Dinâmica - Paciência diante das turbulências

Objetivo: Mostrar que devemos manter a paciência diante das turbulências da vida para que não sejamos uma bomba dentro de casa, que explode diante de qualquer dificuldade, comprometendo a vida daqueles que mais amamos.
Participantes: Indefinido.
Tempo Estimado: 15 minutos.
Material: uma garrafa de água e uma garrafa de água com gás (de 500ml ou 600ml lacradas), 2 etiquetas adesivas, canetinha, pano de chão .
Descrição: O Evangelizador deverá, previamente, escrever as seguintes palavras em cada etiqueta adesiva: PACIÊNCIA e CÓLERA. Logo depois, deverá retirar os rótulos das garrafas, e colar a etiqueta escrito "PACIÊNCIA" na garrafa com água e a etiqueta escrito "CÓLERA"  na garrafa com água com gás. Na sala de aula, coloque as duas garrafas sobre a mesa e faça o seguinte comentário: Estas duas garrafas representam dois tipos de pessoas, uma que possui muita paciência e a outra que está repleta de cólera, ou seja, cheia de raiva. Existem situações  na nossa vida que poderão nos deixar muito irritados, se não aprendermos a cultivar a paciência. Nesta existência poderemos passar por diversos tipos de turbulências, que poderão nos causar perturbações, se permitirmos...Por exemplo: uma doença que incomoda, uma decepção amorosa,  prejuizos de ordem material, incompreensões na família, provocações de pessoas perturbadas...(Obs.: No momento em que disser cada exemplo, agite as garrafas). Em seguida, passe a vez para o aluno: E você "fulano" (diga o nome do aluno), o que te deixa irritado? Por favor, não cite o nome de pessoas. (Aguarde a resposta e peça para ele agitar a garrafa de água com gás). Depois pegue a garrafa e diga: As turbulências mexem com as nossas emoções. Aquele que não consegue controlá-las é semelhante a bomba de estopim curto, pronta a explodir a qualquer contato com algo que lhe perturbe. Quanto mais colérico estiver , maior será a explosão. (Neste momento, abra a garrafa de água com gás e a direcione para um local onde não estejam os alunos, pois ela irá explodir). E você "ciclano" (diga o nome do aluno), o que poderia te deixar irritado, porém você não permite? Por favor, não cite o nome de pessoas. (Aguarde a resposta e peça para ele agitar a garrafa de água). Depois pegue a garrafa e diga: Apesar de passar por turbulências,  não sofreu grandes impactos emocionais. Aquele que possui controle emocional, jamais se deixa perturbar pelas dificuldades da vida. Diante do obstáculo, permanece calmo e sereno, pois possui muita paciência. (Neste momento, abra a garrafa de água e mostre que a água permanece do mesmo jeito).   
Obs.: Depois de aplicar a dinâmica utilize o pano para enxugar o chão.
Comentário final: Não farias explodir uma bomba dentro de casa, comprometendo a vida daqueles que mais amas. No entanto, por vezes, não vacilamos em detonar a dinamite da cólera, aniquilando as energias dos companheiros que nos trazem apoio e cooperação.
Nesse sentido, vale destacar que cada um de nós desempenha papel determinado na construção do benefício comum. (Encontro marcado. Cólera e nós. Espírito Emmanuel.  Psicografado por Chico Xavier)
A cólera é comparável a uma implosão mental de consequências imprevisíveis.
Quando te sintas sob a ameaça de semelhante flagelo, antes de falar ou escrever, usa o método conhecido de permanecer em silêncio contando até cem.
Se os impulsos negativos continuam, afasta-te para um lugar à parte e faze uma oração que te reequilibre.
Notando que a medida não alcançou os fins necessários, busca um recanto da natureza, onde encontres plantas e flores, cujas emanações te balsamizem o espírito.
Na hipótese de não retornares à tranquilidade, procura algum templo religioso e confia-te novamente à prece, esforçando-te para que a paz te fale no coração.
No entanto, se essa providência ainda falhar, dirige-te a um remédio amigo que, com certeza, te aliviará com sedativos adequados, a fim de evitares a implosão de tuas próprias forças. (Luz e vida. Implosão mental. Espírito Emmanuel.  Psicografado por Chico Xavier)
No trânsito da vida, quando te apareçam entraves e fracassos, não te esqueças de que a paciência é o passaporte suscetível de assegurar-te livre passagem através de todas as dificuldades e travessias.
Se estás doente, não será com o desespero que aproveitarás o remédio que se te administra.
Se experimentaste algum desgosto, a irritação não te afastará do íntimo a nódoa de sombra.
Se sofreste prejuízos de ordem material, não será parando em acusações e gritaria que conseguirás a restauração dos próprios recursos.
Se atravessas incompreensões em família, de modo algum te livrarás de semelhantes atropelos, multiplicando reclamações e exigências.
Se essa ou aquela pessoa querida se te mostra perturbada, a ponto de ferir-te, não será martelando-lhe o crânio que lhe traçarás o processo da cura.
Cultivando paciência, no cotidiano, transportarás contigo a força capaz de vencer todos os obstáculos que, porventura, te agridam a existência. (Joia. O selo da paz. Espírito Emmanuel.  Psicografado por Chico Xavier)
(Baseada em autor desconhecido)

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode