Na ordem social

 Observa no próprio lar as forças diferentes que se congregam, nutrindo-te a segurança, para que te não furtes ao dever de servir:

 O legislador, cujo pensamento garante a harmonia na via pública.

 O engenheiro que te traçou o plano da moradia.

 O pedreiro que levantou o edifício a que te acolhes.

 O pintor que te alegrou o ambiente.

 O operário que te trouxe a bênção das águas ao reduto doméstico.

 O braço diligente que te garante combustível e força para que te não faltem calor e luz.

 Pensa ainda nos missionários outros que te oferecem equilíbrio e tranquilidade:

 O médico que te preserva a saúde.

 O escritor que te renova as ideias.

 O professor que te educa.

 O irmão que te estende amizade e reconforto.

 O lixeiro que te alivia.

 O varredor que cultiva a higiene.

 O lavrador que te assegura o alimento .

 Não admitas que o dinheiro seja o único poder aquisitivo de semelhantes valores. O ouro, só por si, num mundo de sedentos e esfomeados, não valeria a gota d’água, nem a migalha de pão.

 Reflete na interdependência que nos rege todas as fases da vida e aprende a valorizar teus minutos na extensão do bem.

 Auxiliar a todos com espontaneidade e carinho, é agradecer aos outros o auxílio com que nos seguem.

 Fugir à crítica e à desaprovação, abraçando a solidariedade e o estímulo fraterno é compreender nossas próprias necessidades, de vez que não caminharemos sem o concurso alheio.

 Entendamos a amplitude da colaboração anônima que recolhemos do próximo e, oferecendo ao próximo o melhor de nós mesmos, estaremos com Cristo, nosso Mestre e Senhor, que, no sacrifício supremo, nos ensinou a alcançar a suprema vitória.

 

(Nós. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)