Sim, não, espera

         Outro dia, levei por escrito para minha mãe a lista de presentes que desejava ganhar no Natal: uma bola de futebol, um jogo de vídeo-game e um celular.
         A resposta também veio por escrito e dizia: Sim, não, espera.
         Sem entender o bilhete, fui pedir explicações. Ela disse que cada palavra era a resposta para um dos meus pedidos. Logo:
         Bola = Sim
         Jogo de vídeo-game = Não
         Celular = Espera
         Assim, entendi que vou ganhar a bola, mas ela não vai me dar o jogo de vídeo-game que pedi porque é um jogo de guerra.
         - Filho, não é bom e educativo ficar “fazendo guerra”, dando tiros, jogando bombas, destruindo cidades e matando pessoas, mesmo que seja de brincadeira. Esse jogo de vídeo-game é igual a uma arma de brinquedo. Não quero que você cresça achando que matar é divertido ou correto.
         Ela também explicou que a terceira resposta é espera porque ainda não é o momento certo para eu ganhar um celular:
         - Tudo tem seu tempo, filho. Em um futuro próximo, dependendo da sua maturidade e responsabilidade, poderá ganhar um celular. Agora ainda é cedo, tenha um pouco de paciência.
         Apesar de não concordar, afinal, já tenho onze anos, sei que por enquanto não vou ganhar o celular. Para completar mamãe explicou que Deus também usa sim, não, espera para responder ao que nós pedimos a Ele.
         - Deus nos atende quando pedimos algo que merecemos ou que vai auxiliar na nossa evolução espiritual. Quando não somos atendidos, depois de um tempo, percebemos que nosso pedido não era legal para nós e que não foi a melhor resposta.
         Como percebeu que eu ouvia atentamente, ela completou:
         - Quando Deus responde espera, temos que confiar Nele. Também devemos orar, ter fé e paciência porque Ele sabe o que é melhor para nós.
         Pensando bem, não vou brigar, nem ficar emburrado porque não vou ganhar tudo o que pedi. Sei que reclamar não vai adiantar e que o melhor a fazer é esperar e não discutir. Afinal, minha mãe sabe muito e, assim como Deus, também usa sim, não, espera...

(Claudia Schmidt)