Cura de um leproso

        — Vocês tomaram chuva ontem? perguntou-nos dona Lina logo que chegamos.

        — Não, senhora; deu tempo de chegarmos em casa, res­pondemos.

        E afagando os cabelos de Joaninha, dona Lina narrou:

        — Sucedeu que se achava Jesus numa daquelas aldeias das margens do Mar da Galiléia e lhe apareceu um homem doente de lepra. Assim que o homem o viu, cobriu o rosto, lançou-se por terra e lhe rogou:

        — “Senhor, se tu queres, bem me podes curar”.

        Jesus estendeu a mão sobre ele e disse:

        — Quero, fica curado”.

        O  homem se retirou contente e com isso a fama de Jesus crescia; a ele concorria muita gente não só para ouvi-lo como também para ser curada de suas enfermidades. Mas Jesus ia para o deserto, onde se punha em oração.

        — Por que é que Jesus fazia assim, dona Lina? per­guntou Cecilia.

        — Porque Jesus gostava de orar a Deus nos lugares sossegados, onde ninguém o perturbasse; e com suas orações, ele pedia forças a Deus para bem cumprir os seus deveres. É o que vocês precisam fazer também: orar a Deus a fim de se fortificarem para as lutas da vida.

(O Evangelho da Meninada. Cap.16. Eliseu Rigonatti)

Passatempo Espírita © 2013 - 2021. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode