Dinâmica - Percepções e sensações dos Espíritos

Objetivo: Mostrar quais são as sensações e percepções dos Espíritos após a morte.

Participantes: Indefinido.

Tempo Estimado: 35 min.

Material: Cartões: SIM e NÃO,  perguntas, lousa e giz.

Descrição: O Evangelizador deverá separar a turma em dois grupos e distribuir para cada um dos alunos dois cartões com as palavras SIM e NÃO. Depois deverá ler as perguntas abaixo, alternadamente, para que os grupos respondam SIM ou NÃO.  Os alunos do grupo deverão entrar num acordo e verificar qual é a resposta que a maioria selecionou para dizer ao Evangelizador. E depois, deverá anotar na lousa um ponto, caso o grupo tenha respondido corretamente. O grupo que ganhar mais pontos será o vencedor.

Perguntas:

1. Após a morte, todos os Espíritos possuem sabedoria para conhecer todas as coisas?

R. Não.

Comentário: Se são Espíritos superiores, sabem muito. Os Espíritos inferiores são mais ou menos ignorantes acerca de tudo. (O Livro dos Espíritos. Questão  238. Allan Kardec).

 

2. Os Espíritos conservam após a morte os sentimentos e conhecimentos que adquiriram quando encarnados?

R. Sim.

Comentário:(...)  além de outras de que aí não dispunha, porque o corpo, qual véu sobre elas lançado, as obscurecia. A inteligência é um atributo, que tanto mais livremente se manifesta no Espírito, quanto menos entraves tenha que vencer. (O Livro dos Espíritos. Questão 237. Allan Kardec)

 

3.Os Espíritos possuem um corpo semelhante ao nosso?

R.  Sim.

Comentário: Os Espíritos que se tornam visíveis apresentam-se, quase sempre, com as aparências que tinham em vida e que os podem tornar conhecidos. (O que é o espiritismo. Cap. 2. item 28. Allan Kardec). 

 

4. Os Espíritos possuem roupas para se vestirem?

R. Sim.

Comentário: (...) o perispírito (sendo maleável) toma a aparência das roupas semelhantes àquelas que o Espírito usava quando encarnado. ( O Livro dos médiuns. Segunda parte. Cap. 8. Item 128. Allan Kardec).

 

5. Existem objetos nos plano espiritual, tais como livros, mesa, cama, etc.?

R. Sim.

Comentário: Ele tira da matéria cósmica universal os elementos necessários para formar, de acordo com sua vontade, objetos com a aparência dos diversos corpos que existem na Terra. Ele pode igualmente atuar sobre a matéria elementar, de acordo com sua vontade, uma transformação íntima, dando-lhe propriedades determinadas. ( O Livro dos médiuns. Segunda parte. Cap. 8. Item 129. Allan Kardec).  

 

6. Existem cidades espirituais que possuem casas, prédios, escolas e hospitais?

R. Sim.

Comentário:  Embora os Espíritos tenham a faculdade de criar mais ou menos bem, pela força do pensamento, o que lhes seja necessário, todavia, quando se trata de obras complexas e importantes, a tarefa é confiada a grupos de Espíritos que nisso se especializaram. (Devassando o Invisível. Nada de novo. Pág. 17, 20 e 21. Yvonne A. Pereira). 

 

7. Essas construções se destroem  com a ação do tempo?

R. Não

Comentário:  O tempo não tem ação de espécie alguma sobre as nossas edificações. Elas não se desfazem nem se arruinam. Sua durabilidade depende apenas da vontade dos donos, e, enquanto eles quiserem, o edifício ficará de pé, podendo ser alterado ou modificado consoante seus desejos...porque estas esferas são espirituais e não materiais. (Devassando o Invisível. Nada de novo. Pág. 19. Yvonne A. Pereira). 

 

8. Alguns Espíritos podem receber orações sinceras dos encarnados  por meio de aparelhos semelhantes ao sistema de televisão?

R. Sim

Comentário: No livro '' Memórias de um suicida'' há descrição de um aparelho que transmite notícias dos entes queridas aos suicidas acolhidos num hospital no plano espiritual:   ''Existia em cada dormitório certo aparelhamento delicadíssimo, estruturado em substâncias eletromagnéticas, que, acumulando potencialidade inavaliável de atração, seleção, reprodução e transmissão, estampava em região espelhenta, que lhe era parte integrante, quaisquer imagens e sons que benévola e caridosamente nos fossem dirigidos. Quando um coração generoso, pertencente às nossas famílias ou mesmo para nós desconhecido, arremessasse vibrações fraternas pelas imensidões do Espaço, ao Pai Altíssimo invocando mercês para nossa almas enoitadas pelos dissabores, éramos imediatamente informados por luminosidade repentina, que, traduzindo o balbucio da oração, reproduzia também a imagem da personalidade operante, o que, às vezes, sobremodo nos surpreendia, visto acontecer que pessoas a quem nem sempre distinguíramos com afeição e desvelo se apresentavam freqüentemente ao espelho magnético, enquanto outras, que de nossos corações obtiveram as máximas solicitudes, raramente mitigavam as asperezas da nossa íntima situação com as blandícias santificantes da Prece! (Memórias de um suícida. Cap. 4. Yvone Pereira)

 

9. O tempo para os Espíritos é igual ao nosso?

R. Não.

Comentário: Os Espíritos vivem fora do tempo como o compreendemos. A duração, para eles, deixa, por assim dizer, de existir. Os séculos, para nós tão longos, não passam, aos olhos deles, de instantes que se movem na eternidade, do mesmo modo que os relevos do solo se apagam e desaparecem para quem se eleva no espaço. ( O Livro dos Espíritos. Questão 240. Allan Kardec).

 

10. Os Espíritos gastam algum tempo para percorrer o espaço?

R. Sim.

Comentário:  (...) fazem-no com a rapidez do pensamento. (O Livro dos Espíritos. Questão 89. Alan Kardec).

 

11. Existem meios de transportes para os Espíritos se locomoverem no espaço?

R. Sim. 

Comentário: Um desses meios de transporte é o aeróbus (carro aéreo, que seria na Terra um grande funicular), utilizado na colônia espiritual ''Nosso Lar''. É descrito pelo Espírito André Luiz da seguinte maneira: '' (...) grande carro, suspenso do solo a uma altura de cinco metros mais ou  menos e repleto de  passageiros. Ao descer até nós, à maneira de um elevador terrestre, examinei-o com atenção. Não era máquina conhecida na Terra. Constituída de material muito flexível, tinha enorme comprimento, parecendo ligada a fios invisíveis, em virtude do grande número de antenas na tolda. ( Nosso Lar. Cap. 10. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier). 

 

12. Todos os Espíritos precisam de meios de transporte para se locomoverem no espaço?

R. Não

Comentário: O Espírito André Luiz relata: (...) ''aqui, em 'Nosso Lar', nem todos necessitam do aeróbus para se locomoverem, porque os habitantes mais elevados da colônia dispõem do poder de volitação (capacidade para se transportarem de um lugar para o outro, elevando-se do solo numa espécie de vôo)  (Nosso Lar. Cap. 50. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier)

 

13. Alguns Espíritos sentem a necessidade de se alimentar após desencarnarem?

R.  Sim.

Comentário: Abandonado o envoltório físico na desencarnação, se o psicossoma está profundamente arraigado às sensações terres­tres, sobrevém ao Espírito a necessidade inquietante de prosseguir atrelado ao mundo biológico que lhe é familiar... (...) Na maioria das vezes, os desencarnados em crise dessa ordem são conduzidos pelos agentes da Bondade Divina aos centros de reeducação do Plano Espiritual, onde encontram ali­mentação semelhante à da Terra, porém fluídica, recebendo-a em porções adequadas até que se adaptem aos sistemas de sustentação da Esfera Superior, em cujos círculos a tomada de substância é tanto menor e tanto mais leve quanto maior se evi­dencie o enobrecimento da alma... (Evolução em dois mundos. 2º parte. Cap. 21. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier e Waldo Vieira).

 

14. Todos os Espíritos veem a Deus, após a morte?

R. Não

Comentário: Só os Espíritos superiores o veem e o compreendem; os Espíritos inferiores o sentem e o adivinham. ( O Livro dos Espíritos. Questão 244. Allan Kardec).

 

15. O Espírito inferiores podem esconder os seus pensamentos dos superiores?

R. Não

Comentário:(...) Para eles tudo está a descoberto, sobretudo para os perfeitos. Podem afastar-se uns dos outros, mas sempre se vêem. Isto, porém, não constitui regra absoluta, porquanto certos Espíritos podem muito bem tornar-se invisíveis a outros Espíritos, se julgarem útil fazê-lo.” ( O Livro dos Espíritos. Questão 283. Allan Kardec)

 

16. A matéria, tais como a parede, o carro, a água é obstáculo para o Espírito?

R. Não

Comentário: “Nenhum; eles passam através de tudo. O ar, a terra, as águas e até mesmo o fogo

lhes são igualmente acessíveis.” ( O Livro dos Espíritos. Questão 91. Allan Kardec) . Obs. Para os Espíritos ignorantes a matéria é ainda um obstáculo (Vide: Os mensageiros. Cap. 37. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier)

 

17. Os Espíritos têm necessidade de luz para ver?

R. Não.

Comentário: Vêem por si mesmos, não têm necessidade da luz exterior; para eles não há trevas a não ser aquelas em que se encontram por expiação.  (O Livro dos Espíritos. Questão 246. Allan Kardec).

 

18. Os Espíritos possuem todo o conhecimento sobre o seu passado ou o sobre o futuro?

R. Não

Comentário: “(...)Isto depende da elevação que tenham conquistado. (...)À medida que se aproxima de Deus, tanto mais claramente o Espírito descortina o futuro. Depois da morte, a alma vê e apreende num golpe de vista suas passadas migrações, mas não pode ver o que Deus lhe reserva.  (O Livro dos Espíritos. Questão 243. Allan Kardec).

 

19. Os Espíritos que fizeram o mal continuam sentindo as sensações das dores que tinham quando estavam encarnados?

R. Sim

Comentário: (...)Liberto do corpo, o Espírito pode sofrer, mas esse sofrimento não é corporal, embora não seja exclusivamente moral, como o remorso, pois que ele se queixa de frio e calor. Também não sofre mais no inverno do que no verão: temo-los visto atravessar chamas, sem experimentarem qualquer dor. Nenhuma impressão lhes causa, conseguintemente, a temperatura. A dor que sentem não é, pois, uma dor física propriamente dita: é um vago sentimento íntimo, que o próprio Espírito nem sempre compreende bem, precisamente porque a dor não se acha localizada e porque não a produzem agentes exteriores; é mais uma reminiscência do que uma realidade, reminiscência, porém, igualmente penosa. (O Livro dos Espíritos. Item 257. Allan Kardec)

 

20. Existem armas de defesa contra os Espíritos maus?

R. Sim

Comentário:  O instrutor espiritual esclarece: ''(...) Não temos balas de aço, mas temos projetis elétricos. Naturalmente, a ninguém atacaremos. Nossa tarefa é de socorro e não de extermínio. (...) Qual o efeito desses projetis? —Assustam terrivelmente. (...)Nossos projetis, portanto, expulsam os inimigos do bem através de vibrações do medo, mas poderiam causar a ilusão da morte, atuando sobre o corpo denso dos nossos semelhan­tes menos adiantados no caminho da vida. (Os Mensageiros. Cap. 20. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier).

(baseada nos livros: - O Livro dos Espíritos. Questões 89, 237, 238, 240, 243, 244, 246, 257, 283 . Allan Kardec. - O que é o espiritismo. Cap. 2. item 28. Allan Kardec. - O Livro dos médiuns. Segunda parte. Cap. 8. Item 128 e 129. Allan Kardec. - Devassando o Invisível. Nada de novo. Pág. 17, 19, 20 e 21. Yvonne A. Pereira. - Memórias de um suícida. Cap. 4. Yvone Pereira. - Nosso Lar. Cap. 10 e 50. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier. - Evolução em dois mundos. 2º parte. Cap. 21. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier e Waldo Vieira. - Os mensageiros. Cap. 20 e 37. Espírito André Luiz. Psicografado por Chico Xavier. )