Dinâmica - Ele só quer um pedacinho

Objetivo: Deixar claro que não devemos ceder às tentações, por menor que elas sejam.
Participantes: Indefinido.
Tempo Estimado: 20 minutos.
Material: papel color set marrom (ou papel kraft) no tamanho 48x66cm , canetinha preta com ponta grossa, giz de cera preto, figura do espírito obsessor, tesoura, fita crepe.
Descrição: O Evangelizador deverá, previamente, pintar o obsessor com capa preta . Depois deverá fazer o seguinte comentário: Imagine que você seja dono de mil hectares de terra que valem R$ 50,000 reais e não queira vender a sua propriedade a ninguém (1.neste momento, mostre o papel marrom representando as terras e cole ele na parede com fita crepe). Entretanto,certo dia, recebe uma oferta que parece ser irresistível: um homem sugere comprar apenas um hectare da sua terra, que fica no meio da sua propriedade. Você receberia  20% do valor de toda terra, ou seja, R$ 10,000 reais. O restante continuaria sendo seu. Então, você aceita a proposta e vende aquele pequenino pedaço de terra (2. neste momento, faça um quadrado bem pequenininho no meio do papel). No entanto, após  fechar o negócio, você descobre a má notícia: de acordo com a lei, o proprietário daquele pequeno hectare no meio da sua imensa propriedade tem  o direito de construir uma estrada na sua propriedade para chegar até à terra dele, e você não poderá fazer nada. Ou seja, você é dono de uma grande propriedade, só que ela é cortada pelo meio por uma estrada do novo proprietário de uma pequena parte de sua terra  (3. neste momento, faça dois risco do meio do papel, onde está o pequeno quadrado, até a ponta final do papel, para representar a estrada). Logo em seguida, explique que a mesma coisa acontece conosco quando sofremos uma tentação. A terra representa o nosso coração (4. neste momento, retire o papel da parede, dobre ele no meio e  recorte a lateral no formato indicado pelo esquema representativo para formar um coração). Nós somos donos dele, só que cedemos uma pequenina parte para o inimigo, ou seja, um Espírito maléfico (5. neste momento, cole o papel novamente na parede e cole a imagem do Espírito maléfico no meio da estrada) . No princípio, ele não quer muita coisa não, só quer um pedacinho de sua terra. Não precisa ser grande coisa, apenas um pedacinho, no meio do nosso coração. E através daquele pedacinho que você cedeu ao inimigo, ele passa a ter acesso livre a todo o seu coração e espalha sobre a área os seus maus pensamentos (6. neste momento, pinte ao redor do pequeno quadrado e da estrada com giz de cera preto na posicão horizontal, com pouca pressão, para dar o efeito de sombreado) . Portanto, é perigoso cedermos a uma pequena tentação, pois sem percebermos, perdemos a autoridade sobre as terras do nosso coração, que foram dominadas pelo nosso inimigo.
Em quais situações algumas pessoas são tentadas a experimentar só um pouquinho, mas depois são totalmente dominadas pelo mal? (Aguarde as respostas)
Sugestões de resposta: Há indivíduos que cedem à tentação, alegando que farão isto apenas uma vez para experimentar algo novo, porém depois eles repetem o comportamento inadequado diversas vezes e se tornam escravos de um vício, tais como: o vício do cigarro, do álcool, das drogas, de comer em exagero, das mentiras, da ambição, da violência, da traição num relacionamento, do roubo,  de colar nas provas, da preguiça, da maledicência, etc...

Obs.: O inimigo representado nesta dinâmica é externo, porém, podemos ter também inimigos internos, os vícios que trazemos de outras existências.

Comentário: " (...) Segundo a Doutrina Espírita, não há  arrastamento irresistível: o homem pode sempre fechar os ouvidos à voz oculta que em seu foro íntimo o solicita para o mal, assim como pode fechá-los à voz material daquele que lhe fala. Ele o pode por vontade própria, pedindo a Deus a força necessária, para o que suplicará a assistência dos bons Espíritos. É isto o que Jesus nos ensina na sublime prece do Pater (oração do Pai Nosso), quando nos manda dizer: Não nos deixeis sucumbir à tentação, mas livrai-nos do mal.” (Revista Espírita. Outubro de 1858. Teoria do móvel de nossas ações. Allan Kardec)
(Texto adaptado. Fonte: https://eronildoserafim.blogspot.com/2016/02/dinamica-da-licao-08-resistencia-contra.html)

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode