Vai, irmã

  Vai, minha boa irmã, segue, aproveita
  A existência esposada com Jesus!…
  Atende ao pobrezinho, aos órfãos nus,
  Não desprezes os bens da “porta estreita”.
 
  É feliz para sempre a alma que aceita
  O testemunho em lágrimas da cruz.
  A dor do sacrifício é como a luz
  Que abre o caminho para a “vida eleita”.
 
  Guarda a esperança pela vida em fora,
  Sê a verdade e o bem para quem chora,
  Não te atormente a estrada mais sombria.
 
  Vence as tristes jornadas escabrosas,
  E hás de ver a manhã de luz e rosas
  Na claridade eterna da alegria!…
(Relicário de luz. Auta de Souza. Psicografado por Chico Xavier )