Sugestões de técnicas pedagógicas para serem utilizadas nas aulas do maternal (3 a 4 anos)

1 - Teatro de fantoches - O Evangelizador deverá criar ou pesquisar histórias curtas ( com linguagem simples), conforme o tema escolhido e confeccionar fantoches  dos personagens principais ( com E.V.A, cola para E.V.A, palito de churrasco ou outros materiais). E também deverá construir um palco utilizando uma caixa de papelão grande da seguinte forma:  desenhe um retângulo na caixa (ele será a abertura do palco) e recorte - o com estilete e régua. Faça a cortina com T.N.T. ou outro tecido leve ( corte - ao meio, ou seja, em duas partes) , deixe - a levemente franzida (com poucas dobras) e cole -a com fita dupla face na parte interna superior da caixa.  Faça um furo nas laterais (dos dois lados da caixa) para amarrar as duas partes da cortina com uma fita de cetim e mantê-las abertas. Depois use a criatividade para enfeitá-la com quiser.

2 - Dedoches - O Evangelizador  poderá confecionar um dedoche do personagem da história  para cada criança brincar com ele. Por exemplo: Dedoche de Allan Kardec.

3 - Teatro de sombras - Para construir o teatro será necessário  cortar o fundo e as abas de uma caixa de papelão resistente .Depois deverá encapar o fundo da caixa com o papel de seda branco ou papel manteiga (mais resistente), fixando-o com fita crepe marrom. Em seguida, desenhe nas abas da caixa de papelão três partes, enfeitando-as com canetinha preta, para simular os teatrinhos tradicionais. E, logo após, recorte-as no formato arredondado desejado para fazer o acabamento. Depois, comece a colar estes detalhes ao redor da caixa, com o auxílio da pistola de cola quente. Para fazer os personagens da história,  desenhe-os no papel preto e recorte-os. E logo em seguida, cole as figuras no palito de churrasco. Para contar a história, o Evangelizador deverá ficar posicionado atrás da caixa, com uma lanterna ligada contra a tela, projetando as figuras atrás do papel translúcido.

4 - Caixa de areia -  O material é constituído por duas caixas de areia (aproximadamente 55cm x 70cm x 7cm)  e várias miniaturas.  Forram-se os fundos das caixas com papel plastificado azul claro  simulando o fundo do mar e de modo a permitir o uso e contenção de água no fundo do tabuleiro. Uma das caixas deverá conter areia seca e a outra areia molhada. A textura da areia molhada deverá ser maleável e moldável embora as crianças  possam, depois, modificar essa composição se assim o desejarem. As miniaturas devem ser colocadas em estantes ou caixas grandes  de modo a que sejam acessíveis. Os objectos expostos devem ser  ser muito variados de modo a representar várias situações possíveis desde a realidade à ficção. Eis alguns exemplos: Animais, elementos da natureza (pedras, conchas, frutas, flores,etc) , meios de transporte, habitações (casas, hospital, escola, centro espírita), figuras humanas  (várias idades , raças e profissões diferentes), objetos vários ( livros, pratos, copos, etc). A partir do material disponível, o  Evangelizador poderá contar as histórias e depois as crianças poderão brincar ,  criando o seu próprio cenário para expressar seus sentimentos.

5 - Cantos em roda - Também conhecidas como cirandas, são brincadeiras que consistem na formação de uma roda, com a participação de crianças, para favorecer a iniciação musical. O Evangelizador deverá ensinar uma letra de música ou uma prece cantada ( através da repetição de frases curtas ) e depois pedir para que todas as crianças cantem juntamente com ele. No ciclo maternal recomenda-se realizar a prece cantada.

6 - Brincadeiras com música - O Evangelizador deverá propor que a criança faça gestos e movimentos corporais conforme o ritmo da música.  Por exemplo: Ouça uma música em andamento muito rápido e depois em andamento muito devagar ou proponha à criança que acompanhe o ritmo da música. É algo simples, mas exige que a criança esteja atenta aos comandos verbais do Evangelizador e acelere e desacelere seus movimentos logo que os ouvir. 

7 - Jogo da imitação - O Evangelizador deverá confeccionar os animais da história em E.V.A., colocá-las dentro de um saco de pano e pedir para que cada criança feche os olhos e pegue um deles para imitar o som daquele animal. Para que haja ordem, deve-se pegar um animal por vez e fazer a imitação logo em seguida. 

8 - Brinquedos com peças de montar - Recomenda-se comprar blocos de peças de montar, que são maiores e mais fáceis de encaixar. Este brinquedo poderá ser utizados em algumas aulas. Por exemplo: Para o tema " Persistência" , sugerir montar as peças conforme o modelo proposto; Para o tema " Ordem/Organização", o Evangelizador deve misturar todas as peças coloridas e solicitar que as separe, conforme a cor; Para o tema "Utilização da inteligência" , peça para construir algo que ele conheça ou inventar algo novo com as peças; etc.

9 - Pintura a dedo - Fornecer para cada criança 1 papel canson com gramatura alta (300g) ou papel cartão branco,  várias tintas coloridas para pintura a dedo (não tóxica), esponja e pincéis finos. E depois deverá pedir para que a criança represente o principal personagem da história, fazendo o animalzinho com o formato da(s) mão(s). O Evangelizador deverá levar o modelo pronto e mostrar para as crianças como deverá produzí-lo. Existem muitos modelos sugeridos na internet.

10 - Pintura com giz de cera - O Evangelizador deverá fornecer  para cada criança um desenho simples ( relativo a história contada) para ser pintado com giz de cera. Não recomenda-se a utilização do lápis de cor nesta faixa etária,  devido ao perigo de perfurar os olhos de alguém. 

11 - Massinha de modelar (comestível) - A criança deverá modelar animais, flores, ou objetos simples, que tenham relação com a história. Para que elas possam ter uma referência, o Evangelizador deverá levar um modelo pronto. A Massinha comestível  deve ser feita em várias cores e produzida em casa. Este tipo de material é mais seguro, pois há crianças que tem a curiosidade de colocá-la na boca para experimentar.

12 - Colagem de figuras - O Evangelizador deverá, previamente, confeccionar as figuras, recortando o papel color set colorido no formato de alguns personagens da história , na quantidade necessária para cada aluno. Depois deverá  fornecer 1 papel canson para cada criança, juntamente com as figuras, para que elas colem conforme a instrução dada pelo Evangelizador. Obs.: A cola não deve ser tóxica.

13 - Dobraduras - O Evangelizador  deverá confeccionar, previamente, uma dobradura para cada criança para que ela possa pintá-la e usá-la como brinquedo. Por exemplo.: Faça um barco de papel para movê-lo sobre uma bacia grande com água. O barco pode ser usado nos seguintes temas " Jesus acalma a tempestade" e a " A pesca milagrosa". 

14  - Quebra-cabeça - O  Evangelizador poderá confeccionar um ou mais quebras- cabeças para fixar o tema da aula e para estimular o raciocínio da criança na resolução de problemas. Por exemplo: Pode usar a ilustração de um  garoto orando; Jesus com uma criança ao seu lado; uma menina dividindo o lanche, etc. O quebra-cabeça poderá ser confeccionado da seguinte forma: Desenhe no computador as linhas sobre a imagem para formar as peças , ou as desenhe manualmente, após a impressão da imagem. Depois cole a imagem sobre o papel cartão (com cola bastão),   coloque por cima o papel contact transparente (para protegê-la da humidade)  e recorte as peças. Para crianças de 3 a 4 anos, o ideal é escolher um quebra-cabeça de no máximo 20 peças.

15 - Jogo de boliche com garrafas Pet - Para brincar, passe algumas semanas reunindo as garrafas PET de água, de suco ou refrigerante. Tenha o cuidado de lavá-las bem com água e sabão antes de guardá-las. Depois cole em cada garafa uma figura que representa uma atitude ruim,  contada na história (Ex.: Brigar, puxar o cabelo do outro, jogar o lixo no chão,  não dividir o brinquedo com o outro, etc). Quando as garrafas estiverem prontas, basta arrumá-las, conseguir uma bola pequena e tentar derrubá - las. Explique que estes tipos de atitudes são ruins e devem ser eliminadas do nosso coração,  por isso que devemos tentar derrubar as garrafas.

16 - Jogo das argolas - O Evangelizador deverá confeccionar o jogo de argolas: Compre potinhos pequenos de sobremesa descartáveis com tampa e coloque três ou quatro balas dentro deles. Na parte superior da tampa, cole figuras que representam sentimentos ou atitudes boas (Ex. Corações coloridos, menino orando, menina estudando,  criança abraçando sua avó, etc).  Depois arrume  os potinhos no chão e faça uma linha de arremesso a cerca de 0,5 metros de distância.   Cada criança deverá receber uma argola ou pulseira  para fazer uma ou mais tentativas. Aqueles que conseguirem acertar ou não,  receberão um potinho de balas, no final da brincadeira. Explique que a tentativa e o esforço também são atitudes boas que podem ser recompensas.

17 - Jogo da memória - O Evangelizador poderá criar o jogo com imagens para fixar o tema da aula (Ex.: Jogo da memória dos dez mandamentos). O  jogo da memória   é um clássico   jogo   formado por peças que apresentam uma   figura   em um dos lados. Cada figura se repete em duas peças diferentes. Para começar o jogo, as peças são postas com as figuras voltadas para baixo, para que não possam ser vistas. Cada participante deve, na sua vez,virar duas peças e deixar que todos as vejam. Caso as figuras sejam iguais, o participante deve recolher consigo esse   par   e jogar novamente. Se forem peças diferentes, estas devem ser viradas novamente, e sendo passada a vez ao participante seguinte. Ganha o jogo quem tiver mais pares no final.

18 - Jogo de dominó -  O Evangelizador  poderá confeccionar as peças do jogo com as imagens relacionadas a história (Ex.: Animais: 3 Pássaros/2Macacos encaixa com 2Macacos/1elefante; elementos da criação divina; Parábola da multiplicação de pães e peixes, etc) para aprender sobre quantidade. Para iniciar o jogo as peças são "embaralhadas" na mesa, e cada jogador (grupo de 4 crianças) pega 7 peças para jogar. O jogador que começa a partida é o que tem a peça de um animal específico, por exemplo. Ele inicia a partida colocando esta peça no centro da mesa. A partir daí, joga-se no sentido anti-horário. Cada jogador deve tentar encaixar alguma peça sua nas peças que estão na extremidade do jogo, uma por vez. Quando um jogador consegue encaixar uma peça, a vez é passada para o próximo jogador. Caso o jogador não tenha nenhuma peça que encaixe em qualquer lado, ele deve passar a vez, sem jogar peça nenhuma. A partida pode terminar em duas circustâncias: quando um jogador consegue vencer, acabando com todas as peças, ou quando o jogo fica trancado, ou seja, quando nenhum jogador possui a peça que se encaixa.

(Técnicas pedagógicas baseadas em vários autores. Fabiana F. Freitas.)