Dinâmica - Ressurreição: três significados

Objetivo: Saber o significado da palavra "ressurreição" nos trechos bíblicos, tendo em vista que esta palavra possui três significados diferentes, dependendo do contexto.
Participantes: Máximo 12 alunos (duplas).
Tempo Estimado: 30 min.
Material: 6 trechos bíblicos (imprimir em papel A4), lousa e giz (ou cartolina e canetinha).
Descrição: O Evangelizador deverá anotar a seguinte explicação na lousa:
Palavra "RESSURREIÇÃO" - três significados na Bíblia:
1. "sair do estado de letargia" (recuperação)
2. "renascer em outro corpo" (reencarnação)
3. "aparecer com o corpo espiritual" (aparição)
Depois deverá distribuir um trecho bíblico diferente para cada dupla e pedir para leiam o texto diante da turma e expliquem qual é o significado da palavra "Ressurreição" em destaque (letras maiúsculas): Significa "sair do estado de letargia" (recuperação), "renascer em outro corpo" (reencarnação), ou "aparecer com o corpo espiritual" (aparição)? Além disso, peça para substituir a palavra em destaque pelo seu verdadeiro significado...Após a leitura de cada trecho bíblico, o Evangelizador deverá fazer um comentário.


1.Trechos Bíblicos - RECUPERAÇÃO:
"Jesus enviou estes doze, e lhes ordenou, dizendo:
(...) Curai os enfermos, limpai os leprosos, RESSUSCITAI os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai." (Mateus 10:5,8)
Substituir por: RECUPERAI.
Comentário: Jesus se refere à possibilidade de ressuscitar os mortos, despertando todos aqueles que se cadaverizam no erro, havendo perdido contato com a existência, por estarem  mergulhados nas sombras da ignorância e da criminalidade, nas quais exaurem as forças vitais e entram em decomposição moral... Por outro lado, pode-se entender também aqueles que foram vítimas da morte aparente pela letargia ou catalepsia, à Sua época consideradas como término da existência física. (Jesus e o Evangelho à luz da psicologia profunda. Cap. 34. Espírito Joanna de  ngelis. Psicografado por Divaldo P. Franco)

"Havia em Joppe uma discípula, por nome Tabitha, que quer dizer Dorcas; esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. Naqueles dias, adoecendo ela, morreu; e depois de a levarem, puseram-na no cenáculo. (...) Pedro, pedindo a todos que saíssem do quarto, ajoelhou-se e orou; e voltando-se para o corpo disse: “Levanta-te, Tabitha!”, e ela abriu os olhos. Quando viu Pedro, sentou-se.  Pedro estendeu-lhe a mão, ajudou-a a pôr-se de pé e, chamando os crentes e as viúvas, apresentou-lha RESSUSCITADA." (Atos 9: 36,37,40-41)
Substituir por: RECUPERADA.
Comentário:  As boas obras são o grande atrativo dos Espíritos do Senhor. A caridade que obra com humildade, não pode deixar de atrair as Potestades Celestes. Se Dorcas não tivesse boas obras não teria certamente merecido a proteção dos discípulos, os testemunhos das viúvas, a presença de Pedro e a assistência do Espírito mensageiro de Jesus, que operou, com o auxílio de Pedro, para a sua “ressurreição”. Esses casos de “ressurreição” não se deram, como se vê, só no tempo em que  Jesus predicava, mas também no tempo dos discípulos. Em Dorcas (Tabita), como nos demais, não havia, tal como se observa, a desligação completa do Espírito do corpo.  Havia algum laço fluídico que ainda não havia rompido, e a ação espiritual, por intermédio de Pedro, conseguiu a volta da mulher já quase exânime. (Vida e atos dos apóstolos. Pedro ressuscita a Dorcas. Cairbar Schutel)

