Dinâmica - Interpretação do sonho de Nabucodonosor

Objetivo: Saber qual é a explicação dos historiadores sobre a interpretação do sonho de Nabucodonosor, realizada pelo profeta Daniel.
Participantes: Indefinido.
Tempo Estimado: 30min.
Material: tabela incompleta e textos para completar a tabela (imprimir em  papel canson A4), cola bastão, fita crepe, tesoura e caneta.
Descrição: O Evangelizador deverá montar a tabela incompleta, emendando a página 1 e 2, e recortar os textos que serão colados na tabela pelos alunos. Na sala de aula, deverá colocar a tabela incompleta na parede, dividir a turma em três grupos  e fazer a seguinte explicação:
"O profeta Daniel, médium por excelência, cativo em Babilônia, fazia parte do grupo de magos e encantadores do rei Nabucodonosor. Este, no segundo ano de reinado, teve um sonho e chamou seus adivinhos caldeus. Ordenou-lhes o conto do sonho e sua interpretação. Não sendo atendido, mandou matar a todos os sábios de Babilônia, dos quais faziam parte Daniel e outros judeus. Com efeito, o profeta dirigiu-se a Nabucodonosor e pediu-lhe um tempo para que pudesse tomar conhecimento do sonho e sua interpretação. Diz a Bíblia que "foi revelado o mistério a Daniel numa visão da noite" (Daniel 2:19). Sabemos através do estudo do Espiritismo que as Escrituras trazem a verdade, alegoricamente, isto é, oculta sob o véu da letra. É claro que, através da projeção da consciência ou desdobramento, ou seja, libertando-se à noite de seu corpo físico, Daniel, no plano espiritual, foi cientificado do sonho e de sua explicação. Pois bem, através da mediunidade, Daniel tomou conhecimento de acontecimentos futuros de mais de dois mil e quinhentos anos e, em poucas palavras, revela o que os historiadores humanos referiram em vários compêndios didáticos.

O sonho foi o seguinte: " Tu, ó rei, estavas vendo, e eis aqui uma grande estátua; esta estátua, que era imensa, cujo esplendor era excelente, e estava em pé diante de ti; e a sua aparência era terrível.  A cabeça daquela estátua era de ouro fino; o seu peito e os seus braços de prata; o seu ventre e as suas coxas de bronze;  As pernas de ferro; os seus pés em parte de ferro e em parte de barro.  Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem auxílio de mão, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou.  Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como pragana das eiras do estio, e o vento os levou, e não se achou lugar algum para eles; mas a pedra, que feriu a estátua, se tornou grande monte, e encheu toda a terra." ( Daniel 2:31-35)


Após a a leitura bíblica, cada grupo receberá 5 textos: Grupo 1 - Período, Grupo 2 - Interpretação de Daniel, Grupo 3 - Explicação dos historiadores. O Grupo 1 deverá, primeiramente, colocar a sequência de datas, na ordem cronológica. Depois, o grupo 2 deverá colocar os textos da interpretação de Daniel, conforme a imagem da estátua. E, logo em seguida, o grupo 3 deverá colocar os textos relativos a explicação dos historiadores, conforme a interpretação de Daniel. Por fim, o Evangelizador deverá completar os nomes dos impérios, nos respectivos períodos.
Obs.: Faça pequenos rolinhos com a fita crepe, para servir de fita adesiva para colar os textos na tabela.

Interpretação do sonho de  Nabucodonosor, onde descreve um grande episódio da história da civilização:
1- Sonho de Nabucodonosor: Cabeça de Ouro / Período: 605a.C a 539a.C /  Interpretação de Daniel: "... Tu és a cabeça de ouro" (Daniel 2:38)/ Explicação dos historiadores: simbolizando o Império Babilônico, cuja capital era ornamentada de monumentos arquitetônicos de inexcedível beleza.

2- Sonho de Nabucodonosor: Peito e Braços de Prata / Período: 539a.C a 331a.C / Interpretação de Daniel:"Depois de ti se levantará outro reino, inferior ao teu..." (Daniel 2:39) / Explicação dos historiadores: Sete décadas após a revelação do profeta, medo-persas invadiram a Babilônia e estenderam a "monarquia de prata" até a índia. No entanto, o predomínio dos persas, embora mais extenso, não apresentava o magnificente poder dos assírios, assim como a prata é inferior ao ouro.

3- Sonho de Nabucodonosor: Ventre e coxas de Bronze / Período: 331a.C a 168a.C / Interpretação de Daniel:"... E um terceiro reino, de bronze, o qual terá domínio sobre toda a terra (Daniel 2:39) / Explicação dos historiadores: Ele se refere ao domínio de Alexandre III, o Grande, o precursor do helenismo, que teve Aristóteles como preceptor. Venceu o império persa e apoderou-se de Babilônia. A partir de Alexandre, a civilização e língua gregas divulgaram-se por todo o mundo. Os soldados gregos utilizavam escudos, elmos, couraças e armaduras feitos de bronze.

4- Sonho de Nabucodonosor: Pernas de Ferro / Período: 168a.C a 476d.C / Interpretação de Daniel: " O quarto reino será forte como o ferro; pois o ferro a tudo quebra e esmiuça" (Daniel 2:40) / Explicação dos historiadores: Ele prevê o surgimento da monarquia romana, muito mais poderosa que as citadas anteriormente pelo profeta. Um poderio colossal impõe com a força a utilização da língua latina e revela uma triunfante tecnologia: mais de 90.000 quilômetros de estradas cortando as províncias e um exército, equipado de técnicos, de arquitetos e de engenheiros, contendo um total de 300.000 soldados. Usavam o ferro para confecção de espadas e outros armamentos, como também na fabricação de rodas e charretes.

5-  Sonho de Nabucodonosor: Pés de Ferro e Barro / Período: 476d.C até hoje / Interpretação de Daniel: "Quanto ao que viste dos pés e dos dedos em parte de barro e de ferro, isso será um reino dividido" (Daniel 2:41) / Explicação dos historiadores: o profeta prevê o desmoronamento do império romano. Um dos fatores principais da decadência de Roma foram as invasões dos bárbaros, bem violentas no século V D.C., porquanto o exército romano achava-se em desagregação. Em 476 D.C., foi deposto o último imperador do Ocidente — Rômulo Augusto —, por Odoacro, chefe dos hérulos. Há sessenta e seis anos, em 410 D.C., os visigodos, liderados por Alarico, tomaram Roma. Em consequência das invasões, o Império Romano Ocidental deixou de existir, aparecendo então os reinos bárbaros, dando formação a algumas nações europeias hodiernas.
Obs.: Se um dos integrantes dos grupos colocar algum texto no local errado da tabela, o Evangelizador deverá mostrar, através de dicas, o local correto.


Comentário: No fim da sua interpretação, Daniel diz: "Mas, nos dias destes reis, o Deus do Céu suscitará um reino que não será jamais destruído..." (Daniel 2:44)."Como viste que do monte foi cortada uma pedra, sem auxílio de mãos..." (Daniel 2:45). "A pedra, que feriu a estátua, se tornou em grande montanha que encheu toda a terra" (Daniel 2:35). Em outras palavras, possui o seguinte significado: Nosso Mestre Jesus é denominado de "a pedra angular" (Efésios 2:20, 1- Pedro 2:6) e, certamente, Daniel alude à nova Terra, transformada em mundo de regeneração, sob a égide do Cristo. Que possamos agradecer a Deus, nosso Pai que é Amor (1 João 4:8), pela oportunidade dada a todos nós de tomarmos conhecimento de tão edificante profecia, que se finaliza, anunciando o reino de paz — "uma grande montanha que encheu toda a terra" —, que estará destinado aos que seguirem em espírito e em verdade o Cristo, praticando Seus ensinamentos e sendo recebido no mundo transformado, com o título de servidor do bem.

(Baseada no artigo: "Daniel, o profeta do Antigo Testamento e sua incrível previsão do futuro. " Américo Domingos Nunes Filho. Fonte: https://acasadoespiritismo.com.br/mensagens/atualidadeesp/daniel%20o%20profeta%20do%20a%20t.htm . Data da consulta : 02-02-21)

Passatempo Espírita © 2013 - 2021. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode