Os animais

Na casa da Natureza,

O Pai espalhou com arte

As bênçãos de luz da vida,

Que brilham em toda parte.

 

Essas bênçãos generosas,

Tão ricas , tão naturais,

São notas de amor divino

Na esfera dos animais.

 

Não te esqueças : no caminho,

Praticando o bem que adores,

Busca ver em todos eles

Os nossos irmãos menores.

 

A Providência dos Céus

Jamais esquece a ninguém;

Deus que é Pai dos homens sábios,

É Pai do animal também.

 

A única diferença,

Em nossa situação,

É que o animal não chegou

Às vitórias da Razão.

 

Entretanto, observamos

Em toda a sua existência

Os princípios sacrossantos

De amor e de inteligência.

 

Vejamos a abelha amiga

No grande armazém do mel,

A galinha afetuosa,

O esforço do cão fiel.

 

O boi tão útil a todos,

É bondade e temperança;

O muar de força hercúlea

Obedece a uma criança.

 

Ampara-os, sempre que possas,

Nas horas de tua lida.

O animal de tua casa

Tem laços com tua vida.

 

A lei é conjunto eterno

De deveres fraternais:

Os anjos cuidam dos homens,

Os homens dos animais.

 

(Espírito Casimiro Cunha. Cartilha da Natureza. Psicografado por Chico Xavier)