Fora da boa vontade não há solução

Realmente, a caridade é a chave do Céu, entretanto, não nos esqueçamos de que a boa vontade é o começo da sublime virtude, tanto

quanto o alicerce é o início da construção.

Se encontrarmos a cólera no espírito do companheiro e não temos a boa vontade da paciência, indiscutivelmente, atingiremos lamentáveis

conflitos.

Se o desânimo nos visita e não dispomos de boa vontade na resistência, dormiremos delituosamente na inutilidade.

Se a maldade nos persegue e não exercitamos a boa vontade da desculpa compreensiva, desceremos a deploráveis movimentos de reação

com resultados imprevisíveis.

Se o trabalho nos pede sacrifício e não usamos a boa vontade da renúncia, o atraso e a sombra dominarão a vida que devemos iluminar e

sublimar.

Se o insulto nos surpreende e não praticamos a boa vontade do silêncio, cairemos na desesperação.

Se a prova nos procura, em favor de nossa regeneração e fugimos à boa vontade da conformação e da diligência, demorar-nos-emos

indefinidamente na brutalidade, adiando sempre a nossa elevação para a Vida Superior.

De todos os males que escravizam as nossas almas, na Terra, os maiores, são a ignorância e a penúria.

Para combatê-los e extinguí-los, tenhamos a precisa coragem de trabalhar e servir, auxiliando-nos reciprocamente, aprendendo sempre e

semeando o bem, cada vez mais, porque se a caridade é o nosso anjo renovador devemos reconhecer que, nos variado problemas da jornada na

Terra, sem a boa vontade não há solução.


(Visão nova. Espírito Emmanuel. Psicografado por Chico Xavier)