É o fim do mundo?

            A reunião era urgente. O assunto: o enorme calor e a falta de água na Floresta. Representantes de quase todas as espécies de animais estavam presentes naquela tarde, que parecia ser a mais quente do verão.
         Iniciando os debates, o Rei Leão foi logo explicando que o calor é uma das conseqüências do chamado Efeito Estufa, um aquecimento geral na Terra.
         - Esse calor imenso é causado pela poluição dos carros e das indústrias, pela destruição das árvores e pela poluição dos rios.
         - Dizem que o calor vai aumentar mais ainda - alertou a zebra. Vários animais e plantas podem ser extintos! Mais chuvas, furacões e tempestades vão acontecer! E em outros lugares haverá falta de água para beber e tomar banho!
         O burburinho foi geral. Todos falavam ao mesmo tempo. Ninguém se entendia.
         Foi quando a mãe girafa gritou em pânico:
         - Meu Deus, o que vai ser dos nossos filhos? O mundo vai acabar!
         - Se o mundo vai acabar, onde nós vamos reencarnar? - completou aflita a jibóia. Quero continuar evoluindo...
         Os bichos falavam sem parar. Alguns cochichavam, outros pareciam muito preocupados.
         - Calma, pessoal! - disse alto e firme o Rei Leão. Precisamos de ordem para continuar a reunião!
         Quando a calma se instalou novamente, a onça perguntou:
         - E nós, o que podemos fazer para salvar o planeta?
         - Muito bem lembrado, cara amiga - era a Ministra Coruja. Todos somos responsáveis pelo planeta que vamos deixar para nossos filhos e para nós mesmos, se reencarnarmos novamente aqui. Podemos mudar a realidade, se cada um fizer a sua parte.
         - Explique melhor - pediu o Rei Leão.
         - Todos podemos fazer pequenas coisas, que somadas, farão enorme diferença. Por exemplo: separar o lixo seco e o lixo úmido, para que possam ser reaproveitados. Podemos gastar menos papel, evitando a derrubada de muitas árvores.
         - Também podemos poupar energia elétrica. E não desperdiçar água - era o sapo dando sua opinião.
         - E ir a pé, de ônibus, de carona ou de bicicleta para o trabalho - lembrou a raposa.
         E assim foram surgindo idéias para preservar a natureza. Cada bicho se comprometeu a fazer a sua parte a fim de deter o aquecimento do planeta. Naquela tarde, criaram uma comissão e foram até a Grande Fábrica conversar com os diretores para sugerir maneiras de diminuir a poluição. E aproveitaram a ocasião para propor o uso de energia solar, mais econômica e menos poluente.
         Um ano depois, houve uma grande festa na Floresta, a FESTA DA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL, onde os bichos comemoraram os resultados obtidos e estipularam novas metas para preservar a natureza. A Festa teve muita alegria e diversão e se repetiu por muitos e muitos anos...
 

(Claudia Schmidt)