Receita de acertar

Recebi o seu bilhete,

Meu prezado Felisberto.

Você nos pede um roteiro,

A maneira de andar certo.

Difícil a indicação

De como pensar e agir.

Sabe você: cada um

Tem uma estrada a seguir.

Toda pessoa na vida

Caminha tal qual se vê;

Aquilo que me auxilia

Talvez não sirva a você.

Posso afirmar-lhe, no entanto,

Pelo “sim” ou pelo “não”:

Tranqüilidade por dentro

Decorre de aceitação.

Não a inércia que enregela

O que encontra em derredor,

Mas sempre a conformação

De quem procura o melhor.

Em corpo são ou doente,

Não adote fantasia;

Trabalhe quanto puder,

Não faça hora vazia.

Se você tolera provas

Nas lutas de parentela,

Em qualquer dificuldade,

Mais vale agüentar com ela.

Pais e mães, esposo e esposa,

Afeiçoes, almas queridas,

São provas renovadoras

Que trazemos de outras vidas.

Encargo suposto humilde?

Não se importe, nem de leve…

Seu esforço e nobre e grande

Se você faz o que deve.

Varando os mares da vida,

Amigos são nossos remos;

Se são bons ou se são falhos,

São sempre os que merecemos.

Esqueça qualquer ofensa,

Não guarde magoa ou pesar

Trabalhe, sirva e prossiga,

Deixe o barco navegar…

Eis a receita correta

de acertar, seja onde for:

Mais amor e paciência,

Paciência e mais amor.

(Diálogo dos vivos. Cornélio Pires. J. Herculano Pires. Chico Xavier)