2.Trechos Bíblicos - REENCARNAÇÃO:
"Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do filho de Deus, e os que a ouvirem viverão.
(...)Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz.
E os que fizeram o bem sairão para a RESSURREIÇÃO da vida; e os que fizeram o mal para a RESSURREIÇÃO da condenação." (João 5:25,28-29)
Substituir por: REENCARNAÇÃO.
Comentário: (...) Jesus promete a vida aos mortos que ouvirem a voz do Filho de Deus, e acrescenta que todos os que estão nos sepulcros ouvi-la-ão; do que resulta que todos os mortos, sem exceção, estão chamados a renascer, a reviver. O renascimento, porém, não será em idênticas condições para todos os Espíritos; os que fizeram o bem, irão para a ressurreição da vida, irão continuar em outra existência o seu progresso pelo mérito, e, os que fizeram o mal, ressurgirão para a condenação, a fim de repararem o tempo perdido nos gozos impuros da matéria. (Roma e o Evangelho. Cap. 3. Compilado por D. José Amigo y Pellícer)
"João, o que batizava, RESSUSCITOU dentre os mortos, e por isso estas maravilhas operam nele." (Marcos 6:14)
Substituir por: REENCARNOU.
Comentário: O profeta Malaquias disse: "Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor". (Malaquias 4:5). Após, aproximadamente, 900 anos, Jesus disse: "Eu, porém, vos declaro que Elias já veio, e não o reconheceram; antes, fizeram com ele tudo quanto quiseram. Assim também o Filho do Homem há de padecer nas mãos deles. Então, os discípulos entenderam que lhes falara a respeito de João Batista. " (Mateus 17:12-13)
Reencarnou-se o espírito de Elias e com o novo corpo material chamou-se João Batista. Confirmando isto,  podemos notar em João Batista a mesma rudeza, a mesma independência de palavras e atos e a mesma coragem de Elias.  (O Evangelho dos Humildes. Cap. 11. Eliseu Rigonatti).

3.Trechos Bíblicos - APARIÇÃO:
"E há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes, e outra, a dos terrestres. Semeia-se corpo animal, RESSUSCITARÁ corpo espiritual. Se há corpo animal, há também corpo espiritual. "(1Corintios 15:40, 44)
Substituir por: APARECERÁ.
Comentário: O corpo perispirítico (espiritual) e o corpo carnal têm pois origem no mesmo elemento primitivo ( o fluido universal); ambos são matéria, ainda que em dois estados diferentes.  (A Gênese. Cap. 14. Itens 7 e 8. Allan Kardec). O laço ou perispírito que une corpo e Espírito é uma espécie de invólucro semimaterial. A morte é a destruição do invólucro mais grosseiro. O Espírito conserva o segundo, que constitui para ele um corpo etéreo, invisível para nós no seu estado normal, mas que ele pode tornar acidentalmente visível e mesmo tangível, como se verifica nos fenômenos de aparição. (O Livro dos Espíritos.  Introdução. Item . 6. Allan Kardec) Os  “mortos” também ressuscitam em corpo espiritual. (...) A Imortalidade não é apanágio do corpo material, mas sim do corpo fluídico, celeste, espiritual. (Parábolas e ensinos de Jesus. A ressurreição de Lázaro. Allan Kardec)

"Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia RESSUSCITE. " ( Lucas 24:7)
Substituir por: APAREÇA.
Comentário: Todos os evangelistas narram as aparições de Jesus, após sua morte, com circunstanciados pormenores que não permitem se duvide da realidade do fato. (A Gênese. Cap. 15. Item 61. Allan Kardec) Um dos trechos do Evangelho descreve o acontecimento da seguinte maneira: "Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco. E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho." ( Lucas 24:36-39) Se notarmos as circunstâncias em que se deram as suas diversas aparições, nele reconheceremos, em tais ocasiões, todos os caracteres de um ser fluídico. Aparece inopinadamente e do mesmo modo desaparece. (...) todas as suas atitudes, numa palavra, denotam alguma coisa que não é do mundo terreno. Sua presença causa simultaneamente surpresa e medo; ao vê-lo, seus discípulos não lhe falam com a mesma liberdade de antes; sentem que já não é um homem. Jesus, portanto, se mostrou com o seu  corpo perispirítico, o que explica que só tenha sido visto pelos que ele quis que o vissem. (A Gênese. Cap. 15. Item 61. Allan Kardec)

Comentário final: (...) A ressurreição dá ideia de voltar à vida o corpo que já está morto, o que a ciência demonstra ser materialmente impossível, sobretudo quando os elementos desse corpo já se acham desde muito tempo dispersos e absorvidos. A reencarnação é a volta da alma ou Espírito à vida corpórea, mas em outro corpo especialmente formado para ele e que nada tem de comum com o antigo. A palavra ressurreição podia assim aplicar-se a Lázaro, mas não a Elias, nem aos outros profetas. (...)João, pois, podia ser Elias reencarnado, porém, não ressuscitado. (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 4. Item 4. Allan Kardec) Já no trecho em que Pedro diz:" Pois também Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus. Ele foi morto no corpo, mas vivificado pelo Espírito,  no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão..." (1Pedro 3:18-19), o apóstolo deixa bem claro que o corpo de Jesus estava morto, porém o seu Espírito continuou vivo após a morte e ainda pregou para Espíritos em prisão, portanto não há ressurreição da carne, o que ocorreu foi a aparição do seu Espírito imortal.

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode