Dinâmica - Modo de se distinguirem os bons dos maus Espíritos

Objetivo: Aprender a distinguir os bons dos maus Espíritos.

Participantes: Máximo 18 alunos.

Tempo Estimado: 25 min.

Material: Metade de uma cartolina (33cmx48cm), saco plástico transparente, frases (bilhetes) , imagens dos bom e do mau espírito  (imprimir em papel A4), cola bastão, tesoura e fita crepe.

Descrição: O Evangelizador deverá, previamente, recortar e dobrar as frases e colocá-las dentro de um saco plástico, depois dividir a cartolina em duas colunas, onde deverá estar escrito  BONS ESPÍRITOS X  MAUS ESPÍRITOS; e  colar embaixo das respectivas palavras, as  imagens dos bom e do mau espírito. Na sala de aula, deverá colar a cartolina sobre a parede e fazer o seguinte comentário: ''Hoje vamos  aprender a distinguir os bons dos maus Espíritos. Vocês receberão algumas frases  que deverão indentificar se é uma característica de bons Espíritos ou de maus espíritos. E diante da turma, deverão ler a frase em voz alta e colar na coluna correspondente da cartolina."

Espíritos bons - Frases:

- Usam sempre de uma linguagem digna, nobre e elevada.

 - Tudo dizem com simplicidade e modéstia, jamais se vangloriam de seu saber, ou da posição que ocupam entre os outros. 

- Só dizem o que sabem; calam-se ou confessam a sua ignorância sobre o que não sabem.

- Fazem que as coisas futuras sejam pressentidas, quando esse pressentimento convenha; nunca, porém, determinam datas.

- Nunca ordenam; não se impõem, aconselham e, se não são escutados, retiram-se.

-Não lisonjeiam; aprovam o bem feito, mas sempre com reserva. 

- Não têm ódio, nem aos homens, nem aos outros Espíritos.

- Lamentam as fraquezas, criticam os erros, mas sempre com moderação, sem rancor e sem agressividade.

- Têm a arte de dizer muitas coisas em poucas palavras, porque cada palavra é empregada com exatidão.

Espíritos maus - Frases:

- Falam de tudo com ousadia, sem se preocuparem com a verdade.

- Predizem o futuro, com data determinada e precisam fatos materiais de que não nos é dado ter conhecimento.

- Usam de uma linguagem pretensiosa, ridícula, ou obscura, à força de quererem que pareça profunda.

- Dão ordens, querem ser obedecidos e não se afastam, haja o que houver.

- Exigem crença cega e jamais apelam para a razão.

- Fazem exagerados elogios, estimulam o orgulho e a vaidade, embora pregando a humildade, e procuram  exaltar a importância pessoal dos indivíduos.

- Utilizam um nome respeitável, mesmo que não seja o seu, para que suas palavras mereçam crédito.

- Se apresentam como conselheiros exclusivos, pregando a separação e o isolamento.

- Dizem mentiras, juntamente com verdades.

Comentário: O apóstolo João nos adverte: “Meus bem-amados, não acrediteis em todo Espírito; mas, experimentai se os Espíritos são de Deus, pois muitos falsos profetas se têm levantado no mundo".(1João 4:1) O Espiritismo nos faculta os meios de experimentá-los, apontando os caracteres pelos quais se reconhecem os bons Espíritos, caracteres  sempre morais, nunca materiais . É à maneira de se distinguirem dos maus os bons Espíritos que, principalmente, podem aplicar-se estas palavras de Jesus: “Pelo fruto é que se reconhece a qualidade da árvore; uma árvore boa não pode produzir maus frutos, e uma árvore má não os pode produzir bons.” Julgam-se os Espíritos pela qualidade de suas obras, como uma árvore pela qualidade dos seus frutos. (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap.21. Item 7 . Allan Kardec)

(Baseada no Livro dos Médiuns. 2ª parte. Cap. 24. Item  267. Allan Kardec)