem fracassos desnecessários.

  O livro de educação sexual informa, com segurança, sobre os fenômenos inerentes à vida genésica.

  O livro espírita imuniza contra as calamidades afetivas.

  O livro de puericultura traça roteiro à proteção da criança.

  O livro espírita, clareando os temas da reencarnação, guia, com êxito, a formação infantil.

  O livro técnico assegura a competência profissional.

  O livro espírita promove a respeitabilidade do trabalho.

  O livro de boas maneiras disciplina os gestos exteriores.

  O livro espírita cria a sinceridade.

  O livro de princípios aperfeiçoa a linguagem.

  O livro espírita dá crédito à palavra.

  O livro de indicações úteis previne dificuldades.

  O livro espírita garante a calma nas mais ásperas circunstâncias.

  Todo livro digno de apreço é agente precioso que auxilia a viver e a acertar. O livro espírita, no entanto, não apenas auxilia a viver e a acertar, mas igualmente a viver para o bem de todos, o que significa acertar sempre mais na conquista do próprio bem.

 (Fonte de paz. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)