Objetivos da evangelização da infância

            Por quê educar?
            A educação é poderosa alavanca que corrige atitudes, emerge qualidades e canaliza energias.

            É a educação a mola propulsora que prepara o bom cidadão e, consequentemente, a sociedade renovada, regida por leis evoluídas e sábias. O progresso social é fruto da renovação moral do homem. Homem moralizado, sociedade moralizada.

            Se a família é a célula mater da sociedade, e se esta é fruto de agrupamentos familiares, é de premente conveniência que os pais primem no esforço de preparar com desvelo e cuidado a infância de hoje, figura do homem futuro, que conduzirá, portanto, a sociedade de amanhã.
            Infância e juventude cristãs logicamente formarão sociedades, cristianizadas, de mentes abertas e higienizadas, distinguidas pela fraternidade e pacifismo, concretizando em nossa humanidade o tão desejado sentimento de ''família terrena'', para mais tarde integrar-se no espírito de ''família universal''.

            Como esperar um futuro melhor para a humanidade terrena, se não cuidarmos de educar nossas crianças nos postulados do Cristianismo puro, libertando-as das tradições estéreis, dos rituais, das adorações imobilizadas e improdutivas, das práticas aberrantes, descortinando-se-lhes à frente do límpido horizonte da Verdade?
            É preciso trabalhar no sentido de conscientizar o homem, desde sua infância, da grande verdade: a imortalidade do Espírito e sua ascensão para a Luz.
            Para tal, se faz necessário lavrar o terreno, adubando-o com bons nutrientes, para que a semente floresça, pondo bons frutos que, por sua vez, deixarão sementes de constituição mais sadia e robusta.
            Não basta, a aquisição de intelectualidade para resolver as situações da vida. É necessária, assim, a aprendizagem emocional, educando e aprimorando os sentimentos, auxiliando a conquista da moral elevada, para que haja constante renovação espiritual no ser humano.
                O objetivo da evangelização da infância é: "Dar recursos certos, justos, verdadeiros e definitivos ao espírito recém-encarnado, evitando desde o início que seu subconsciente arquive idéias erradas sobre a vida e a morte e o futuro do espírito que evolui na matéria enganosa". Evangelizar a infância é preparar o ser humano para enfrentar todos os momentos e adversidades da vida, nos postulados do Evangelho, numa verdadeira e profunda imitação do Cristo Redentor.  E o único meio é cultivar no espírito da criança, desde o alvorecer da vida, o entendimento da prática das boas obras, a aquisição da moral e do saber, para que ela atinja o crepúsculo físico, consciente de suas conquistas espirituais, conhecendo a si mesma e situando-se no universo como colaboradora da Divindade Suprema.
                Assim, visamos neste trabalho proporcionar conhecimentos,  preparando de forma simples e segura, os trabalhadores que se propuserem à tarefa, dando-lhes noções indispensáveis para que se utilizem de todos os recursos possíveis à aprendizagem que se faz necessária.

( Programa para a infância. Federação Espírita do Estado de São Paulo. Área da Infância, juventude e mocidade, 1998)