A boa ação de dona Cutia

Um dia, dona Cutia resolveu ir fazer compras na cidade. Vestiu seu vestido vermelho de babados, calçou sapatos de salto alto, e colocando na cabeça um chapeuzinho de palha com uma pena de sabiá, partiu toda contente.

Chegando à estrada, tomou o ônibus, que veio repleto de bichos de todos os tamanhos. O motorista era uma cachorro, muito convencido e elegante, que equilibrava na cabeça um bonezinho quadriculado. O cobrador  um macaquinho bem esperto, sempre estava inquieto e acabava aborrecendo os passageiros.

Dona cutia, coitada, não estava acostumada com estes apertos, e quase sufocava naquela confusão. A custo, desceu quando o ônibus chegou em frente à praça das flores, o lugar mais elegante da cidade dos bichos. Entrou numa loja de calçados e comentou:

- Como tudo está caro...

Escolheu, escolheu, e, por fim, levou um sapatinho que achou lindo. Mais adiante, na casa de modas de dona Girafa, comprou um lindo vestido de renda creme. E assim, de casa em casa, dona Cutia encheu a bolsa que levava, com embrulhos de todos os tamanhos e feitios. Quando resolveu ir embora, notou que no caminho para casa havia uma Coelhinha de carinha triste, mas muito simpática.

- Que tem, Coelhinha? Por que está tão triste?

- Ah, não tenho ninguém no mundo e sou muito sozinha... - Respondeu a coelhinha.

dona Cutia ficou teve piedade da Coelha e começou a pensar num meio de ajudá-la. Depois de certo tempo falou alegremente:

- Olhe, Coelhinha, não fique triste assim! Vou levar você para minha casa e repartir com você essas coisas bonitas que comprei. Não é que seja muita coisa, mas o que tenho dá para nós duas!

A Coelhinha nem sabia como agradecer, de tão feliz, e abraçou e beijou muito a boa dona Cutia. E vocês pensam que só a Coelhinha estava feliz? Que nada! dona Cutia estava muito radiante mesmo, pois ela, a partir daquele dia, contava com mais uma amiga. E como é bom fazer amigos...

(Adaptado do  CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo)