Dinâmica - Sai, olho gordo!

Objetivo:  Decifrar qual é o significado da palavra inveja através de provérbios e ditados populares.   

Participantes:  Máximo 12  alunos.

Tempo Estimado: 15 min.

Material: Bilhetes com frases e saco plástico transparente.

Descrição: O Evangelizador deverá dobrar, antecipadamente,  os bilhetes com  provérbios e ditados populares, colocá-las dentro de um saco plástico transparente e escrever na lousa a seguinte frase: Sai, Olho Gordo! e desenhar um olho grande. Depois deverá  fazer a seguinte pergunta  para os alunos: " Qual é o significado desta expressão? (Obs. : Aguarde as respostas) Espera-se que os alunos falem sobre a inveja.  Então explique que você irá distribuir  uma frase para cada um  que contém um provérbio ou ditado popular  e que eles deverão decifrá-las,  isto é,  ler a frase em voz alta  e  tentar explicar  o seu significado  diante da turma.

 

Provérbios e ditados populares:

" A inveja é a arma do incompetente. "

“O invejoso emagrece de ver a gordura alheia”.

" Aos olhos da inveja todo sucesso é crime. "

" Não grite tua felicidade tão alto, pois a inveja tem sono leve".

“A inveja mata”.

“A tua inveja é a minha felicidade”.

“A inveja é como um sapo, tem olhos grandes e vive sempre na lama”.

"A inveja é como a ferrugem: corrói quem a tem".

"A inveja é a falta de fé em si. "

"Quem fala de mim tem inveja ou paixão".

"Onde reina a inveja, não pode haver a virtude... ".

"A inveja toma todas as formas para ferir"

Obs. : Caso o aluno tenha dificuldade em decifrar o provérbio ou  ditado popular os outros  colegas  ou o próprio Evangelizador poderão ajudá-lo.

Comentário: Segundo a infopédia a palavra inveja significa:  Desejo de possuir algo  que outra pessoa possui  ou de usufruir de uma situação semelhante  à de outrem ( geralmente acompanhado de animosidade  face a que detém  o objeto  de cobiça  e de vontade  de que  esse outrem  não o tivesse) (https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/inveja)

Segundo o Espírito Hammed, "A inveja é o extremo oposto da admiração. É uma ferramenta cômoda que usamos sempre que não queremos assumir a responsabilidade por nossa vida. Ela nos faz censurar e apontar as supostas falhas das pessoas, distraindo-nos a mente do necessário desenvolvimento de nossas potencialidades interiores. Em vez de nos esforçarmos para crescer e progredir, denegrimos os outros para compensar nossa indolência e ociosidade.

Não há nada a nos censurar por apreciarmos os feitos das pessoas e/ou por a eles aspirarmos; o único problema é que não podemos nos comparar e querer tomar como modelo o padrão vivencial do outro.

A inveja e a censura nascem da auto-rejeição que fazemos conosco, justamente por não acreditarmos em nossos potenciais evolutivos e por procurarmos fora de nós as explicações de como deveremos sentir, pensar, falar, fazer e agir, ora dando uma importância desmedida aos outros, ora tentando convencê-los a todo custo de nossas verdades. "(As dores da alma. Inveja. Espírito Hammed. Francisco do Espírito Santo Neto)

(Baseada em autor desconhecido)