Dinâmica - Agêneres (materização)

Objetivo: Aprofundar o estudo sobre o fenômeno da materialização de Espíritos, conhecido por agêneres.
Participantes: Indefinido.
Tempo Estimado: 35 min.
Material: Cartões: SIM e NÃO,  perguntas, lousa e giz.
Descrição: O Evangelizador deverá separar a turma em dois grupos (ímpar e par) e distribuir para cada um dos alunos dois cartões com as palavras SIM e NÃO. Depois deverá ler as perguntas abaixo, alternadamente (grupo ímpar: questões 1,3,5,7,9,11,13,15,17 e grupo par: questões 2,4,8,10,12,14,16,18), para que os grupos respondam SIM ou NÃO.  Os alunos do grupo deverão entrar num acordo e verificar qual é a resposta que a maioria selecionou para dizer ao Evangelizador. E depois, deverá anotar na lousa um ponto, caso o grupo tenha respondido corretamente. O grupo que ganhar mais pontos será o vencedor.

Perguntas:
1. Quando diz no Evangelho que Jesus ressuscitou, na realidade, devemos entender que Ele apareceu para os discípulos com o seu corpo espiritual (materializado ou não) ?
R. Sim.
Comentário: As aparições do Cristo são conhecidas e tiveram numerosos testemunhos. Apresentam flagrantes analogias com as que em nossos dias são observadas em diversos graus, desde a forma etérea, sem consistência, com que aparece a Maria Madalena e que não suportaria o mínimo contacto, até a completa materialização, tal como a pôde verificar Tomé, que tocou com a própria mão as chagas do Cristo. Daí esse contraste nas palavras de Jesus: “Não me toques” – diz ele à Madalena – ao passo que convida Tomé a pôr o dedo nos sinais dos cravos: “Chega também a tua mão e mete-a no meu lado”. (Cristianismo e Espiritismo. Cap. 5. Léon Denis).

2. Quando Tomé tocou as chagas do Divino Mestre, pôde sentir o calor da sua temperatura corporal?
R.Sim.
Comentário: Podemos abraçá-lo, sentir-lhe o calor da temperatura, ouvir-lhe as pulsações do coração e com ele conversar naturalmente. (Estudando a mediunidade. Cap. 42. Martins Peralva).

3. Um Espírito materializado pode aparecer e desaparecer quando quiser?
R. Sim.
Comentário:  É de notar-se que as aparições tangíveis só têm da matéria carnal as aparências; não poderiam ter dela as qualidades. Em virtude da sua natureza fluídica, não podem ter a coesão da matéria, porque, em realidade, não há nelas carne. Formam-se instantaneamente e instantaneamente desaparecem, ou se evaporam pela desagregação das moléculas fluídicas. (A Gênese. Cap. 14. Item 35 e 36. Allan Kardec).

4. É preciso ser médium para ver um Espírito materializado?
R. Não.
Comentário: Materialização é o fenômeno pelo qual os Espíritos se corporificam, tornando-se visíveis a quantos estiverem no local das sessões. Não é preciso ser médium para ver o Espírito materializado. Materializando-se, corporificando-se, pode o Espírito ser visto, sentido e tocado. (...) Aparição é o fenômeno pelo qual o Espírito é visto apenas por quem tiver vidência. A materialização é um fenômeno objetivo e a aparição é um fenômeno subjetivo. Há, portanto, fundamental diferença entre uma e outra. (Estudando a mediunidade. Cap. 42. Martins Peralva).

5. Para ocorrer este fenômeno é necessário combinar uma parte do fluido universal com o fluido que o médium libera, conhecido por ectoplasma?
R. Sim.
Comentário: No livro "Nos domínios da Mediunidade" , o Espírito André Luiz relata que precisa de três elementos para ocorrer a materialização: fluidos “A”, representando as forças superiores e sutis de nossa esfera, fluidos “B”, definindo os recursos do médium e dos companheiros que o assistem, e fluidos “C”, constituindo energias tomadas à Natureza terrestre. (Nos domínios da mediunidade. Cap. 28. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier).

 6. O ectoplasma é um fluido material ?
R. Não.
Comentário: É um fluido semimaterial. (Revista Espírita. Junho de 1858. Questão 3. Teoria das Manifestações Físicas. Segundo Artigo. Allan Kardec).

7. O ectoplasma é parecido com uma pasta flexível que saí particularmente da boca, das narinas e dos ouvidos do médium?
R. Sim.
Comentário: O Espírito André Luiz descreve a ação de um médium de efeitos físicos da seguinte maneira: "O  veículo físico, assim prostrado, sob o domínio dos técnicos do nosso plano, começou a expelir o ectoplasma, qual pasta flexível, à maneira de uma geléia viscosa e semilíquida (leitosa-prateada), através de todos os poros e, com mais abundância, pelos orifícios naturais, particularmente da boca, das narinas e dos ouvidos, com elevada percentagem a exteriorizar-se igualmente do tórax e das extremidades dos dedos.  A substância, caracterizada por um cheiro especialíssimo, que não conseguimos descrever, escorria em movimentos reptilianos, acumulando-se na parte inferior do organismo medianímico, onde apresentava o aspecto de grande massa protoplásmica, viva e tremulante." (Nos domínios da mediunidade. Cap. 28. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier).        

8. Os Espíritos precisam de uma permissão superior para produzir o fenômeno de materialização?
R. Sim.
Comentário: A duração dessa aparência está submetida a condições que nos são desconhecidas; depende, sem dúvida, da vontade do Espírito, que a pode produzir ou fazê-la cessar à vontade, embora dentro de certos limites, que nem sempre tem liberdade de transpor. Interrogados a respeito, bem como sobre todas as intermitências de quaisquer manifestações, os Espíritos sempre disseram que agiam em virtude de uma permissão superior.  (Revista Espírita. Fevereiro de 1859. Os Agêneres. Allan Kardec).

9. Os Espíritos materializados que convivem conosco são chamados de Agêneres?
R. Sim.
Comentário: (...) a tangibilidade pode tornar-se real, isto é, pode ser tocado e apalpado esse corpo; podemos sentir-lhe a resistência e até mesmo o calor, como se fosse um corpo animado, apesar de que ele pode dissipar-se com a rapidez do raio. Embora a aparição desses seres, designados pelo nome de  agêneres, seja muito rara, é sempre acidental e de curta duração. Sob essa forma não poderiam tornar-se hóspedes habituais de uma casa. (Revista Espírita. Fevereiro de 1860. Os Espíritos glóbulos. Allan Kardec)

10. Os Agêneres pertencem somente a classe de Espíritos Superiores?
R. Não.
Comentário: Podem pertencer às duas classes (inferiores e superiores); são fatos raros.(Revista Espírita. Fevereiro de 1859. Questão 4. Os Agêneres. Allan Kardec).

11. É verdade que quando ocorre as aparições tangíveis, o corpo do Espírito se torna de carne e ossos novamente ?
R. Não.
Comentário: É de notar-se que as aparições tangíveis só têm da matéria carnal as aparências; não poderiam ter dela as qualidades. Em virtude da sua natureza fluídica, não podem ter a coesão da matéria, porque, em realidade, não há nelas carne. Formam-se instantaneamente e instantaneamente desaparecem, ou se evaporam pela desagregação das moléculas fluídicas. Os seres que se apresentam nessas condições não nascem, nem morrem, como os outros homens. (A Gênese. Cap. 14. Item 35 e 36. Allan Kardec)
 
12. Os Espíritos materializados podem procriar, ou seja, gerar um filho?
R. Não.
Comentário: Deus não o permitiria. Seria contrário às leis que estabeleceu na Terra e elas não podem ser derrogadas. (Revista Espírita. Fevereiro de 1859. Questão 7.  Os Agêneres. Allan Kardec).

13. Os  agêneres precisam ser alimentados, quando ficam horas materializados?
R. Não.
Comentário: O corpo não é real. (Revista Espírita. Fevereiro de 1859. Questão 12.  Os Agêneres. Allan Kardec).

14. Conforme o grau de condensação do fluido perispirítico, a aparição é às vezes vaga e vaporosa; doutras vezes, mais nitidamente definida?
R. Sim.
Comentário: Pode, mesmo, chegar, até, à tangibilidade real, ao ponto de o observador se enganar com relação à natureza do ser que tem diante de si.( A Gênese. Cap. 14. Item 35 e 36. Allan Kardec).

15. É possível cortar o fio de cabelo de um Espírito agênere?
R. Sim.
Comentário: No livro "Fatos Espíritas" do cientista William Crookes, relata que o Espírito materializado de Katie King, "pediu, (...), a tesoura, cortou pedaços dos seus cabelos e deu a todos..." (Fatos Espíritas.  William Crookes)

16. É verdade que a quantidade de fluidos do médium pode ser maior ou menor e isto depende do seu caráter e da qualidade moral?
R. Não.
Comentário: Essa força materializante é como as outras manipuladas em nossas tarefas de intercâmbio. Independe do caráter e das qualidades morais daqueles que a possuem, constituindo emanações do mundo psicofísico, das quais o citoplasma é uma das fontes de origem. Em alguns raros indivíduos, encontramos semelhante energia com mais alta per­centagem de exteriorização, contudo, sabemos que ela será de futuro mais abundante e mais facil­mente abordável, quando a coletividade humana atingir mais elevado grau de maturação. (Nos domínios da mediunidade. Cap. 28. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier).   
 
17. É verdade que para produzir este fenômeno de materialização,  os Espíritos precisam utilizar as mãos do corpo perispiritual para manipular os fluidos ?
R. Não.
Comentário: Os Espíritos atuam sobre os fluidos espirituais, não manipulando-os como os homens manipulam os gases, mas empregando o pensamento e a vontade. Para os Espíritos, o pensamento e a vontade são o que é a mão para o homem. (A Gênese. Cap. 14. Item 14. Allan Kardec)

18. Jesus Cristo foi o único Espírito materializado relatado na Bíblia?
R. Não.
Comentário: Deles tendes  (outros) exemplos na Bíblia. (Revista Espírita. Fevereiro de 1859. Os Agêneres. Questão 4. Allan Kardec) A luta de Jacob com um Espirito é um fenômeno típico de materialização, pois esta só poderia realizar-se na condição do relato bíblico, se o Espírito contendor se encontrasse materializado (Gen. 32:24) (ABC do Espiritismo. Fenômenos mediúnicos dentro da Bíblia. Victor Ribas Carneiro). O Livro de Tobias, que não aparece nas edições populares, mas consta da Bíblia oficial católica romana, relata o caso da materialização de um Espírito superior, o anjo Rafael, e sua manifestação ostensiva, qual se fora um homem como nós, em episódios que se prolongaram por muitos dias. Esse anjo, interrogado sobre sua identidade, informou ser “um dos filhos de Israel” e, à pergunta de Tobias: “de que família ou de que tribo és tu?”, respondeu: “eu sou Azarias, filho do grande Ananias” (Tobias 5: 6, 7, 16, 18). (...)O rei da Babilônia vê a mão materializada de um Espírito a escrever na parede (Daniel, 5:5). (...) Moisés e Elias aparecem a Jesus e falam com ele (Mateus, 17:3). (Revista Reformador de fevereiro de 1975. Os Fenômenos Espíritas em Face da Bíblia. Rodolfo Calligaris).


(Baseada na Bíblia, nas obras de Allan Kardec e Chico Xavier)

Passatempo Espírita © 2013 - 2022. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode