Dinâmica - Compaixão

Objetivo: Diminuir o preconceito e desenvolver o sentimento de compaixão pelos moradores de rua.
Participantes: Indefinido.
Tempo Estimado: Indeterminado.
Material: 1 fotografia de um morador de rua deitado na calçada.
Descrição: O Evangelizador deverá mostrar a fotografia do morador de rua deitado na calçada e fazer as seguintes perguntas para um aluno que escolher : Se você  visse todos os dias este mendigo deitado na calçada da rua, o que você pensaria? Você faria algo para tentar ajudá-lo? (Aguarde a resposta). Depois logo em seguida, faça as mesmas perguntas para outros alunos.
Comentário: Pessoas em situação de rua, pedintes, mendigos, população de rua... A sociedade utiliza diversas formas para se referir a esses indivíduos que vivem histórias tão difíceis — algumas mais respeitosas, outras carregadas de preconceito...
Poucos são os que ajudam estas pessas, muitos dizem: "Não vou ajudar porque ele escolheu estar aí na rua!" " Ele é vagabundo, não trabalha porque não quer!" " Ele deve ser um drogado, não vou desperdiçar meu dinheiro com o vício dele! " As chances de você já ter ouvido ou falado essas frases são muito grandes, não é mesmo?! Mas não é bem assim... Algumas pessoas estão na rua como consequência de problemas de saúde (psicológicos, vícios ou emocionais), financeiros ou de relacionamento familiar. Algumas estão na rua por causa do uso de drogas e álcool, por dependência física e emocional, outros por problemas psiquiátricos ou por abandono familiar, devido a constantes brigas e violência doméstica, e alguns porque estão desempregados ou perderam sua casa, em desastres ambientais.
Leia algumas histórias reais de moradores de rua: https://nossacausa.com/o-que-acontece-quando-paramos-de-tratar-moradores-de-rua-como-invisiveis/
Além de acabar nessas condições por diversos motivos, essas pessoas também estão sujeitas ao preconceito  e a todas as ameaças nas vias públicas, quando muito do que elas desejam é ter uma vida mais digna e justa.
Os moradores de rua estão expostos a condições precárias. Eles enfrentam sol, frio, chuvas, sem saber até mesmo quando e o que irão comer. Tratá-los como perigosos ou não acreditar que podem reagir para sair dessa situação, também é apoiar a marginalização a que são constantemente submetidos.
Infelizmente, muitas pessoas, ao passarem pelos moradores de rua, os tratam com indiferença e simplesmente os ignoram ou até pior: os agridem verbal, moral ou fisicamente. Não sentem piedade pelo sua condição precária e não possuem  compaixão, pois não se colocam no lugar deles.
No entanto, deveriam agir de maneira diferente...Nós podemos ajudar um morador de rua de várias formas: Investir na educação dele, doando para alguma instituição especializada em ajudar moradores de rua; Dar oportunidade de trabalho digno, se possível; Dar algo para ele(a) se alimentar, mas se preocupando em resolver o problema de forma definitiva; Doar roupas ou calçados (em boas condições) e também mantas para se proteger do frio, se possível impermeáveis ( Obs.: Deixe um moletom ou uma manta na sua mochila ou carro para doar quando encontrar uma pessoa em situação de rua) ; Doar materiais de higiene pessoal; Dedicar atenção: uma boa conversa tem o poder de transformação maior do que imaginamos.
No entanto, não se deve chegar oferecendo algo sem antes conversar.  Isso torna a entrega mecânica, distante e talvez humilhante. Além disso, você pode acabar dando o que a pessoa não quer receber.
Se tiver receio ou não souber como abordar um morador de rua, você pode ligar para uma organização de assistência a  moradores de rua (ONG ou entidade religiosa) para pedir auxílio ou até mesmo participar de alguma entidade que faça trabalho voluntário, como por exemplo, que doe sopas ou alimentos, que dê abrigos para dormir, que doe materiais de higiene, que dê oportunidade de empregos, etc...
Faça a diferença e ajude como puder essas pessoas. Tenha compaixão, se coloque no lugar deles e tente diminuir o seu sofrimento. Não espere que um morador de rua bata na sua porta, para oferecer a ajuda que necessita...
Jesus disse: "Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes." (Mateus 25:40)
(Baseada no texto retirado do site: https://www.lbv.org/doacao/como-ajudar-um-morador-de-rua)

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode