Liberdade espiritual

Como poderá a criatura adquirir a sua liberdade?

Muitos de vós que atualmente na Terra lutais e sofreis, no círculo doloroso das penas e trabalhos terrestres, ignorais que o cárcere de hoje

é a vossa emanação de amanhã, na existência real.

Freqüentemente, de coração oprimido e de alma alanceada nos tormentos purificadores, o homem exclama:

- Senhor, não é possível lutar por mais tempo... as dores transbordaram e não posso ir adiante...!

É preciso, porém, saber conduzir a cruz das provas salvadoras. A tudos concedeu o Senhor o quinhão de forças necessárias. Sabe Jesus

onde se derrama a lágrima obscura, fazendo brotar, ao seu lado, a flor perfumada da resignação e da esperança e todos os padecimentos e

dificuldades terrestres têm sua causa justa, ainda que temporariamente inacessível ao entendimento de vossas consciências, adormecidas na

reencarnação.

Desejais a tranqüilidade, a aspiração satisfeita, o sonho realizado, a paz e a fartura... mas vos esqueceis de que viestes ao mundo para a reparação ou aprendizado, em que as dores são elementos vitais de toda a conquista para a felicidade futura.

Adquirireis, portanto, a vossa emancipação e a vossa liberdade sagradas, suportando com heroísmo as amarguras e as experiências que a Terra vos oferece.

No oceano encapelado, cheio de perigos, aprende o marujo a dominar tempestades.

Aprendizes da escola do sofrimento, num mundo onde toda posse material é precária e transitória, sabei que apenas o ouro sagrado da experiência na dor e no trabalho pode comprar o palácio de vossa liberdade.

(Coletânea do Além. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)