Culto individual do Evangelho

 Nem sempre encontrarás a colaboração precisa ao culto do Evangelho no templo familiar.

 Por vezes, será necessário esperar o amadurecimento dos companheiros que se mostram semelhantes à folhagem viçosa nas robustas frondes da vida, incapazes de perceber a glória da frutificação no futuro.

 Ainda assim, procura a intimidade do Mestre e, sozinho embora, sintoniza-te com Ele, através da leitura divina.

 Realmente, por agora, és parte integrante do grupo consanguíneo, mas, no fundo, és o irmão da Humanidade inteira, com obrigações de seguir para a frente.

 Todos somos peregrinos da eternidade, em trânsito para a Vida Superior.

 Cada situação no círculo das formas, em que experimentamos e somos experimentados, é simples posição provisória.

 Lembra-te de que o dia será a inevitável arena do testemunho e, ao longo das horas, encontrarás mil alvitres diferentes.

  É a cólera pretendendo insinuar-se através do teu campo emotivo.

  É a dor que tentará subtrair-te o ânimo.

  É a ventania das provas, buscando apagar-te a fé vacilante e humilde.

  É o verbo desvairado que te visitará nas bocas alheias, concitando-te a esquecer as melhores conquistas espirituais.

 É a revolta que projetará fel sobre a tua esperança.

  É a insubmissão do próprio “eu” que te criará dificuldades inúmeras.

  É a vaidade que te repetirá velhas fantasias acerca de tua superioridade inexistente.

  É o orgulho que te apartará da fraternidade legítima.

  É a preguiça que te fará acreditar no poder da enfermidade sobre a saúde e do desalento improdutivo sobre a alegria edificante.

  É a maldade que te inclinará a palavra ao julgamento leviano ou apressado, no intuito de arrojar-te às trevas.

 Recorda semelhantes inimigos que nos desafiam constantemente, na luta sem quartel da evolução e do aperfeiçoamento, e, no culto individual da Boa-Nova, grava em ti mesmo as observações do Mestre Divino, anotando-lhe os conselhos e avisos e tomando as armas da compreensão e do bem para lutar dignamente cada dia, na abençoada conquista do futuro glorificado e sem fim.

(Instrumentos do tempo. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)