Guardemos saúde mental

“Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da Terra.” — PAULO (Colossenses 3.2)

 

 O Cristianismo primitivo não desconhecia a necessidade da mente sã e iluminada de aspirações superiores, na vida daqueles que abraçam no Evangelho a renovação substancial.

 O trabalho de notáveis pensadores de hoje encontra raízes mais longe.

 Sabem agora, os que lidam com os fenômenos mediúnicos, que a morte da carne não impõe as delícias celestiais.

 O homem encontra-se, além do túmulo, com as virtudes e defeitos, ideais e vícios a que se consagrava no corpo.

 O criminoso imanta-se ao círculo dos próprios delitos, quando se não algema aos parceiros na falta cometida.

 O avarento está preso aos bens supérfluos que abusivamente amontoou.

 O vaidoso permanece ligado aos títulos transitórios.

 O alcoólatra ronda as possibilidades de satisfazer a sede que lhe domina os centros de força.

 Quem se apaixona pelas organizações caprichosas do “eu”, gasta longos dias para desfazer as teias de ilusão em que se lhe segrega a personalidade.

 O programa antecede o serviço. O projeto traça a realização.

 O pensamento é energia irradiante. Espraiemo-lo na Terra e prender-nos-emos, naturalmente, ao chão. Elevemo-lo para o Alto e conquistaremos a espiritualidade sublime.

 Nosso Espírito residirá onde projetarmos nossos pensamentos, alicerces vivos do bem e do mal. Por isto mesmo, dizia Paulo, sabiamente: — “Pensai nas coisas que são de cima.”

 (Pão nosso.  Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)