Métodos, técnicas e recursos

Para uma melhor compreensão é fundamental definirmos os termos: método, técnica e recursos.
• Método: caminho pelo qual se chega a um resultado. Modo de proceder. Meio utilizado para desenvolver um conteúdo de ensino. Ex; método Montessori, etc.
• Técnicas: é a estratégia utilizada para facilitar o processo educativo. Ex: técnica de contar histórias,desenho, dramatização, etc.
• Recursos: materiais utilizados na aplicação da técnica que melhor facilitem o processo educativo. Ex: lápis de cera, DVD, aparelho de som, etc.

Sugestão de técnicas:
A) Intelectivas
• Coleção e classificação de materiais dos três reinos;
• Maquetes sobre a criação, épocas da Palestina, pluralidade dos mundos habitados, cidadesespirituais, etc.
• Painel sobre a criação, sobre o desenvolvimento humano, história do Espiritismo, ObrasBásicas, etc;
• Montar o sistema solar com bolas de isopor para estudar a pluralidade dos mundoshabitados;
• Mural sobre os Espíritos, reencarnação, fluidos, eras geológicas, etc;
• Estudo, pesquisa e apresentação sobre a desencarnação;
• Estudo, pesquisa e apresentação sobre a reencarnação, sobre a intervenção dos Espíritos emediunidade;
• Entrevistas com médiuns, trabalhadores, profissionais em geral, etc;
• Estudo, pesquisa e apresentação com cartazes, maquetes ou mural sobre Nosso Lar.

B) Para desenvolver o sentimento e a moral:
• Técnicas de grupos;
• Jornal mural onde os evangelizandos colem, recortes de revistas e jornais que contenham
reportagens sobre as consequências do apego e da possessividade na vida individual e coletiva;
• Ciclo de palestras sobre o ciclo vicioso da repetição compulsiva;
• Leitura de poesias;
• Dramatizações de situações que envolvem o sentimento;
• Técnica da empatia através da representação de troca de papéis;
• Representar situações cotidianas que mostram o desrespeito, a mágoa, o ciúme, etc;
• Escolher pessoas e observar suas qualidades;
• Analisar uma área da vida e trabalhar nela durante a semana;
• Partilhar experiências com o grupo sobre acontecimentos que marcam;
• Representar cenas da vida familiar nas diversas fases da história, comparar seus problemas,dificuldades;
• Pesquisa e estudo de biografias de pessoas que trabalharam com amor pelo bem decomunidades;
• Sensibilização estética: audição de músicas clássicas, visita a museus, parques, etc; com o
objetivo de ver o belo;
• Projeção de filmes;
• Assistir a peças teatrais, visualização de slides;
• Debates sobre acontecimentos sociais que envolveram a moral;
• Contato com trabalhos sociais;
• Estudo e pesquisa sobre as dificuldades vividas pelos carentes, propondo soluções quando possível ou ajuda no necessário;
• Escolher uma história sobre valores humanos e recontá-la ou reescrevê-la como notícia de televisão, manchete de jornal, uma escritura antiga, um poema, etc;

C) Para desenvolver a criatividade:
• Expressão oral e escrita;
• Recortes e colagens variadas;
• Modelagens com materiais diversos, argila, massa de modelar, etc;
• Construções com materiais diversos, madeiras, sucata, etc;
• Música;
• Teatro;
• Utilizando recortes de gibis, montar histórias com temas variados;
• Utilizando o desenho e a pintura montar gibis com histórias de temas variados;
• Reescrever textos, conteúdos, temas que foram notícias de TV, rádio, jornal, poemas, música,etc;
• Confecção de móbiles que sugiram o tema proposto, ou com palavras de paz, harmonia, boas-vindas, etc;
• Maquetes variadas: de sucatas, papel machê, madeira, etc;
• Jornal da turma;
• Murais variados, com colagens, pinturas, desenhos, etc. Ex: dividir a turma em grupos e cada umrecebe materiais variados para confeccionar o mural sobre o tema desenvolvido (tampinhas degarrafas, lápis, sucatas, papéis variados, etc.)
• Quadro de novidades ou mural de informações;
• Todas as artes.

