O mais difícil

Diante das águas calmas, Jesus refletia.
Afastara-se da multidão, momentos antes.
Ouvira remoques e sarcasmos.
Vira chagas e aflições.
O Mestre pensava…
 
  Tadeu e Tiago, o moço, João e Bartolomeu aproximaram-se. Não era aquele um momento raro? E ensaiaram perguntas.
— Senhor — disse João —, qual é o mais importante aviso da Lei na vida dos homens?
  E o Divino Amigo passou a responder:
— Amemos a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a nós mesmos. (Mt)
  — E qual é a virtude mais preciosa? — indagou Tadeu.
— A humildade.
  — Qual o talento mais nobre, Senhor? — falou Tiago.
— O trabalho.
— E a norma de triunfo mais elevada? — interrogou Bartolomeu.
— A persistência no bem.
— Mestre, e qual é, para nós todos, o mais alto dever? — aventurou Tadeu novamente.
— Amar a todos, a todos servindo sem distinção.
  — Oh! isso é quase impossível — gemeu o aprendiz.
— A maldade é atributo de todos — clamou Tiago —; faço o bem quanto posso, mas apenas recolho espinhos de ingratidão.
— Vejo homens bons sofrendo calúnias por toda parte — acentuou outro discípulo.
— Tenho encontrado mãos criminosas toda vez que estendo as mãos para auxiliar — disse outro.
E as mágoas desfilaram diante do Mestre silencioso.
  João, contudo, voltou a interrogá-lo:
— Senhor, que é mais difícil? Qual a aquisição mais difícil?
  Jesus sorriu e declarou:
— A resposta está aqui mesmo em vossas lamentações. O mais difícil é ajudar em silêncio, amar sem crítica, dar sem pedir, entender sem reclamar… A aquisição mais difícil para nós todos chama-se paciência.
 
(A Vida Escreve . Hilário Silva . 1ª Parte. Hilário Silva. Psicografia de Waldo Vieira)