Dinâmica - Religião interna X Religião externa

Objetivo: Saber a diferença de conceito entre a religião interna e religião externa (religião e religiões).
Participantes: Máximo 16 alunos.
Tempo Estimado: 20 min.
Material: Cartolina, frases (papel A4), canetinha, cola bastão, fita crepe.
Descrição: O evangelizador deverá escrever, antecipadamente, cada frase num pedaço de papel. E depois  deverá, dividir a cartolina em duas colunas, onde deverá estar escrito " Religião interna" e "Religião externa".  Na sala de aula, deverá colar a cartolina sobre a parede e fazer o seguinte comentário:
 Hoje vamos falar sobre dois tipos de conceitos diferentes sobre a palavra "religião". Segundo o Espírito Emmanuel, "O que se faz preciso, em vossa época, é estabelecer a diferença entre religião e religiões. A religião é o sentimento divino que prende o homem ao Criador. As religiões são organizações dos homens, falíveis e imperfeitas como eles próprios. (Livro : Emmanuel. Cap. 4-  Religião e religiões.  Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier ) . Sendo assim, vocês receberão as definições desses dois tipos de religião, que foram denominadas de religião interna e religião externa; e  terão que analisar qual delas possui as características descritas nos bilhetes.  Além disso, diante da turma, os alunos deverão explicar as suas características e colar cada uma delas na coluna correspondente da cartolina.
Obs.: Caso não saiba o significado da palavra, poderá procurar no dicionário ou o Evangelizador poderá explicá-la.

Religião interna:
Revela a verdade
Possui sentimento sublime
Religa a Deus
Transmite amor
Segue as leis divinas
Alia-se a ciência
Aperfeiçoa o templo interno
É imutável

Religião Externa:
Acredita em Dogmas
Possui aparências de pureza
Confia nos sacerdotes
Pratica culto exterior
Segue os rituais
Contradiz a ciência
Valoriza o templo externo
Modifica-se sempre

Comentário: A palavra "religião" deriva do latim religare,  que significa religar, ligar  novamente, isto é, restabelecer a ligação perdida com Deus. Neste sentido,  Jesus Cristo nos deixou uma religião, que são as leis divinas, isto é, a verdade, que nos permite religar a Deus. Em contrapartida, as religiões criadas pelos homens são imperfeitas. Segundo o Espírito Emmanuel, " são como gotas de orvalho celeste, misturadas com os elementos da terra em que caíram. Muitas delas, porém, estão desviadas do bom caminho pelo interesse criminoso e pela ambição lamentável dos seus expositores; mas a verdade um dia brilhará para todos, sem  necessitar da cooperação de nenhum homem. (Livro : Emmanuel. Cap. 4-  Religião e religiões.  Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier ) Aliás, quando todos cumprirem as leis divinas, não haverá mais religiões distintas. Jesus disse: "Em verdade, afirmo-te que virá um tempo em que não se adorará a Deus nem neste monte, nem no templo suntuoso de Jerusalém, porque o Pai é Espírito e só em espírito deve ser adorado." (Boa Nova. Jesus na Samaria. Espírito Humberto de Campos. Psicografado por Chico Xavier / João 4:21,23)
A verdade absoluta, é una e indivisível - é Deus. Todas as manifestações da verdade procedem do mesmo foco, do mesmo centro: a divina substância. Quem busca a verdade busca a Deus.
A Ciência e a Religião são manifestações da verdade absoluta; emanam de Deus e volvem a Deus.
A religião é a ciência, e a ciência é a religião; são, permita-se-nos a expressão, o fio condutor que comunica a criatura com o Criador.
A ciência que não conduz a Deus, é falsa - a religião que não marcha com a ciência, não é verdadeira religião. (Roma e o Evangelho. Cap. 1. Compilado por D. José Amigo y Pellícer)
O objetivo da religião é conduzir a Deus o homem. Ora, este não chega a Deus senão quando se torna perfeito. Logo, toda religião que não torna melhor o homem, não alcança o seu objetivo. Toda aquela em que o homem julgue poder apoiar-se para fazer o mal, ou é falsa, ou está falseada em seu principio. Tal o resultado que dão as em que a forma sobreleva ao fundo. Nula é a crença na eficácia dos sinais exteriores, se não obsta a que se cometam assassínios, adultérios, espoliações, que se levantem calúnias, que se causem danos ao próximo, seja no que for. Semelhantes religiões fazem supersticiosos, hipócritas, fanáticos; não, porém, homens de bem. Não basta se tenham as aparências da pureza; acima de tudo, é preciso ter a do coração. (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 8. Item  10. Allan Kardec)
"O Espiritismo é chamado a desempenhar imenso papel na Terra. Ele reformará a legislação ainda tão frequentemente contrária às leis divinas; retificará os erros da História; restaurará a religião do Cristo, que se tornou, nas mãos dos padres, objeto de comércio e de tráfico vil; instituirá a verdadeira religião, a religião natural, a que parte do coração e vai diretamente a Deus, sem se deter nas franjas de uma sotaina, ou nos degraus de um altar."  (Obras Póstumas. 2° parte. Futuro do Espiritismo.  Allan Kardec)

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode