Dinâmica - O Semáforo

Objetivo: Saber como agir adequadamente diante da emoção raiva, que pode  surgir quando nos sentimos ameaçados.

Participantes: Indefinido.

Tempo Estimado: 20 min.

Material: Desenho do semáforo (colorido),  papel sulfite, lápis de escrever.

Descrição: O Evangelizador deverá distribuir para cada aluno a metade de um papel sulfite e lápis de escrever. Logo em seguida, deverá colocar um cartaz com o desenho de um semáforo na parede da sala de aula e dizer o seguinte para todos: "Hoje vamos aprender como podemos conquistar o equilíbrio das nossas emoções. Toda vez que você ficar irritado, lembre-se do sinal de pare, da luz vermelha do semáforo, então acalme-se e pense antes de agir. Depois que se acalmou, lembre-se da luz amarela e pense em várias possibilidades, em várias coisas que podem ser feitas diante da situação e  nas consequências dessas escolhas. E, então, logo após essa reflexão, você pode acender a luz verde, que representa a melhor escolha, isto é, você seleciona a melhor conduta que será colocada em prática.  

Agindo desse modo, você evitará ações  erradas e precipitadas e colherá os frutos desse equilíbrio emocional que você conquistou. (1) Em provérbios está escrito: "Não é bom agir sem refletir; e o que se apressa com seus pés erra o caminho."  (Provérbios 19:2)

Para que compreenda melhor, vamos fazer um exercício: imagine que alguém colocou um apelido maldoso em você, diante deste fato você pode sentir raiva  e querer agir imediatamente , da mesma forma ou até pior, respondendo com ofensas ou agressões físicas , no entanto, se você se lembrar do sinal vermelho e se acalmar , pensando nas consequências dessas ações precipitadas,  perceberá que não é a melhor atitude a ser tomada. Entenderam? Então , agora, quero que vocês lembrem-se da luz amarela,   pensem em várias possibilidades, em várias coisas que podem ser feitas diante da situação,  nas consequências dessas escolhas, e quando  acender a luz verde , que representa a melhor escolha, a atitude ideal que devemos ter como seguidores de Cristo, escreva-a no papel. "

Após todos os alunos terminarem de escrever, peça para que eles leiam em voz alta qual seria a sua atitude diante desta situação hipotética.

Sugestões de atitudes:

- Pode ignorar o que o outro disse.

- Pode  ter uma conversar amigável com o ofensor, em particular,  utilizando-se de argumentos para mostrar o seu erro,   dizendo, por exemplo:  "Não se deve criar este tipo de apelido para os outros, pois é ofensivo. Por favor, me respeite do mesmo modo que respeito você. "

- Pode contar o que ocorreu para professora ou para seus pais, mas sempre pedindo que não seja apresentado como uma queixa , para não sofrer mais gozações.(2)

Comentário: Vocês acham que esses apelidos maldosos são sempre divertidos para quem os inventa? E para quem os recebe? Há apelidos que são usados como forma de demonstração de carinho ou amizade? Quais são eles? E, quais apelidos podem gerar raiva, mágoas, desconforto, discriminação ou inimizade? Este tipo de apelido pode interferir na aprendizagem daquele que o recebeu? Por quê? Na escola, vocês costumam dar apelidos aos outros? Vocês percebem que os apelidos utilizados em sala de aula têm prejudicado o relacionamento entre os colegas?    Vocês acham que criar apelidos maldosos seja uma falta de respeito com o próximo? Então, pensem bem, antes de colocar em prática uma ação, seja através de palavras ou gestos. E lembrem-se da recomendação do Mestre Jesus: " Façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam." (Mateus 7:12)

(1- Baseada no vídeo gratuito de autoconhecimento da 5a Semana da Serenidade de Haroldo Dutra Dias e 2- no site: https://www.guiadasemana.com.br/filhos/noticia/nao-me-chame-assim)