As técnicas nas diferentes idades
A) 03 a 06 anos
A partir dos três anos o Espírito amplia sua vivência com o outro e a influência do meio é enorme. O emocional e o afetivo preponderam sobre o intelectual.
• Técnicas que trabalhem com vivências que foram ou que possam ser por elas experienciadas. As atividades não devem ser apresentadas como teóricas, mas vivenciadas;
• Histórias devem ser contadas com ênfase, dramaticidade, entonação de voz, mudança de postura prendem a atenção e sensibilizam. Ex: contos e fábulas;
• Histórias com fantoches, bonecos variados, desenhos, slides, miniaturas, mímicas, etc;
• Desenhar no mural ou fazer colagem sobre a narrativa;
• Jogo de sombras;
• A pintura, o desenho, a colagem, o recorte com as mãos nas idades menores e com a tesoura para os maiores, as dobraduras, confecção de objetos com sucata. Ex: bonecos de palito de isopor, caixa de fósforos, etc;
• Músicas infantis com ritmo agradável;
• Jogos individuais de imitação, seguir o chefe, etc;
• Dança, movimento;
• Atividades de cooperação, auxílio, ajuda. Ex; organizar a sala, distribuir material, colaborar comos colegas;
• Plantar sementes e vê-las desenvolver;
• Organizar um mural ou painel com as diferentes famílias existentes na natureza: animais,
vegetais e homem e que foram criadas por Deus;
• Colagens e modelagens em geral;
• Todas as técnicas de pintura (a dedo, guache, sopro, com esponja, com peneira, etc.)

B) 07 aos 11/12 anos
O pensamento é concreto, o raciocínio se baseia na percepção das coisas e objetos. Se os conceitos forem tratados de forma abstrata, terá dificuldade em assimilá-los.
• Na evangelização espírita trabalha-se com conceitos muitas vezes profundos como reencarnação, mundo espiritual, Espírito, etc., necessita que sejam concretizados através de maquetes, fantoches, sucatas, ilustrações, filmes, slides, experiências, etc;
• Se possível prefira o real à figuras. Ex: falar da infância de médiuns, fazer entrevistas com médiuns para saberem o que sentem, etc;
• Técnicas que as levem a observar e a comparar fatos, objetos e atitudes, etc;
• Não antecipe as respostas. Dê um tempo para que pensem;
• Deixe-as tirarem suas próprias conclusões pela observação, comparação, raciocínio próprio;
• Ajude-as a observar os fenômenos, compreender as causas e perceber a lei de causa e efeito;
• Promover atividades de cooperação com os colegas, pais evangelizadores, amigos, etc;
• Os contos e histórias ainda são de interesse;
• Dramatizações, expressão corporal, mímicas;
• Atividades em grupo;
• Técnica da observação: comportamento próprio dentro de um aspecto durante a semana, quedeverá ser relatado e anotado. Ex: observar aspectos positivos de pessoas, observar anúncios de revistas e televisão sobre cigarros, bebidas, comportamentos, etc; com o objetivo de colocá- los à luz da Doutrina Espírita para posterior debate e confecção de texto;
• Pesquisas e estudo sobre temas variados;
• Confecção de maquetes, murais, cartazes, etc;
• Artes em geral.

C) 12 aos 17 anos
Aumenta gradativamente a capacidade de desenvolver o pensamento abstrato, adquirindo o aspecto científico. O evangelizando se encaminha para a autonomia moral.
• Técnicas que propiciem imaginar obstáculos, formar hipóteses, trabalhar o pensamento científico;
• Participar de atividades assistenciais. Promover e participar de campanhas, promoções;
• Visitas a instituições, asilos, creches, favelas, etc;
• Visitar museus de história da civilização, de costumes, industriais, etc;
• Técnicas que permitam a reflexão, análise, síntese de comparações, como leitura de textos,frases, visualização de trechos de filmes, figuras de revistas e jornais que mostrem cenas de um acontecimento;
• Questões para serem respondidas e debatidas;
• Técnicas que possibilitem depoimentos e estimulem o diálogo;
• Levar a dedução e sintetização de um texto;
• Solicitar novas soluções para velhas questões;
• Formulação de problemas ou hipóteses, situações problema;
• Pesquisa e estudo de temas principalmente científicos e históricos;
• Composição de textos, músicas, poesias, poemas, etc;
• Pensamentos para murais.
(Apostila Treinamento Formação de Evangelizadores, FEP, Departamento de Infância e Juventude - 2001. Fonte: Curso - Formação de Evangelizadores 2009/ Módulo 3: O Processo da Evangelização.Federação Espírita do Paraná)