O pão espiritual

 O pão espiritual, amassado em luz invisível,

 É alimento do coração — constante e durável.

 Dado embora em migalhas — é valor infinito…

 Semente de sabedoria — tornar-se-á celeiro farto,

 Minuto de esclarecimento — rasga horizontes eternos,

 Verbo silencioso — criará mundos novos,

 Toque de fé — salvará muitas vidas,

 Bênção de amor — renovará o estímulo apagado,

 Gota de consolação — amenizará muitas dores,

 Água da vida — fecundará campos mortos,

 Dom divino — sustenta milhares de criaturas,

 Réstia de esperança — erguerá desesperados,

 Pétala da paz — elimina incêndios da discórdia,

 Raio de luz — descerra caminhos ocultos,

 Dádiva de compreensão — extingue as sombras da ignorância e do ódio.

 Abençoadas sejam as mãos — que cooperam à Mesa Imperceptível de Deus,

 Acrescentando esse pão — sublime e imperecível…

 

 Distribui-o, em torno de teus passos, e semearás gloriosos destinos,

 desfazendo as trevas em derredor,

 arando o chão duro dos corações cristalizados no mal,

 restituindo a visão aos cegos dos vales da morte,

 devolvendo alegria aos tristes,

 levantando os que tombaram,

 socorrendo náufragos,

 enriquecendo os pobres de luz,

 abrindo portas redentoras,

 rompendo muralhas e fronteiras

 e unindo almas no Grande Amor…

  Segue, mundo a fora, espalhando-lhe as graças, na certeza de que o Cristo é o Pão que desceu do Céu! 

 (Correio fraterno. Espírito André Luiz. Chico Xavier)