A cólera

A cólera é responsável por alta percentagem do obituário no mundo, como legítimo fator de enfermidade e portadora da morte.

 Além disso, é também a raiz de grande parte dos males e perturbações que dilapidam na base a segurança dos serviços associativos na Terra.

   Nos lares invigilantes, é o gênio obscuro da discórdia.

  Nas instituições respeitáveis, é o fermento da separação.

   Nas vias públicas, é a porta de acesso à crueldade.

   Nos círculos da fé, exprime-se por brecha pela qual se infiltram as forças destrutivas da sombra.

  Nos fracos, estabelece o abatimento imediato.

   Nos expoentes da inveja e do despeito, engendra o desequilíbrio já que efetua a ligação da alma com as entidades representativas de regiões inferiores e conturbadas.

   Nos corações desprevenidos, lança as teias da violência.

   Nos irritadiços, espalha as sugestões da delinquência.

 

 Em toda parte, quando encontra guarida em algum coração impermeável ao bem, transforma-se em suporte de terríveis processos obsessivos que somente a Compaixão Divina associada à bondade humana conseguem reduzir ou sanar.

 

 Recebamos a experiência, por mais difícil, com a luz a confiança no Senhor que, nos oferecendo a luta depuradora, nos possibilita a própria regeneração.

 A passagem na Terra é aprendizado.

 Revoltar-se o homem, à frente da vida, é recusar a oportunidade de elevar-se ante a luz da própria sublimação.


(Canais da vida. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)