Dinâmica - Reação emocional

Objetivo: Saber como deveria ser a nossa reação emocional diante de uma agressão verbal feita por meio de piada e aprender como deveríamos avaliar uma situação assim.
Participantes: Indefinido.
Tempo Estimado: 20 min.
Material: 3 frases escritas em 3 cartazes (imprimir em papel A4) e fita crepe.
Descrição: O Evangelizador deverá imprimir, separadamente, as 3 frases em 3 folhas de papel sulfite e iniciar a dinâmica na sala de aula, lendo o seguinte texto abaixo:

TEXTO:
"No Oscar de 2022, ocorreu um grande escândalo: o ator Will Smith deu um tapa no rosto do apresentador e comediante Chris Rock. A agressão veio logo após o comediante fazer uma piada sobre a cabeça raspada de Jada Pinkett Smith, mulher de Will. A atriz passou a raspar a cabeça por causa de alopecia, uma doença que provoca queda de cabelo. "
Este acontecimento provocou uma grande discussão nas redes sociais:  as pessoas analisaram o fato e tiveram opiniões diferentes sobre o ocorrido. Neste momento, leia as frases, que estão escritas nos cartazes (conforme a ordem numérica) e logo em seguida coloque-os na parede, dando um espaço de aproximadamente 50cm entre eles:
1. Muitos aprovaram a atitude violenta de Will Smith, alegando que ele apenas defendeu a sua mulher, da agressão verbal de Chris Rock, demonstrando o seu amor.
2. Outros condenaram a atitude violenta de Will Smith, dizendo que ele poderia ter agido de outra forma, portanto deveria ser punido.  
3. Alguns disseram que os dois deveriam ser punidos, pois Chris Rock fez uma piada com humor mórbido (ofensiva) e  Will Smith agiu com violência física.
Vocês concordam com qual opinião? Peça para cada adolescente se direcionar para o local onde está colado o cartaz que define  a sua opinião  e ficar na frente dele.  

RESPOSTA: A alternativa 3 está correta.  "Dois casos delicados da natureza humana: de um lado, o humor mórbido, que faz graça (sem graça nenhuma!) com a dor humana, com a exposição do outro ao ridículo e ao desconforto. Imoral e grave, por ter tido tempo entre o planejamento e a execução, tempo suficiente para que as consequências pudessem ser avaliadas.
(...)De outro lado, temos a impulsividade de Will Smith. Somos obrigados, simultaneamente, a entender a sua dor e a condenar sua atitude, pois todos já sentimos na pele as consequências da perda do autocontrole nas nossas vidas. Sabemos o quanto dói, constrange e humilha. Se um cão late para nós, não devemos latir para ele de volta; não somos cães. Perder o controle é responder às circunstâncias de forma irracional, sem senso ou critério humano, o que fere nossa dignidade e nos expõe. "(Autora: Lúcia Helena Galvão. Fonte: Página do Facebook - Poesia filosófica)

RESULTADO: Will Smith  reconheceu o seu erro e pediu desculpas para Chris Rock, dizendo assim:
"A violência em todas as suas formas é venenosa e destrutiva. Meu comportamento no Oscar de ontem à noite foi inaceitável e imperdoável. Piadas às minhas custas fazem parte do trabalho, mas uma piada sobre a condição médica de Jada era demais para mim e reagi emocionalmente. Eu gostaria de me desculpar publicamente com você, Chris. Eu estava fora de linha e estava errado. Estou envergonhado e minhas ações não foram indicativas do homem que quero ser. Não há lugar para violência em um mundo de amor e bondade..."
Além disso, Will Smith recebeu a punição da Academia e foi banido do Oscar por 10 anos. Ele disse que aceita e respeita a decisão da Academia. Aliás, antes do anúncio da decisão, Smith já havia renunciado como membro da Academia, ou seja, já havia punido a si mesmo por causa do seu remorso. Chris Rock não pediu desculpas a Will Smith e também  não recebeu nenhuma punição da Academia, talvez porque já tenha recebido a punição do tapa na cara e a humilhação pública. Foi justa a punição que cada um recebeu? Somente Deus poderá avaliar...Espero que algum dia eles possam se reconciliar...

Comentário final: Devemos fazer outra reflexão: "A questão é que a maioria de nós tem seu “ponto de corte”, ou seja, o limite do que seríamos capazes de suportar, o que varia muito, de pessoa para pessoa. Ampliar esse limite, não deixar que as circunstâncias nos roubem a nós mesmos, tudo isso é resultado de treino diário, de fortalecimento de caráter que devemos construir dia a dia, ao longo da vida. Quando um companheiro humano de jornada comete este erro, deveríamos ter ao mesmo tempo compaixão em relação a ele e mais atenção em relação a nós mesmos. Que o fato seja um fator de amadurecimento para todos, pois, ao invés de criticarmos ou aprovarmos, podemos olhar para a experiência do outro com o olhar de aprendizes.
Logo, como síntese, eu proponho duas perguntas, e espero que as responda silenciosamente, apenas para si próprio, mas que reflita sobre as respostas sob o ponto de vista da dignidade humana: eu já ri da dor alheia? Eu já perdi o controle diante de provocações? Assim, ao invés de julgarmos o outro, crescemos graças ao outro." (Autora: Lúcia Helena Galvão. Fonte: Página do Facebook - Poesia filosófica) Devemos aprender com os erros dos outros e sermos pessoas pacíficas, Jesus recomendou: "Não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra". (Mateus 5:39)
Allan Kardec fez a seguinte pergunta aos Espíritos:
Incorre em culpa o homem, por estudar os defeitos alheios?
“Incorrerá em grande culpa, se o fizer para os criticar e divulgar, porque será faltar com a caridade. Se o fizer, para tirar daí proveito, para evitá-los, tal estudo poderá ser-lhe de alguma utilidade. Importa, porém, não esquecer que a indulgência para com os defeitos de outrem é uma das virtudes contidas na caridade. Antes de censurardes as imperfeições dos outros, vede se de vós não poderão dizer o mesmo. Tratai, pois, de possuir as qualidades opostas aos defeitos que criticais no vosso semelhante. Esse o meio de vos tornardes superiores a ele. Se lhe censurais a ser avaro, sede generosos; se o ser orgulhoso, sede humildes e modestos; se o ser áspero, sede brandos; se o proceder com pequenez, sede grandes em todas as vossas ações. Numa palavra, fazei por maneira que se não vos possam aplicar estas palavras de Jesus: Vê o argueiro no olho do seu vizinho e não vê a trave no seu próprio.” (O Livro dos Espíritos. Questão 903. Allan Kardec)
(Baseada no texto da professora de filosofia Lúcia Helena Galvão. Fonte: Página do Facebook - Poesia filosófica e nos sites: https://exame.com/pop/apos-ser-banido-do-oscar-por-10-anos-will-smith-se-pronuncia/; https://g1.globo.com/pop-arte/cinema/oscar/2022/noticia/2022/03/28/will-smith-pede-desculpa-a-chris-rock-por-tapa-na-cara-no-oscar-eu-estava-errado.ghtml  - Data da pesquisa: 29-04-22)

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode