Dinâmica - Agradecimentos esquecidos

Objetivo:  Compreender o motivo pelo qual também devemos agradecer pelos acontecimentos considerados "ruins".  
Participantes: Indefinido.
Tempo Estimado: Indeterminado.
Material: frases incompletas escritas em bilhetes, caixa de papelão, caneta preta, tesoura, música instrumental, caixa de som bluetooth (celular ou notebook).
Descrição: O Evangelizador deverá, previamente, escrever as frases em bilhetes e dobrá-las, colocando-as dentro de uma pequena caixa. Na tampa da caixa deverá estar escrito: Por que devemos agradecer por isto?  Na sala de aula, o Evangelizador deverá fazer o seguinte comentário: "Geralmente, agradecemos a Deus pelos acontecimentos que nos trazem alegria, porém nos esquecemos de agradecer os contratempos (1) que parecem ruins. Existem circunstâncias da nossa vida que são considerados do "contra", mas, na realidade, trazem grandes benefícios...Muitas vezes, o que nos parece um mal é um bem. Dizei-me se a tempestade que vos arranca as árvores, mas que saneia o ar, dissipando os miasmas insalubres que causariam a morte, não é antes uma felicidade do que uma infelicidade.  Para julgarmos qualquer coisa, precisamos ver-lhe as consequências (2). Se as consequências são boas, o que aconteceu não é algo ruim. Hoje vamos analisar alguns casos destes..."
Logo em seguida, deverá colocar uma música, e pedir para os alunos ficarem sentados no chão, formando uma roda e explicar que a caixinha deverá ser passada de mão em mão. Quando o Evangelizador desligar o som, o aluno que estiver com a caixa deverá pegar um bilhete dentro dela, ler em voz alta e completar a frase...Se não souber completá-la, deverá dizer o que gostaria de agradecer naquele momento e depois o Evangelizador deverá completar a frase.
Obs.(1): Baseada na mensagem "Agradecimentos esquecidos" do livro: Fé, ditado por André Luiz e psicografado por Chico Xavier.
Obs.(2): O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 5. Item 22 e 24. Allan Kardec.

Frases:
Eu agradeço a Deus pela punição que recebi dos meus pais, pois... assim aprendi a ser mais educado e ter respeito pelos outros.
Eu agradeço pelas críticas dos outros, pois... através delas consigo perceber os meus erros e corrigi-los.
Eu agradeço a Deus pelos sofrimentos que passei, pois... fez eu refletir sobre a vida e perceber que preciso melhorar minha conduta moral.
Eu agradeço a Deus pelas provas difíceis, pois... testam a minha capacidade e permitem aprender novas coisas.
Eu agradeço a Deus pela minha mediunidade, pois... possibilita reparar os erros do passado, ajudando aqueles que prejudiquei em outras vidas.
Eu agradeço a Deus pela pobreza, pois... permite que eu aprenda a ter mais paciência e resignação diante das dificuldades.
Eu agradeço a Deus pela doença, pois... quando sofro com resignação, permite resgatar as dívidas do passado e purificar o meu espírito.
Eu agradeço a Deus pelo remédio amargo, pois... ele traz a cura para a doença que me traz sofrimento.
Eu agradeço a Deus pela cirurgia, pois... este procedimento consegue retirar as células que estavam prejudicando o meu corpo físico e que poderiam me levar a morte prematura.
Eu agradeço a Deus pelo lixo orgânico, pois... fertiliza o solo e permite plantar novas sementes.

Comentário: Paulo de Tarso disse: “Dando sempre graças a Deus por tudo, em nome de Nosso Senhor Jesus-Cristo...”  (Efésios, 5:20)
Muita gente pergunta como se pode render graças a Deus pelas dores que sacodem a vida, entretanto, basta leve reflexão para que venhamos a reconhecer a função renovadora do sofrimento.
Atravessaste longo período de enfermidade, da qual te refazes, dificilmente, e, se ouvires a própria consciência, perceberás que a moléstia física foi socorro valioso para que te não arrojasses a tremendas lutas de espírito.
Foste surripiado na vantagem financeira que te colocava em destaque no trabalho que te assegura a subsistência, e, se meditas severamente no assunto, observarás que a suposta humilhação te livrou de compromissos perigosos e arrasadores.
(...) Amargaste a deserção do amigo em cujo afeto depositavas a maior esperança, e, se estudares a ocorrência, com plena isenção de ânimo, concluirás que o tempo te libertou de um laço impróprio, que se transfiguraria, talvez, de futuro em pesado grilhão.
Não te confies às aparências.
Louva o céu azul que te imprime euforia ao pensamento, mas agradece, também, a nuvem que te garante a chuva, mensageira do pão.
Mesmo que não entendas, de pronto, os desígnios da Providência Divina, recebe a provação como sendo o melhor que merecemos hoje, em favor do amanhã, e, ainda que lágrimas dolorosas te lavem a alma toda, rende graças a Deus. (Palavras de vida eterna. Agradeçamos sempre. Espírito Emmanuel.  Psicografado por Chico Xavier)

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode