Não furtes

“Aquele que furtava não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as suas mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade.” — PAULO (Efésios, 4.28)

 

 Há roubos de variada natureza, jamais catalogados nos códigos de justiça da Terra.

 Furtos de tempo aos que trabalham.

 Assaltos à tranquilidade do próximo.

 Depredações da confiança alheia.

 Invasões nos interesses dos outros.

 Apropriações indébitas, através do pensamento.

 Espoliações da alegria e da esperança.

 Com as chaves falsas da intriga e da calúnia, da crueldade e da má-fé, almas impiedosas existem, penetrando sutilmente nos corações desprevenidos, dilapidando-os em seus mais valiosos patrimônios espirituais…

 Por esse motivo, a palavra de Paulo se reveste de sublime significação: — “Aquele que furtava não furte mais.”

 Se aceitaste o Evangelho por norma de elevação da tua vida, procura, acima de tudo, ocupar as tuas mãos em atividades edificantes, a fim de que possas ser realmente útil aos que necessitam.

 Na preguiça está sediada a gerência do mal. Quem alguma coisa faz, tem algo a repartir.

 Busca o teu posto de serviço, cumpre dignamente as tuas obrigações de cada dia e, atendendo aos deveres que o Senhor te confiou, atravessarás o caminho terrestre sem furtar a ninguém.

(Fonte viva. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)