Rimas do Natal

Natal! – enquanto enfarpelas

teu salão aurifulgente,

desfilam, junto às janelas,

as dores de muita gente.

Natal!... Um pobre foi visto,

passando sobre pedradas.

Soube, depois, que era o Cristo

batendo as portas fechadas.

Natal! Quem foge ao preceito

de repartir o seu pão

carrega um calhau no peito,

em forma de coração.

O Natal em toda idade

é sempre nova alegria,

mas nos dons da caridade,

o Natal é todo dia.

Natal!... Festeja esquecendo

quaisquer preconceitos vãos...

Natal é Jesus dizendo

que todos somos irmãos.

(Antologia mediúnica do Natal. Espírito Leôncio Correia. Psicografado por Chico Xavier)