No caminho comum

Diz o Egoísmo – exijo.

Diz o Evangelho – cooperei.

Clama o Egoísmo – eu tenho e posso.

Clama o Evangelho – O Senhor lembrar-se-á de nós com a sua Bênção.

Pede o Egoísmo – entende-me.

Pede o Evangelho – deixa-me auxiliar.

Grita o Egoísmo – sou amado.

Afirma o Evangelho – amo.

Diz o Egoísmo – nunca mais.

Diz o Evangelho – servirei ao bem, sem descanso.

Assevera o Egoísmo – não suportei.

Assevera o Evangelho – o Céu dar-me-á resistência.

Clama o Egoísmo – jamais perdoarei.

Clama o Evangelho – desconheço o mal.

Diz o Egoísmo – tudo é meu.

Diz o Evangelho – tudo é nosso.

O Egoísmo reclama.

O Evangelho sacrifica-se.

O Egoísmo absorve.

O Evangelho se espalha em doações.

O Egoísmo recolher para si.

O Evangelho semeia com amor, a benefício de todos.

O Egoísmo precipita-se.

O Evangelho espera.

O Egoísmo toma posse.

O Evangelho auxilia.

O Egoísmo proclama: - eu.

O Evangelho apregoa: - nós.

É fácil conhecer a nossa posição dentro da vida.

Pelas nossas próprias atitudes, no caminho comum, nas relações habituais de uns para com os outros sabemos, em verdade, se ainda estamos na noite do personalismo delinqüente ou se já estamos atingindo a alvorada renovadora com o inolvidável Mestre da Cruz.

 

(Apostilas da Vida. André Luiz. Psicografado por Chico Xavier)