Como erguer um templo espírita

        Se uma casa para erguer-se no solo do mundo exige material de qualidade superior, para afirmar-se com segurança, não lhe bastando tão somente as linhas sugestivas do plano arquitetônico, uma instituição de serviço espiritual, qual seja um grupo espírita, reclama, acima de tudo, corações sinceros e bem formados, aptos a compreender o próximo e a auxiliá-lo, na solução dos inquietantes problemas da vida.

        Não é suficiente, portanto, a simples doutrinação, no erguimento de uma casa dessa ordem, de vez que a obra verbalística pode estagnar-se no êxtase improdutivo.

        Se nos propomos organizar um santuário para a nossa fé, aprimoremos o nosso idealismo e elevemos nossos sentimentos à bênção da fraternidade e do serviço, em cujas luzes encontraremos o tesouro da própria sublimação.

        Não vale monumentalizar a caridade no cimento armado ou no mármore primoroso, sem oferecer-lhe braços devotados à concretização, tanto quanto não basta a palavra fulgurante sem ação que a materialize.

        Levantemos templos de predicação espiritual, mas não olvidemos o próprio espírito necessitado de aperfeiçoamento, de vez que o discurso comovente e precioso sem atos e fatos que lhe demonstrem a grandeza é, invariavelmente, uma página viva da inteligência a perder-se na inutilidade, como formosa sinfonia, a mergulhar-se nas trevas.

(Vida e caminho. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)