Dinâmica - Tipos de terrenos

Objetivo:  Reconhecer as características dos 4 tipos de terrenos, descritos na parábola do semeador.

Participantes: Máximo 20 alunos. 

Tempo Estimado: 35min.

Material:  20 frases (imprimir em papel A4), Papel kraft (66cmx96cm),  canetinha (4 cores), tesoura, cola bastão, fita crepe.

Descrição: O Evangelizador deverá,  previamente, confeccionar 4 corações em papel kraft ( tamanho aproximado : 45cm x 30cm ) e escrever em cada um deles os seguintes títulos: "Terreno do caminho: os invigilantes e obsediados", " Terreno cheio de pedras: os preguiçosos e inconstantes", "Terreno cheio de espinhos: os egoístas e orgulhosos ", " Terreno bom: os humildes e caridosos". Deverá colocar os corações  na parede da sala de aula e fazer o seguinte comentário: "Para melhor auxiliar as pessoas devemos conhecer as suas características...Por exemplo: não adianta semear palavras belas e difíceis, se as pessoas são simples e analfabetas. Temos que fornecer o ensinamento conforme a capacidade de compreensão dos indivíduos. Sendo assim, hoje iremos conhecer as características dos 4  tipos de terrenos , descritos na Parábola do Semeador, para compreender as suas dificuldades e facilidades. " Neste momento, distribua uma frase para cada aluno e peça para fazer a leitura diante da turma, dizer que tipo de terreno é aquele e  colar no coração correspondente.

TERRENO DO CAMINHO: OS INVIGILANTES E OBSEDIADOS
-  Possuem dificuldade de concentrar ideias em motivos otimistas.
- Apresentam ausência de ambiente íntimo para elevar os sentimentos em oração ou concentrar-se em leitura edificante.
- Conservam indisposição inexplicável, tristeza sem razão aparente e pressentimentos de desastre imediato.
- Demonstram  pessimismos sub-reptícios, irritações surdas, queixas, exageros de sensibilidade e aptidão a condenar quem não tem culpa.
- Denotam ânsia de investir-se no papel de vítima ou de tomar uma posição absurda de automartírio.
(Frases adaptadas retiradas do livro: Estude e viva. Influenciações espirituais sutis. Espírito André Luiz.  Psicografado por Chico Xavier)

TERRENO CHEIO DE PEDRAS: OS PREGUIÇOSOS E INCONSTANTES
- Começam entusiasticamente, na trilha da obra, lançando arrojados planos de ação, e abandonam o apostolado nos alicerces, com receio do sacrifício.
- Chegam otimistas, louvando as perspectivas do trabalho, e deixam a tarefa, assim que lhe observam a complexidade e a extensão.
- Recolheram benefícios da seara e regressam a ela, prometendo auxílio e reconhecimento, mas largam-na, às vezes de improviso, tão logo se vejam chamados a aprender quanto custa o esforço da sementeira.
-  Formulam projetos avançados de renovação, sob o pretexto de se atender ao progresso, e retiram-se quando observam quanto suor e quanta distância existem sempre entre a teoria e a realização.
- Supõem na gleba um filão de recursos fáceis e fogem dela logo que tomam pessoalmente o peso da charrua de obrigações que lhes compete movimentar.
(Frases retiradas do livro: Rumo certo. Dentre os obreiros. Espírito Emmanuel.  Psicografado por Chico Xavier)

TERRENO CHEIO DE ESPINHOS: OS EGOÍSTAS E ORGULHOSOS
-  Habitualmente, apaixonam-se por exterioridades sociais e escolhem classe determinada para frequentar.
-  Isolam-se em grupo segregacionista, conquanto se suponham representantes da mais alta ortodoxia em matéria de opinião.
-  Acreditam muito mais em títulos transitórios do academicismo e em facilidades econômicas do que no valor substancial das pessoas.
-  Estimam espetáculos acima de serviço, e evidenciam apreço além do que é justo aos medalhões do mundo, à medida que se fazem mais distantes e envergonhados de quaisquer relações com os humildes.
-  Nas obras de beneficência, tratam irmãos em penúria como se fossem párias sociais, ao passo que se inclinam reverentes perante qualquer figura de relevo mundano de mérito duvidoso.
(Frases retiradas do livro: Estude e viva. Esnobismo. Espírito André Luiz.  Psicografado por Waldo Vieira)

TERRENO BOM: OS HUMILDES E CARIDOSOS
- Cumprem o dever que te cabe, sem intromissão nas tarefas alheias.
-  Perdoam sem alarde as ofensas; e oram por quem te persegue ou não compreende.
-  Procuram, cada dia, uma nova oportunidade de ser útil; e emitem bons pensamentos para todos os que te cercam.
-  Abstêm-se das conversações maliciosas ou indignas; não partilham o triste banquete da leviandade ou da calúnia.
- Escutam com calma quem te procura, trazendo inquietação ou veneno.
(Frases adaptadas retiradas do livro: Nosso livro. Bilhete amigo. Espírito Emmanuel.  Psicografado por Chico Xavier)

Comentário: Os corações humanos assemelham-se a glebas de plantio.
Muitos estão habilitados à recepção da verdade, à maneira do solo tratorizado pelas experiências da vida; outros, porém, se nos revelam por vales aprazíveis, mas incultos, inçados de escalracho e pedregulho contundente.
Todos, no entanto, carecem de auxílio, apoio, entendimento, atenção.
O ensinamento do Cristo não mostra qualquer traço de impaciência ou de irritação na imagem do semeador que saiu a semear. Ele auxiliou a terra, prestigiando-a com semente válida, sem se deter para censurar-lhe as deficiências. E naturalmente entregou o próprio trabalho à força do tempo, ou melhor, às leis de Deus que nos governam a vida.
Reflitamos na lição e distribuamos, em benefício do próximo, a esperança e a fé, o conhecimento e a compreensão de que já sejamos detentores e instrumentos. Sem pretensão e sem exigência. Sem desalento e sem pressa. Sem anotar os defeitos alheios e sem reclamar resultados imediatos.
Imaginemos o tempo que todos gastamos para acolher os escassos raios da verdade que atualmente nos clareiam a estrada, na direção do progresso, para a aquisição de mais luz. E aprendamos que não apenas nós, mas igualmente os outros — todos os outros filhos da Terra — se encontram abençoados e sustentados pelo amor onipresente de Deus. (Chico Xavier pede licença. Ante o campo da vida. Espírito Emmanuel.  Psicografado por Chico Xavier / J. Herculano Pires)

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode