O senhor e seu servo

     Um senhor, querendo oferecer aos seus amigos um banquete, chamou seu servo e ordenou-lhe que procurasse os mais nobre dos alimentos.
     Uma iguaria que prestigiasse seus convidados.
     O servo pensou e trouxe língua.

     O rico senhor estranhou e perguntou:
    - Por que a língua?
    - Porque no sentido moral e figurado, a língua é nobre, é generosa é previdente, caridosa, amiga e criteriosa, disse o servo.
    - É verdade, disse o senhor.
    Mas querendo oferecer um novo banquete aos seus inimigos chamou novamente o servo e ordenou:

    - Traga-me um alimento desprezível e inconveniente, para que eu possa banquetear meus inimigos!
     O servo trouxe língua.
     - Como?! Novamente língua? - disse o Senhor.
     - Sim! - disse o servo.
     A língua pode ser nobre e desprezível.
     Ela pode fazer o bem, porém fazer também muito mal.
     A maledicência, a ingratidão, a mentira, a calunia, etc...
     Tudo isso pode ser praticado através da língua.
     Por isso o apóstolo Tiago nos diz:
     - Todos nós tropeçamos em muitas coisas.
     Se alguém não tropeça no falar é perfeito varão, capaz de refrear também todo o seu corpo.

(Autor desconhecido)