Dinâmica - Atributos de Deus

Objetivo: Conhecer quais são as características de Deus.

Participantes: Indefinido.

Tempo Estimado: 3 minutos.

Material: Papel sulfite com as características do homem (imprimir em papel A4), Lápis de escrever e borracha.

Descrição: O Evangelizador deverá distribuir para cada aluno uma folha que contém as características do Homem, juntamente com uma lista que deverá ser preenchida com as características de Deus. Os alunos deverão preencher esta lista no máximo em 3 minutos. Aquele que acertar mais características de Deus será o vencedor.

Características do Homem:
- 1.Teve um início, 2.material, 3.forte/fraco, 4.mutável, 5.existem vários, 6.justo/injusto e 7.bom/mau. 

Características de Deus (Resposta):
- 1.Eterno, 2.imaterial, 3.todo poderoso,  4.imutável, 5.único, 6.justo e 7.bom.

Comentário:

       - Deus é a suprema e soberana inteligência: A inteligência do homem é limitada, uma vez que não pode nem fazer e nem compreender tudo o que existe; a de Deus, abarcando o Infinito, deve ser infinita.

      - Deus é eterno: quer dizer que não teve começo e nem terá fim. Se houvesse tido um começo, teria saído do nada; o nada não sendo nada, nada pode produzir; ou bem ele haveria sido criado por um ser anterior, e, então, esse ser é que seria Deus.

      - Deus é imutável: Se estivesse sujeito a mudanças, as leis que regem o Universo não teriam nenhum estabilidade.

      - Deus é imaterial: quer dizer, que a sua natureza difere de tudo que chamamos matéria, de outro modo, não seria imutável, porque estaria sujeito às transformações da matéria.

      - Deus é único: Se  houvesse vários deuses, não haveria unidade de vistas, nem unidade de poder no ordenamento do Universo.

      - Deus é todo poderoso: Se não tivesse o supremo poder, haveria alguma coisa mais poderosa ou tão poderosa quanto ele; não teria feito todas as coisas, e as que não tivesse feito seriam obras de um outro Deus.

      -  Deus é soberanamente justo e bom: A sabedoria providencial das leis divinas se revela nas pequenas coisas com nas maiores, e essa sabedoria não permite duvidar da sua justiça, nem da sua bondade. (Livro dos Espíritos. Questão 13; e na Gênese. Cap. 2. Item 9 a 14)

(Baseado no Livro dos Espíritos. Questão 13. Allan Kardec)