Porque ser criança

         - Pai, por que eu preciso ser criança?
         E, antes que o pai respondesse, Marcos continua:
         - Deus pode tudo, né? Então Ele podia criar a gente já grande, sabendo tudo... Seria bem mais fácil!
         O pai ri. Lembra que, quando criança, muitas vezes também pensara da mesma forma...
         - Realmente, filho, Deus pode tudo. E, se Ele fez as coisas como elas são é porque há um bom motivo!
         E continuou explicando muitas coisas para Marcos...
         - Quando reencarnamos, Deus nos dá a chance de recomeçarmos tudo de novo. Temos a oportunidade de corrigir o que fizemos de errado, de melhorar nossas atitudes e nossa convivência com as pessoas. Para facilitar as coisas, Ele permite que a gente esqueça, momentaneamente, tudo o que fez. Por exemplo: Faz três dias que você não brinca nem conversa com o Daniel, seu melhor amigo, porque ele brigou com você na escola. Agora, imagine que, ao reencarnarmos, soubéssemos que o nosso pai ou irmão foi alguém que nos prejudicou muito em uma encarnação passada. Seria muito difícil perdoarmos e aprendermos a amar essa pessoa. Então, o esquecimento do passado torna mais fácil a convivência, não concorda? Além do mais, que mérito teríamos de já nascer sabendo tudo, sem esforço algum?
         E concluiu o pai:
         - Mas aquilo que nós aprendemos fica tudo muito bem guardado, para ser utilizado quando necessário.
         Durante a infância, dependemos dos adultos para quase tudo, e precisamos aprender tudo de novo! Sabe por quê? Para que nossos pais nos ensinem boas atitudes, bons sentimentos. Se aprendermos coisas boas, saberemos agir da mesma maneira. Os conselhos que eles nos dão têm justamente esta função: nos fazer progredir.
         A sabedoria de Deus é infinita: a infância é um período de brincar e se divertir. Mas, é nela também, que desenvolvemos a inteligência (estudo) e a moral (amor, caridade, fraternidade, perdão...).

(Seara Espírita nº 47. Outubro de 2002)