Perdão e trabalho

 Não te despreocupes do trabalho no bem, se desejas alcançar a própria tranquilidade em nível superior.

 Realmente, o Pai Misericordioso perdoa as nossas faltas, todavia, não à maneira de um ditador terrestre que espalha favores e privilégios, segundo os próprios caprichos, mas sim oferecendo-nos recursos substanciais de restauração, imprescindíveis ao reajuste.

 É por isso que a reencarnação significando retorno do passado obscuro ou delituoso é também imposição de trabalho reconstrutivo.

 O amor é a luz da vida, no entanto, nunca brilhará para as criaturas sem o pedestal da justiça.

 Se feriste a alguém, procura o bálsamo que cicatrize as chagas de teu irmão, enquanto te encontras a caminho com ele, na Terra.

 Se perturbaste a paz do próximo, diligencia a corrigenda precisa, enquanto a possibilidade de reparação te felicita os próprios passos.

 Sempre mais difícil encontrar Além da Morte os dons menosprezados pelo próprio relaxamento.

 A vida física é a escola onde somos situados, transitoriamente, uns à frente dos outros, para a recuperação de nós mesmos, nos alicerces das Leis Divinas.

 O perdão sem trabalho expiatório ou sem sacrifício regenerador é simples utopia.

 Ergue-te para a vida, busca a privilegiada posição de quem compreende e auxilia e elege o trabalho no bem por diretriz incessante.

 Pela prestação de serviço ao próximo, em bases de renúncia e boa vontade, adquirirás a riqueza da simpatia e, pelas sendas da simpatia, atingirás a grande fraternidade que, um dia, aureolar-te-á de luz a fronte, então redimida no Grande Amanhã.

(Tocando o Barco. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)